Home Política Empresa belga anuncia que abrirá unidade em Anápolis  

Os empresários devem vir a Goiás em novembro para assinatura do protocolo de intenções. O objetivo é iniciar produção em junho de 2016, gerando 750 empregos diretos

JOÃO AQUINO

Especial para o JE

A missão comercial à Europa chefiada pelo governador Marconi Perillo (PSDB), com a presença do prefeito João Gomes (PT), chegou à Bélgica na sexta-feira (23), com uma notícia positiva para a cidade de Anápolis.

Empresários anunciaram em Bruxelas a instalação de uma planta de grande porte em Anápolis. Eles já possuem três fábricas em São Paulo, que confeccionam embalagens especiais para medicamentos e produtos farmacêuticos. Atualmente, detêm 75% do mercado brasileiro e têm uma presença muito forte no mundo.

Segundo o governo goiano, o investimento inicial na nova unidade é de R$ 60 milhões na primeira fase e R$ 120 milhões na segunda. Ao final, serão gerados cerca de 750 empregos. A fábrica contará com 30 mil metros de área construída e promete utilizar alta tecnologia em sua linha de produção.

Segundo o governo, os empresários devem vir a Goiás em novembro para assinatura do protocolo de intenções. O objetivo é iniciar a produção em junho de 2016. Em 2014, a empresa contabilizou um faturamento total de 6 bilhões de euros no mundo, sendo R$ 200 milhões apenas no Brasil.

Segundo os empresários que conversaram com Marconi e João Gomes, a ideia é desativar as três fábricas instaladas em São Paulo e focar apenas em Anápolis.

Participaram do encontro com o governador e o prefeito de Anápolis os empresários Wellington Lentini e Jens Christian Friis, da Gerresheimer. “Já valeu a pena a viagem”, comemorou João Gomes.

 

Roteiro

A comitiva goiana iniciou a agenda de trabalho da missão comercial na sexta-feira, dia 16 de outubro, por Madrid, capital da Espanha, onde promoveu o Seminário de Negócios, apresentando dados e potenciais de investimentos na economia do Estado de Goiás. Depois da rodada de negócios, o governador presidiu a reunião do Projeto Andorinhas, na Casa Brasil, objetivando orientar o trabalhador goiano residente na Espanha a planejar sua vida financeira, por meio da oferta de cursos, assessoria para abertura de micro e pequenas empresas, orientação para obtenção de crédito, entre outras ações.

Segundo a assessoria de imprensa do governador Marconi, ele decidiu fazer das reuniões do Projeto Andorinhas, criado em 2013, parte obrigatória das missões oficiais do Governo de Goiás no exterior. Marconi declarou: “Estamos atentos às transformações e janelas de oportunidades dentro e fora do País. Mas, sobretudo, somos apaixonados por gente, pela nossa gente. E vocês são conterrâneos e importantes para nós”.

Já na cidade de Bruxelas, depois do encontro com empresários da fábrica de embalagens, nessa última sexta-feira (23), Marconi Perillo recebeu a Comenda da Ordem da Coroa da Bélgica, título concedido pelo rei Philippe Leopoldo Luís Maria a estrangeiros e belgas, pelos serviços prestados àquele importante país europeu.

Antes, na quinta (22), Marconi e comitiva visitaram os portos belgas de Liège e da Antuérpia, que têm interesse em ampliar a entrada da produção goiana destinada ao mercado consumidor europeu. Atualmente, a principal porta de entrada é Roterdã, na Holanda.

 

Alemanha

Em Berlim, capital da Alemanha, foram realizadas reuniões entre autoridades goianas e empresários do setor logístico da Alemanha. Marconi mostrou as oportunidades, apresentou obras e projetos do Estado de Goiás, ouvindo manifestações de interesse dos alemães na provável implantação da Ferrovia Brasília-Goiânia e pela utilização da Plataforma Logística Multimodal e do aeroporto de cargas de Anápolis para o intercâmbio comercial entre Brasil e Alemanha.

As conversações foram entabuladas no Ministério de Transportes e Infraestrutura Digital, detalhando a proposta de fazer da Alemanha um portão de entrada dos produtos goianos para o mercado europeu. O ministro Michael Odenwald determinou, a partir da explanação do governador, que a pasta inclua Goiás no Congresso de Segurança de Transportes que a Alemanha realizará no Brasil nos próximos meses.

O governador Marconi Perillo sugeriu à Federação da Indústria do Estado de Goiás (Fieg), que promova encontros entre empresários goianos e alemães, para a discussão de oportunidades de investimento, que poderão ser ampliados com a inclusão de federações industriais de Goiás e do Brasil para criação de uma Aliança Nacional de Logística.

Paralelamente à agenda do governador Marconi Perillo em Berlim, o grupo de empresários que se prepara para rodada de negócios durante seminário bilateral, visitou a fábrica da Bayer, a maior indústria química da Alemanha. O grupo foi liderado pelo prefeito de Anápolis, João Gomes, que já é familiarizado com as indústrias do setor, visto que a cidade goiana é o maior polo brasileiro na produção de medicamentos genéricos.

 

Conquistas

Desde o seu primeiro mandato à frente do Governo de Goiás (1999-2002), o governador Marconi Perillo mantém permanente contato com os alemães, visto que presidiu o Encontro de Comércio Bilateral Brasil-Alemanha. O governador trabalha agora para que Goiás volte a sediar uma nova rodada de encontros, considerando que o Estado avançou muito neste período, multiplicando em vinte vezes sua balança comercial e sua capacidade exportadora e em dez vezes o seu Produto Interno Bruto (PIB) desde 1999.

Atualmente, a Alemanha é centro logístico da Europa, caminho natural para o trânsito de pessoas, serviços e mercadorias no continente europeu, fato reforçado pela Aliança Logística da Alemanha, com a junção dos setores público e privado, com resultados que movimentam boa parte da economia mundial através da Europa.

Para o governador Marconi, é o momento de maiores oportunidades de investimentos estrangeiros no País. Ele citou projetos como a Ferrovia Goiânia-Brasília, de média velocidade, a Plataforma Logística Multimodal e o Aeroporto de Cargas de Anápolis. Marconi também mencionou as oportunidades de investimentos em concessões ferroviárias, rodovias, aeroportos e investimentos na verticalização da produção.

Para o mês de novembro deste ano, ficou acertada a visita do Ministro de Infraestrutura da Alemanha a Goiás, com o objetivo de unir interesses em logística tanto dos goianos, que desejam entrar na Europa, como dos alemães, interessados no mercado brasileiro através de Goiás.

Depois, acompanhado da embaixadora do Brasil na Alemanha, Maria Luiza Viotti, o governador Marconi se reuniu com o secretário de estado de Economia e Energia, Mathias Machnig e o diretor de Política Externa do Ministro da economia e Energia, KnutBrunjes.

A embaixadora Maria Luiza Viottie o ex-embaixador da Alemanha no Brasil WilfriedGrolig marcaram presença no seminário. “Goiás é um Estado referência no Brasil e muito promissor”, afirmou Viotti. Ao falar das oportunidades oferecidas por Goiás, Marconi além de ressaltar a localização privilegiada, falou do crescimento e destacou as vantagens de se investir em um Estado que não parou de evoluir, mesmo diante da crise política e econômica enfrentada atualmente pelo Brasil.

Intercâmbio

Em Berlim, o governador Marconi Perillo também foi recebido pela chefe da Seção Europa e América Latina da Conferência Alemã de Reitores (HRK), Iris Danowski, que veio da cidade de Boon para encontrar-se com o governador, na Embaixada do Brasil. Iris Danowski explicou sobre a regulação dos cursos, a forma de financiamento das universidades públicas e privadas e sobre o controle de qualidade do ensino que faz da Alemanha um dos meios acadêmicos mais competitivos do mundo. Marconi apontou os números da educação em Goiás e apresentou o programa Goiás sem Fronteiras.

Depois, o governador Marconi Perillo foi à Baviera Alemã, na cidade de Munique, fazer os primeiros entendimentos com o Centro Universitário Bávaro para a América Latina (Baylat), visando a um acordo entre Goiás e o Estado da Baviera, de financiamento bilateral permitindo o intercâmbio de professores e alunos, através do projeto Goiás Sem Fronteiras, o programa de intercâmbio científico e acadêmico do Inova Goiás.

A Baviera tem na Alemanha características semelhantes ao que Goiás representa para o Brasil. Origem agrícola, mas com forte avanço da industrialização, amparada por universidades e centros de pesquisa voltados para tecnologias de verticalização da produção agrícola, através da agregação de valores e industrialização.

O DAAD (Serviço de Intercâmbio Acadêmico Alemão), a maior instituição de intercâmbio estudantil do mundo, e o Conselho de Reitores da Alemanha também disseram ao governador Marconi Perillo, que querem celebrar convênio com o Goiás Sem Fronteiras para enviar e receber estudantes.

O reitor da Universidade Estadual de Goiás, Haroldo Reimer, ofereceu detalhes sobre o desenvolvimento da Universidade Estadual de Goiás, com sede em Anápolis, que tem presença capilarizada no interior do estado, ao contrário dos demais centros universitários. A UEG incentiva a criação de centros de pesquisa, com recursos humanos avançados no interior do estado e o convívio direto com o agronegócio.

A UEG e a UnB (Universidade de Brasília), foram selecionadas recentemente pelo principal programa de envio de alunos do governo Obama, nos Estados Unidos –“USA Education – 100.000 Strong in Américas”, como destino preferencial na região central do Brasil. “Queremos representar a mesma oportunidade em relação à Alemanha”, disse o reitor. Os setores de agronomia, engenharia e farmoquímica e biologia são os maiores atrativos para este intercâmbio.

O Governo de Goiás e a UEG voltarão para casa com uma tarefa considerada vital para o sucesso de programas de intercâmbio: o fortalecimento de ensino em línguas estrangeiras, como Inglês e Alemão, e o planejamento para maior envolvimento institucional entre as universidades que fazem intercâmbio de estudantes.

(Com informações da Assessoria de Imprensa do Governo de Goiás)

 

Deixe um comentário