Home Cidades Há 80 anos, trem de ferro mudava rumos da cidade de Anápolis

Historiador diz que a notícia da chegada da ferrovia alterou a rotina da cidade, além de confirmar que a localização geográfica de Anápolis poderia lhe render força econômica

MARCOS VIEIRA

A data que marca a independência do Brasil também representa o início de uma era em Anápolis que definiu boa parte do que a cidade é hoje em termos econômicos. Nessa próxima segunda-feira, dia 7 de setembro, completa-se 80 anos da chegada da estrada de ferro na cidade.

Em um feriado, anapolinos se reuniram na Estação Ferroviária, na região central, para ver o trem de ferro. “A partir disso, Anápolis entra efetivamente na rota do progresso chegando a ser conhecida como Manchester Goiana”, ressalta o historiador Jairo Alves Leite. Desde sua origem, o município já mostrava vocação comercial, devido à sua localização, um entrocamento para diversas regiões. A estrada de ferro dinamizou essa tendência.

Jairo é o responsável por uma exposição que fica até o final do mês no Anashopping, que visa resgatar a história da cidade através de três temas: “1934 – Annapolis através da Photographia – Atelier Zenith”, uma coleção de imagens encomendada pelo prefeito José Fernandes Valente para mostrar uma cidade moderna, à frente do seu tempo; “80 anos da Inauguração da Estação Ferroviária de Anápolis”; e “Anápolis, Terra da Promissão”, que mostra atrizes norte-americanas que possuíam propriedades na cidade.

“Esta exposição foi montada no Anashopping em razão das comemorações dos 108 anos da cidade de Anápolis. Porém, devido ao número de visitas, o período de exposição foi prorrogado até o final de setembro. No início do mês montamos no local um pedaço da ferrovia com apoio do Porto Seco Centro-Oeste, em homenagem aos 80 anos da Estação Ferroviária de Anápolis”, explica o historiador.

Para Jairo Leite, é impossível imaginar Anápolis sem o sistema ferroviário inaugurado na cidade em 1935. “Ao lançarmos um olhar histórico, encontramos um projeto da Estrada de Ferro em Goiás, que surge em 1873, ainda no período Imperial, que tinha a intenção de chegar à Cidade de Goiás, antiga capital goiana”, revela. Outros projetos ferroviários apresentados na época sempre colocavam Anápolis como rota dos trilhos. Mas a pedra fundamental da Estação Ferroviária que de fato seria inaugurada na cidade só foi lançada em 1933.

Jairo Leite diz que a notícia da chegada da ferrovia alterou a rotina da cidade. Exemplo disso é que os túmulos do cemitério que existia onde hoje é a Praça Americano do Brasil tiveram que ser transferidos. O local então passou a se chamar Horto Florestal, depois Jardim da Estação para, enfim, ganhar o nome que tem hoje.

A Estação Ferroviária começou a ser feita na gestão do prefeito João Luiz de Oliveira, mas foi seu sucessor, o farmacêutico José Fernandes Valente, que inaugurou a edificação que hoje leva seu nome. “Ícone da modernidade, a estação trazia esperança pelos trilhos”, diz Jairo.

O historiador lembra que a antiga Estação Ferroviária se tornou patrimônio histórico em 1991, mas permaneceu escondida por um terminal urbano construído de forma irregular. A estrutura para os ônibus foi retirada esse ano, após longa ação judicial. A prefeitura promete revitalizar o espaço.

“Hoje espero que o prédio denominado Estação Ferroviária Prefeito José Fernandes Valente seja restaurado nos seus moldes originais, mostrando toda sua importância e seu valor histórico e estético que teve para a comunidade anapolina, finaliza Jairo Alves Leite, que teve papel fundamental para a devolução à população da edificação histórica.

Há outras ações de resgate da história ferroviária anapolina: projeto de lei na Câmara, de autoria do presidente Lisieux Borges (PT) estabelece o tombamento da Subestação General Curado, no Daia.

1 resposta a este post
  1. Sou do Rio de Janeiro, e visitando a cidade hoje, deparei com a revitalização da Estacão Ferroviária de Anápolis. Fiquei muito feliz por ser devolvido à população essa edificação histórica, pois cansei de vê-la escondida no meio do Terminal. Espero que na próxima visita, terei o prazer de conhecê-la melhor. Parabéns àqueles que cooperaram para esse movimento.

Deixe um comentário