Home Economia Obras de viadutos mudam a paisagem da Avenida Brasil

 

DSC_0667

O passo seguinte das duas obras será dado em período de maior estiagem. Também com o fim das chuvas a empresa contratada deve iniciar os seis corredores de ônibus 

LUIZ EDUARDO ROSA

As obras dos dois viadutos na Avenida Brasil estão com prazo e ritmo mantidos, segundo informações do secretário de Obras, Serviços Urbanos e Habitação, Leonardo Viana. O que aguarda o fim do período de estiagem são as obras dos corredores do transporte coletivo. Uma das preocupações recentes são os pontos de alagamento no local das duas obras de curso viário, que também, segundo a prefeitura, estão eliminando os problemas.

Os estágios atuais das obras dos dois viadutos na Avenida Brasil, um com a Avenida Goiás e Barão do Rio Branco e outro com a Rua Amazílio Lino, estão em andamento mesmo com as chuvas nas últimas semanas. O viaduto das avenidas Brasil com a Goiás está na concretagem do pilar central do modelo proposto pela licitação, que é de ponte estaiada. Já em um estilo mais tradicional, o viaduto da Amazílio Lino está com as rampas iniciadas em terra armada e estrutura pré-moldada nas fundações.

O passo seguinte das duas obras será dado em período de maior estiagem. Também com o fim das chuvas a empresa contratada pela prefeitura deve iniciar os seis corredores de ônibus. “O ritmo está dentro do que esperávamos, neste período estamos justamente nas etapas dos viadutos que independem do clima para desenvolver”, explica o secretário Leonardo Viana. O prazo para finalização dos dois viadutos está estabelecido até o final de junho deste ano. Neste sentido, o secretário assegura que o ritmo atual atende ao cumprimento do que foi estabelecido em contrato.

Para o viaduto estaiado, uma nova frente de trabalho será aberta a partir do cruzamento da Avenida Brasil com a Rua Barão do Rio Branco, ampliando a pista para iniciar os fundamentos da rampa. Os seis corredores de ônibus aguardam a estiagem para iniciar as obras e tem prazo de entrega inicial em dois anos. O viaduto estaiado entre as Avenidas Goiás e Brasil está sendo realizado no valor de R$ 26,1 milhões e o elevado entre a Avenida Brasil e a Rua Amazílio Lino no valor de R$ 7,86 milhões. Os seis corredores e viadutos que compõem as obras de mobilidade urbana estão no valor de aproximadamente R$ 74 milhões.

 

Trânsito

Ao levantar possíveis modificações no trânsito durante a obra dos viadutos, o secretário afirmou que não haverá interdições além das que estão feitas, com a liberação de somente uma faixa de rolagem. As exceções de transporte e operações que exijam a interdição total serão priorizadas para o período noturno no decorrer da semana e quando demandar um maior tempo de bloqueio acontecerá aos finais de semana. “Necessitando interdições totais das vias envolvidas na obra, as que acontecerem aos finais de semana terão início às 14h, após o horário de rush das movimentações no centro da cidade”, explica Leonardo, que aponta que esta medida foi acordada entre a prefeitura e a empresa executora do projeto.

Outra preocupação é devido o recente alagamento da região nas proximidades da Câmara Municipal. O secretário aponta que alagamentos como o que houve no dia 14 do mês passado, são episódicos e relembra algo parecido que aconteceu em 2009. . A região onde está a Câmara Municipal é conhecida por ser uma área de brejo e marcada por ser alagadiça, com relevo próximo ao nível do córrego. “A ponte em modelo estaiado não apresenta pontos que acumulem água sendo o elevado suspenso por estaios (cabos de aço), diferente de viadutos com trincheiras, então diminuem as possibilidades de alagamentos”, explica Leonardo. A região tem como principal escoadouro a faixa canalizada do Córrego Antas.

 

Deixe um comentário