Home Economia Marconi promete inaugurar 10 obras de R$ 100 milhões

Semana também foi marcada também por decreto de Dilma Rousseff que prorrogou a concessão da Celg por mais 30 anos; “É a valorização da empresa”, analisou Marconi

DA REDAÇÃO

O governador Marconi Perillo (PSDB) anunciou essa semana que deverá inaugurar em 2015 dez “grandes obras de infraestrutura, ao custo aproximado de R$ 100 milhões cada” – entre elas, está o centro de convenções de Anápolis. A projeção feita pelo tucano foi durante entrevista na última terça-feira (2), durante solenidade em comemoração ao Dia Mundial do Leite, no Palácio das Esmeraldas.

“Neste ano nós vamos entregar muitas obras importantes para nossa infraestrutura. Pelo menos dez obras com valores superiores a R$ 100 milhões cada uma. Essas obras serão entregues ao longo do ano. E nós queremos iniciar 2016 com vultosos investimentos, especialmente na área da infraestrutura”, disse o governador.

De acordo com Marconi, as obras fazem parte de uma série de duplicações de rodovias, como a da GO-020, entre Goiânia e Bela Vista; o Hospital de Urgência da Região Noroeste de Goiânia Governador Otávio Lage (Hugol); o Centro de Referência e Excelência em Dependência Química (Credeq), de Aparecida de Goiânia; o Centro de Excelência do Esporte; o centro de convenções de Anápolis; o Centro de Cultura e Convenções de Palmeiras, entre outras obras.

Ajuste

O governador falou sobre o cenário de ajuste fiscal vivenciado nacionalmente. Segundo ele Goiás irá superar “tranquilamente” esse momento e até o fim do ano voltará a manter o “ciclo virtuoso” de desenvolvimento experimentado pelo Estado nos últimos anos.

“Todo o trabalho de ajuste que estamos fazendo tem, como primeiro objetivo, manter equilibradas as contas, as finanças, as nossas obrigações em dia. Em segundo, vamos conseguir enfrentar e superar a crise. Em terceiro, garantir uma poupança que nos possibilite fazer investimentos na infraestrutura e na melhoria da qualidade de serviços que o Estado presta aos cidadãos contribuintes”, explicou.

O governador aproveitou o discurso para reconhecer o apoio recebido do setor leiteiro neste ano. “Tivemos de tomar no governo muitas medidas para garantir o equilíbrio financeiro e fiscal do Estado. E nós tivemos o apoio e a compreensão do setor produtivo goiano”, disse.

Marconi ressaltou que teve o privilégio de “tecer a quatro mãos”, com representantes do setor de produção de leite, legislações que foram fundamentais para garantia da competitividade nacional do produto goiano no mercado.

Guerra fiscal

Ao se referir à guerra fiscal vivida pelos Estados, o governador criticou a postura de entes federados que já se posicionaram contra a convalidação de incentivos fiscais. “Nós ainda vivemos uma guerra de São Paulo e Minas contra Goiás, que praticam alíquota negativa (para o leite). Eles reclamam muito de incentivos fiscais, mas não se lembram da guerra que eles fazem naquilo que não tem tanta importância para eles do ponto de vista de receitas. Para nós, o imposto do leite é importante. Para eles, pouco importa. Eles não dependem desse imposto para pagar seus compromissos.

Marconi afirmou que o governo continuará lutando pelo setor produtivo em Goiás. “Nós vamos continuar, tanto eu quanto a secretária Ana Carla (Fazenda) e o vice-governador (José Eliton), da área econômica, refletindo sempre sobre os pleitos justos do setor, da cadeia produtiva do leite, buscando alternativas eficazes que possibilitem aos produtores do leite, à indústria do leite crescer mais e gerar mais empregos”.

Celg

Já na quarta-feira (3), o governador Marconi Perillo afirmou, em Brasília, que a prorrogação da concessão da Celg Eletrobrás Distribuição é “muito importante” para a valorização da empresa. Marconi comentou a prorrogação, assinada pela presidente Dilma Rousseff e publicada em decreto no Diário Oficial da União após audiência com o ministro da Saúde, Arthur Chioro.

O governador já havia comentado a publicação do decreto em seus perfis nas redes sociais logo no início da manhã. “A prorrogação da concessão é um passo muito importante para a valorização da empresa”, afirmou após o compromisso na Esplanada dos Ministérios. Nas redes sociais, Marconi disse que a publicação do decreto é “importante vitória”. “Aneel confirmou-nos às 7h17: publicado o decreto da prorrogação da concessão da Celg. Importante vitória”, afirmou, em post em seu perfil pessoal no Twitter.

O decreto da presidente Dilma Rousseff autoriza o Ministério das Minas e Energia a renovar a concessão de distribuição de energia da Celg por até 30 anos. Segundo o texto do decreto, assinado também pelo ministro Eduardo Braga, a renovação da concessão tem como objetivo “atender os critérios de eficiência com relação a qualidade do serviço prestado, a eficiência com relação a gestão econômico-financeira e a modicidade tarifária”.

 

Privatização

Em decisão recente, o Governo Federal também decidiu incluir a Celg D no pacote de privatizações do setor elétrico, formado por distribuidoras de energia federalizadas nos últimos anos – caso da estatal goiana, que passou para o controle da Eletrobrás no ano passado. Com a sequência de medidas, analistas do setor de energia acreditam que a Celg D alcançará valor de mercado entre R$ 2,5 bilhões e R$ 3 bilhões. O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, quer usar a receita da privatização da estatal goiana no pacote de ajuste fiscal do Governo Federal.

Deixe um comentário