Home Esportes Dores na região lombar: o que fazer?

William Alves Lima (1)

JE Fit & Saúde 

William Alves Lima

Dores na região lombar (parte inferior da coluna vertebral), também conhecidas como lombalgias, são alterações músculos-esqueléticas que acometem, em algum momento da vida, entre 70% e 80,5% da população mundial em ambos os sexos.

As lombalgias geralmente advêm de microlesões sucessivas que se desenvolvem em decorrência do esforço requerido para atividades laborais (posições estáticas sustentadas com más posturas, postos de trabalho não ergonômicos, o ato de carregar grandes pesos sem a devida estabilização do tronco, etc) e da vida diária (forma de se sentar, de deitar, de levantar, de se posicionar em motocicletas ou bicicletas, de usar a pia, na posição em que se coloca para fazer as tarefas domésticas, entre outros). Podendo se evidenciar como sinais clínicos de lombalgias, a imobilidade e a adoção de posturas curvadas com intuito de evitar a dor.

Sabe-se que os exercícios, geralmente indicados por muitos profissionais da saúde (alongamentos, caminhadas, natação entre outros) não promovem uma redução das dores lombares agudas ou crônicas, isto porque não existe uma atividade física sistematizada milagrosa.

Primeiro tem que se conhecer as deformidades posturais estruturadas (através de uma avaliação postural, se possível associada a uma ressonância magnética). A partir das deformidades identificadas é que se pode identificar qual a real necessidade de exercícios de alongamento, de posições estáticas, de musculação, de manipulação de vértebras, de liberação miofascial ou de tratamentos fisioterápicos. Um treinamento realmente personalizado as suas necessidades pode, além de melhorar uma eminente disfunção física e psicológica, também pode prevenir uma recorrência de agravamento. Outro item analisado é que o alongamento associado ao ultrassom proporciona uma redução rápida das dores.

Diante do exposto, se sua lombalgia está na fase aguda, espere cessar as dores antes de implementar qualquer tipo de treinamento físico. Porém, se sua dor é crônica, procure a Up Performance Gym (Instagram: @upperformancegym) que faremos uma avaliação funcional, uma avaliação postural, uma avaliação da força e flexibilidade e uma avaliação antropométrica, para a partir deste dados, prescrever o treinamento ideal para sua atual condições física e necessidade fisiológica.

Prof. Dr. William Alves Lima / CREF: 001141G/GO / Coordenador dos cursos de Pós-graduação lato sensu em: Fisiologia do exercício; Nutrição clínica e esportiva; Saúde pública. Coordenador da Up Performance Gym (Excelência em Treinamento Personalizado)

 

DICAS PARA CASA

Evite sofás macios e sente-se sempre de frente para televisão com as costas totalmente apoiadas.

Não use o banco do carro inclinado para trás.

Evite ficar mais do que uma hora sentado.

Faça alongamentos leves três a cinco vezes ao dia.

Ao iniciar um programa de treinamento de força, comece sempre pelo fortalecimento dos músculos do tronco.

Não se coloque em posições em que a coluna vertebral fique curvada (Ex: quando você fica olhando para o computador / celular, pilotando motocicletas, fazendo suas refeições, etc).

Não projete o quadril para frente (Ex: escorando a barriga na pia, em alguns casos, colocando almofadas nas costas ao sentar no sofá etc).

Para mais informações, contate a Up Performance Gym.

Deixe um comentário