Home Cidades Dois nomes e uma Praça

Praça Cecé de Alencar(pça Jamel Cecílio) 10,03,16  (12)

A Avenida e o busto de homenageado popularizaram outro nome à Praça Augusto César Miranda Alencar

Luiz Eduardo Rosa

Uma das praças que se destacam em Anápolis como cartão postal tornou-se conhecida pelo mesmo nome da avenida na qual está situada, do empresário e ex-prefeito Jamel Cecílio. Já o oficial, acabou sendo esquecido até mesmo por moradores da região, que se recordam, entretanto, da forma e composição que o logradouro tinha antes de receber o Planetário Municipal.

Originalmente Praça Goiás, o espaço recebeu o nome de Augusto César Miranda Alencar, ou Cecé Alencar, em 1981, um ano após a renomeação da Avenida Bartolomeu de Gusmão para Avenida Jamel Cecílio. “As renomeações realizadas por decreto do ex-prefeito Wolney Martins se deram em virtude do falecimento de Jamel Cecílio e do filho de outro grande empresário anapolino que se foi ainda jovem”, explica o secretário municipal de Governo, Mozart Soares, em referência ao fundador do Grupo Café 3 Poderes, Wilson Lisboa Alencar.

Com as renomeações da via e do logradouro, realizadas na primeira gestão de Wolney Martins, instituída por nomeação do Governador, acabou se popularizando na praça o mesmo nome da avenida. As referências dadas de maneira corriqueira pelos moradores são da ‘praça que fica na Avenida Jamel Cecílio’ e isso acabou compartilhando o homenageado de maneira informal, ficando de lado o nome oficial Cecé Alencar. Essa adoção do nome errado acabou chegando às placas de endereço de moradores e comerciantes que circundam o espaço.

“A confusão acabou por popularizar mais a referência emprestada da avenida do que o nome do verdadeiro do homenageado na praça”, explica um morador que preferiu não se identificar. O logradouro recebeu, em janeiro de 2014, o Planetário Digital; uma academia do programa Saúde na Praça, estacionamentos e também uma quadra de futebol, mas manteve o busto em homenagem à Jamel Cecílio. Anteriormente a praça teve outra forma, inclusive não sendo uma circunferência completa. Era cortada em dois átrios pela Avenida Jamel Cecílio. A circunferência somente foi fechada, para dar um formato de rotatória, após o ano 2000.

Lembranças

Morador da região há 15 anos, vindo de Pernambuco, Pedro Cecílio da Cruz, de 72 anos, levanta algumas descrições de como encontrara a Praça Cecé Alencar quando se mudou para o bairro JK Nova Capital. No momento em que chegou à região, o lugar contava com duas guaritas para vigias no local, uma quadra de futebol, estacionamento e uma área gramada. “A praça, durante a época que aqui estive, passou por períodos sem receber cuidados, principalmente de roçagem, dando espaço para a ação de bandidos. Também foi tomada por usuários de drogas, o que amedrontava os moradores”, conta. O mato era tão alto que um morador fez um ato de sarcasmo colocando uma faixa nas grades da quadra com a inscrição “Vende-se pasto”, em alusão à falta de roçagem da administração municipal.

Ao receber o Planetário, a praça passou a contar com visitas de alunos para atividades de fins educacionais e científicos, e também da população em geral e de visitantes de outras cidades, sendo referenciada como cartão postal anapolino. Neste sentido, o logradouro corre o risco de ter o seu nome popularizado com outra referência, que já não mais a da avenida. “Atualmente eu já não me refiro nem pelo nome oficial, nem por Jamel Cecílio. Quando falo do local digo que é a Praça do Planetário”, afirma Danilo Gomes Macedo, de 29 anos, frequentador recorrente da praça e morador do setor.

1 resposta a este post

Deixe um comentário