Home Cidades Casos de afogamento preocupam Corpo de Bombeiros

Afogamento (1)

Período de carnaval vai contar com força tarefa para prevenção de acidentes aquáticos

Marcos Aurélio Silva

O jovem Igor Gabriel Gomes dos Santos, de 18 anos, morreu afogado no lago do Parque da Cidade, na última terça-feira (26). Segundo o Corpo de Bombeiros, o jovem foi encontrado já sem vida dentro da água.

A corporação afirmou que a vítima estava pescando no local com amigos, que eles saíram por um tempo e, quando voltaram, o rapaz não estava mais lá. Os bombeiros foram acionados e encontraram o corpo dele já dentro do lago. Existe a suspeita de que a vítima tenha sofrido uma crise de epilepsia enquanto estava sozinho. Ainda conforme os bombeiros, não é permitido entrar no lago, mas não há nenhuma placa no local que indique essa proibição.

Há um ano, outro adolescente de 17 anos morreu afogado no mesmo lago. O jovem Bruno Gomes da Silva, estava junto com outros amigos dentro do lago. De acordo com informações repassadas pelos amigos da vítima aos bombeiros, ele tentou atravessar o lago nadando e se afogou.

Os casos ilustram uma triste realidade. Afogamento é a quarta causa de morte acidental em adultos e a terceira em crianças e adolescentes de todo o mundo. Em Goiás, as características do clima, a vasta rede hidrográfica e a quantidade de piscinas privadas representam fatores de risco importantes para os afogamentos. O afogamento ocorre de forma inesperada, sempre em situações de lazer e pouquíssimos cogitam a sua possibilidade trágica.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Salvamento Aquático (Sobrasa), quatro crianças até 14 anos morrem afogadas diariamente no Brasil. A estatística mostra que 65% dos afogamentos ocorrem ao redor do domicílio e 50% das crianças que morreram afogadas foram vistas minutos antes circulando dentro ou ao redor de casa.

O Corpo de Bombeiros alerta a população para ter cuidado ao entrar em lagoas, cachoeiras, piscina e rios, principalmente nesta época do ano. O cuidado com as crianças deve ser algo coletivo, a sociedade tem que ajudar a zelar pelos pequenos. Um minuto de distração pode provocar uma tragédia.  “Essas situações que colocam em risco a integridade física é sempre algo que preocupa o Corpo de Bombeiros. Estamos sempre trabalhando com orientação com vistas a prevenção. Nosso foco é evitar esses acidentes, que sempre aumentam em período de férias ou feriados prolongados”, salienta o sargento Gabriel.

Com o foco na prevenção, o Corpo de Bombeiros Militar de Goiás está preparado para a Operação Carnaval 2016, que neste ano ocorre entre 5 e 10 de fevereiro. O objetivo é de que a corporação invista em ações que evitem acidentes e afogamentos em todo estado de Goiás. No ano de 2015, durante o período das festas carnavalescas, foram registradas oito mortes por afogamento, no período de cinco dias.

Para tentar reduzir esses números de afogamento e acidentes náuticos, as equipes do Corpo de Bombeiros vão se concentrar em pontos estratégicos das rodovias e também em balneários para agilizar a chegada aos locais das ocorrências. A preocupação dos bombeiros é que mesmo quem não gosta da agitação do carnaval aproveita o feriadão para pegar a estrada ou procurar balneários e acampamentos para descansar. Nos dois casos, a prioridade é manter segurança, alerta o Corpo de Bombeiros.

As equipes atuarão em atividades de prevenção, socorro e salvamento em acidentes e afogamentos, incêndios e pânico, em locais onde possa haver aglomeração de pessoas. Cada equipe estará equipada com kit de resgate, materiais para salvamentos terrestre e de altura e equipamento para resgate de vítimas presas às ferragens.

Orientação

A estratégia, que tem sido realizada com bastante sucesso nos últimos anos, é espalhar equipes do CBMGO por todo Estado possibilitando um atendimento mais rápido. Os turistas também podem cuidar de sua segurança, evitando os acidentes. Para isso, o principal é seguir orientações como: ao procurar locais para nadar, escolha um local conhecido e nunca vá sozinho; obedeça a sinalização de perigo e procure sempre local onde existe a presença de guarda-vidas, ou o Corpo de Bombeiros.

Além disso, é importante não beber antes de entrar na água, não se afastar muito da margem mesmo se souber nadar, não tentar salvar pessoas em afogamento sem estar devidamente habilitado, não deixar as crianças sozinhas e por fim usar colete salva-vidas quando estiver em embarcações. Para quem vai curtir o carnaval na rua a dica é manter a calma se houver incêndio ou tumulto e acionar os bombeiros pelo telefone de emergência 193.

DICAS

De acordo com o Corpo de Bombeiros, cada pessoa pode também cuidar de sua segurança, evitando os acidentes. Para isso, o principal é seguir as orientações:

AO PROCURAR UM LUGAR PARA NADAR

– Escolha um local conhecido e nunca vá sozinho

– Obedeça a sinalização de perigo

– Procure sempre local onde existe a presença de Guarda-Vidas, ou o Corpo de Bombeiros.

– Não beba antes de entrar na água

– Não se afaste da margem, mesmo se souber nadar

– Não tente salvar pessoas em afogamento sem estar devidamente habilitado. Prefira lançar flutuadores para salvar pessoas ao invés da ação corpo a corpo

– Evite brincadeiras de mau gosto (“caldos”, “trotes”, “saltos”)

– Não deixe as crianças sozinhas

– Pilotos e passageiros de embarcações devem usar o colete salva-vidas

– Use colete salva-vidas quando estive praticando pesca de barranco ou quando estiver em embarcações.

DADOS NO BRASIL

  • O maior risco de morte por afogamento ocorre na faixa de 15 a 19 anos;
  • O menor risco em crianças menores de 1 ano;
  • De todos os óbitos por afogamento 65% ocorrem até os 39 anos;
  • As piscinas são responsáveis por 2% de todos os casos de óbito por afogamento, mas representam 52% de todos os casos na faixa de 1 a 9 anos de idade;
  • Em média os homens morrem 6 vezes mais que as mulheres em ocorrências de afogamento.

(Dados da Sociedade Brasileira de Salvamento Aquático)

Deixe um comentário