Home Cidades HEP demite 110 funcionários devido à diminuição de leitos

 

Cauby Moreira 19,03,15 (11)

Outra decisão para reduzir despesas é a transferência dos 60 internos da Chácara “Nosso Lar” para o HEP até que o serviço social municipal encontre abrigos para eles

MARCOS VIEIRA

O Hospital Espírita de Psiquiatria (HEP) demitiu 110 funcionários nesta última semana, devido à necessidade de readequação das suas despesas, já que o número de leitos atendidos pelo SUS caiu de 320 para 100 leitos. O quadro funcional chegava a 287 profissionais.

Com a crise financeira que fez com que o HEP fechasse as portas para novos pacientes, uma solução foi apresentada em reunião no Ministério Público: um convênio com a Prefeitura de Anápolis com teto máximo de R$ 352.600,00 por mês.

Menos dinheiro, menos necessidade de profissionais. E o corte teve que ser imediato para não permitir que o déficit avançasse. Segundo o diretor administrativo do HEP, Cauby Moreira Pinheiro, o hospital precisa receber repasses atrasados do poder público para quitar o salário de fevereiro dos funcionários que estão ficando e também os que foram demitidos.

A Secretaria Municipal de Saúde tinha R$ 400 mil em atraso – R$ 200 mil foram repassados dia 10 de fevereiro; a outra metade deve entrar na conta do HEP ainda na primeira quinzena de março. Já o governo estadual deve R$ 300 mil, prometidos também até dia 15 deste mês.

Cauby Moreira explicou que a redução dos funcionários não comprometerá o atendimento do HEP, justamente porque o número de leitos caiu para 100. Essa quantidade deverá cobrir Anápolis e a chamada Regional Pirineus, que soma 11 municípios. “Lamentamos jogar no mercado 110 profissionais, mas fizemos de tudo para que a instituição permanecesse aberta com os 320 leitos”, disse o diretor.

A direção do HEP vai se empenhar em buscar mais fontes de renda, o que pode, no futuro, permitir a abertura de novos leitos e, consequentemente, recontratação de funcionários. Seriam convênios com prefeituras que não fazem parte da Regional Pirineus. “E que utilizam o hospital consideravelmente”, explicou Cauby.

Outra decisão tomada na tentativa de reduzir despesas é a transferência dos 60 internos da Chácara “Nosso Lar” para as dependências do HEP. São pessoas com transtornos mentais, “cronificados”, sem família.

“Na reunião com o Ministério Público, ficou definido que a Secretaria de Desenvolvimento Social, do Francisco Rosa, assumirá esses internos. Enquanto não se define para onde eles vão, todos serão transferidos para o hospital”, confirmou Cauby Moreira. (Com reportagem do Canal Anápolis)

Deixe um comentário