Home Política Janela equilibra forças na Câmara entre PSDB e PT

 

Plenario Camara 01.09.15 - Amanda Rodriguez

O PSDB pode passar a ter o maior número de membros na Câmara Municipal caso Fernando Cunha retome a cadeira que está com o suplente Miguel Marrula, do DEM

MARCOS VIEIRA

A Emenda Constitucional 91, que criou a chamada janela partidária, permitindo que deputados e vereadores possam mudar de partido sem a perda de mandato, provocou uma mudança no mapa de forças na Câmara Municipal de Anápolis.

Na sexta-feira (18), os quatro vereadores do Solidariedade (SD) acompanharam o presidente municipal do partido, deputado estadual Carlos Antonio, e se filiaram ao PSDB. O parlamentar se insere no novo cenário como pré-candidato a prefeito dos tucanos.

Amilton Filho e Vespa, que tinham sido eleitos pelo PSC e acabaram se filiando ao SD, agora são do PSDB. Mauro Severiano, que foi eleito pelo PDT e também resolveu ir para o Solidariedade, também passa a ser um tucano.

A nova bancada do PSDB também ganhou Pedrinho Porto Rico, que foi eleito pelo PTB, se filiou ao Pros, depois mudou para o SD e agora entra no ninho tucano.

Os quatro novos vereadores se juntam a Mirian Garcia. Com isso, já nesta segunda-feira (21) o partido do governador Marconi Perillo participa da sétima sessão ordinária do mês com uma bancada de cinco vereadores, igual a do PT.

Caso o vereador licenciado Fernando Cunha resolva retomar seu mandato na Câmara, no lugar do suplente Miguel Marrula (DEM), o PSDB passará a ter o maior grupo do Legislativo anapolino. São seis votos que podem influenciar em votações de projetos e outras deliberações.

Ainda no início da janela partidária, o PT perdeu o vereador Pastor Wilmar Silvestre, que acabou indo para o PSC, atendendo a um pedido do deputado estadual Simeyzon Silveira, um dos líderes do seu novo partido e da igreja no qual o vereador anapolino faz parte.

A mudança de Wilmar Silvestre fez com que a bancada do PSC se transformasse na terceira maior da Câmara Municipal. Além do ex-petista, estão no partido os vereadores Jerry Cabeleireiro e Wederson Lopes.

 

Já o PT permanecesse com o presidente Lisieux Borges e Dinamélia Rabelo, Alfredo Landim, Eber Mamede e Geli Sanches. Landim, diplomado suplente em 2012, deve deixar a vaga em breve para retorno do titular, Luiz Lacerda.

Dos 23 eleitos para a legislatura 2013-2016, seis trocaram de partido. O mais prejudicado com as brechas abertas pela legislação que fomentaram a infidelidade partidária foi o PTB, hoje apenas com o vereador Jean Carlos. Além de Pedrinho Porto Rico, o parlamentar que mais mudou de sigla no atual mandato, houve a perda também de Frei Valdair, atualmente no PSB.

Além do PTB, outros cinco partidos seguem com apenas um nome na Câmara Municipal: PMDB com Eli Rosa (que não deve ser candidato à reeleição, pois promete disputar a prefeitura); DEM com Miguel Marrula (que é suplente); PDT com Paulo de Lima; PP com Pedro Mariano e PSL com Sargento Pereira Júnior.

O PTN conseguiu conservar seus dois vereadores, Gleimo Martins e Sargento Alberto, embora ambos tenham sido bastante assediados no período da janela partidária.

 

Projeções

A troca de partido neste período da janela não representou somente a tentativa de acompanhar um pré-candidato a vereador. No caso daqueles que vão defender mandato na Câmara Municipal, a questão é muito mais pragmática: busca-se uma sigla mais confortável para garantir a reeleição.

O PSDB com pelo menos cinco vereadores que vão buscar a reeleição (Fernando Cunha disse que deixará a vida pública em 31 de dezembro) se espelha no PT de 2012. Naquele pleito, o partido do atual prefeito teve 42 candidatos, que somaram juntos 24.365 votos.

Ancorado em um candidato na chapa majoritária com popularidade beirando os 90%, o ex-prefeito Antônio Gomide, o Partido dos Trabalhadores conseguiu uma cadeira na Câmara Municipal simplesmente com os votos de legenda, que somaram 8.084.

O PSC, então comandado pelo deputado Carlos Antonio, também teve desempenho surpreendente. Com 45 candidatos conseguiu arregimentar 22.326 votos, conquistando quatro cadeiras de vereador. Os votos de legenda foram poucos: 382 no total.

 

BOX:

 

BANCADAS

 

PT

Alfredo Landim

Dinamélia Rabelo

Eber Mamede

Geli Sanches

Lisieux Borges

 

PSDB

Amilton Filho

Mauro Severiano

Mirian Garcia

Pedrinho Porto Rico

Vespa

 

PSC

Jerry Cabeleireiro

Wederson Lopes

Wilmar Silvestre

 

PSB

Frei Valdair de Jesus

Jakson Charles

 

PTN

Gleimo Martins

Sargento Alberto

 

PMDB

Eli Rosa

 

PTB

Jean Carlos

 

DEM

Miguel Marrula

 

PDT

Paulo de Lima

 

PP

Pedro Mariano

 

PSL

Sargento Pereira Jr

 

 

 

Deixe um comentário