Ad
Home Últimas Notícias Polícia recupera carga de carne roubada avaliada em R$ 500 mil

carne roubada

Ao localizar em um depósito em Aparecida de Goiânia uma carga de três toneladas de carne de primeira que foi roubada em Goiás, a Polícia Civil conseguiu identificar uma quadrilha que age em rodovias goianas há pelo menos seis meses. A carga recuperada está avaliada em R$ 500 mil.

Foi no Frigorífico Palmeiras em Cajamar (SP) que um motorista, que pediu para não ser identificado, pegou 1000 caixas de carne Ponta de Agulha do Frigorífico Marfrig para transportá-la até Belém. Em Goiatuba, na noite do último dia 11, a carreta foi fechada por um Golf vermelho que tinha dentro três bandidos armados com pistolas e escopeta. Rendido, o motorista foi obrigado a seguir dirigindo com um dos criminosos a seu lado até Aparecida de Goiânia.

Em um posto onde caminhoneiros param para lanchar, os bandidos tomaram a direção do caminhão e colocaram o motorista no porta malas do Golf. Enquanto o caminhoneiro era mantido refém em uma mata em Aparecida de Goiânia, outros bandidos seguiram com a carreta até o Posto Vale Verde, em Anápolis, onde a carga foi transferida para outro veículo. O motorista foi liberado perto de Anápolis, após um dia nas mãos dos bandidos.

Durante as investigações, a equipe da Delegacia de Repressão a Roubos e Desvios de Cargas (Decar) descobriu que os bandidos estariam utilizando um depósito na Rua Tapuinara, no Bairro Cardoso, em Aparecida de Goiânia, para guardar cargas roubadas. Apesar de não prenderem ninguém, os policiais conseguiram recuperar as 990 caixas de carne naquele local e conseguiram identificar os criminosos.

“Trata se de uma quadrilha especializada nesse tipo de delito e que tem integrantes de Goiás, Minas Gerais e São Paulo, sendo que este Golf vermelho que eles usavam e nós já temos a placa – foi visto em pelo menos seis assaltos”, relatou o delegado Bruno Alexandre, titular da Decar.

Ainda esta semana, o delegado pretende pedir à Justiça a prisão dos seis integrantes da quadrilha.

Deixe um comentário