Home Opinião Um País de esperança, agora de desespero

IRON JUNQUEIRA

De tanto ler sobre o descontentamento do povo pelos jornais, redes de TV, emissoras de rádios, redes sociais e grupos de pessoas nos cafés e alhures, não mais abri meu computador para não ler o tsunami de corrupção, ladroagem, falta de vergonha por parte de alguns dos nossos políticos. Claro que não cito todos. A bem da verdade há muitos homens públicos especiais, probos e honrados. Inclusive em Goiás…

Também todos os brasileiros andam assustados, estupefatos, com o indiscutível aumento da violência, da criminalidade e, principalmente, da impunidade perpetrada no país. Nunca vi tantos assassinatos e mortes de gente de todo porte e idade, antes. A vida humana não é valorizada, pois se mata por nada. Até por vinte centavos. Pior: até por conta de torcidas de futebol, por conta de times insignificantes, tipo Rubra de Anápolis ou Goiás Esporte Clube, equipes que não se classificam nem jogam na base do pebolim…

A violência contra a mulher, então, a torna mártir. Os loucos as matam chegando ao ponto de o próprio criminoso entregar o corpo da vítima na delegacia e confessar ter sido o autor do crime. Só pelo fato de ser advogado e conhecedor de Direito. Aí sim, é que devia ser punido, pois sabia o que estava fazendo.Conhecia a brecha…

A roubalheira na Petrobrás, até o momento presente, tinha somado o valor de seis bilhões de dólares! E os que pilharam esses valores — um só deles! — poderia viver o resto de sua vida com seus familiares nas ilhas mais belas e caras do mundo sem nada fazer, que ainda sobraria grana para pagar as pensões e aposentadorias de todos os aposentados do Brasil por dois anos seguidos! O que tal fé da puta pretendia fazer com tanta grana, oculta num país distante tão desonesto e sujo como o nosso?

E outros empresários e políticos podiam fazer o mesmo, se não fossem o Ministério Público Federal, a Polícia Federal e o Juiz Sérgio Mouro!

Ainda bem que entre os ministros da Justiça, os Procuradores do Ministério Público, os Juízes especiais e a polícia há os homens honrados, patriotas, que não se vendem, que amam a pátria, o cargo e o bem estar do povo. Ainda bem!

Porque não faltaram bandidos tentando impedir o trabalho de investigação do Ministério Público e do Juiz do tipo Sérgio Mouro!

Penso que — pode demorar pouco — porém, Lula e Dilma ainda responderão pelas suas loucuras provenientes de suas borracheiras e péssima índole de marginais, dotados de cabeças doentes que pretendiam tiranizar o país na condição de ditadores quando não sabem conduzir os próprios passos, por terem os pés tortos e as ideias encruadas.

Outra calamidade que está inquietando o país é a educação. Por mais autoridades, instrutores, educadores, tenham alertado o governo, este não deixou de lado a cartilha que tenta mudar a personalidade própria da infância, a de nascença, pois ensina, atualmente, nas escolas, a tal cartilha anti-homofobia, que permite crianças se relacionarem conforme os poucos coleguinhas homoafetivos, quando a maioria em todo mundo é Hetero.

Não. Deixem as crianças crescerem e escolherem a que desejam definir. Quem se definir por Hetero, deixe-o livre e espontaneamente; os que preferirem a homo afetividade, que o façam. Afinal, o espírito é um ser assexuado. Quando está no corpo recebe o sexo que lhe é preferido ser, por questão de provação, resgate, reajuste e aceitação, recebe o corpo conforme sua necessidade.

Deixe um comentário