Home Política Ouro Verde, atualmente uma cidade repleta de diversos problemas

DA REDAÇÃO

Ouro Verde de Goiás, anteriormente Distrito de Matão, integrante do município de Anápolis, passou à condição de cidade através da lei 4.592, de 1º de outubro de 1963. Portanto, o município conta hoje com 52 anos completos. Trata-se de uma região belíssima tendo como expoente a Serra do Mizael, com 1.155 metros de altitude e também a Serra da Jurema, com rara beleza. As riquezas naturais são imensas, com fauna e flora exuberantes.

Trata-se de uma cidade com pequena densidade populacional, próxima de dois grandes centros urbanos, Anápolis e Goiânia. Seu povo mantém aquela característica de cidade do interior. Segundo o censo de 2010, a população do município é de 4.040 habitantes. No entanto, a carência de serviços públicos é um destaque negativo.

ESPORTE
Os amantes do futebol amador, que muitas glorias deu ao clube local, reclamam a falta de um local adequado para a prática. Até 2013 existia um bom campo gramado, palco de grandes jogos com equipes de Anápolis, Nerópolis e Campo Limpo. Hoje não mais existe.

Foi prometida a construção de um estádio, melhor que o campo anterior, no entanto passados mais de três anos, a promessa não foi cumprida, existindo apenas uma área terraplanada e que não recebeu nenhum benefício, além do mato que busca retomar o local.

LIXO
A cidade não possui um local para descarte do seu lixo, o que é feito em um lixão a céu aberto, a poucos metros da área de habitação e que hoje serve como moradia de uma centena de urubus. Além do mau cheiro, existe o risco de contaminação humana em razão de o lixo estar a céu aberto, sem qualquer tratamento.

SAÚDE
Outra reclamação dos moradores é a deficiência dos serviços de saúde. Moradores consultados revelam que quem precisar de atendimento médico tem que contar com a sorte, pois em janeiro deste ano a prefeitura dispensou todos os médicos que atendiam a população (pediatras, ginecologistas, etc), fazendo com que qualquer atendimento tenha que ser realizado em Anápolis, Nerópolis ou Goiânia.

SOCIAL
Na área social, até o ano de 2012 eram distribuídas cestas básicas às famílias carentes. A partir de 2013 foi criado um cartão para que estas famílias pudessem realizar compras no comércio local, no entanto, são raros os meses que há recursos destinados pela assistência social para esta finalidade. Com isto, as famílias que antes tinham mensalmente uma cesta suficiente para atravessar 30 dias, passam dificuldades e não conseguem ter acesso ao benefício.

CONTAS PÚBLICAS
A reportagem buscou informações sobre as contas municipais através do site do TCM-GO e, segundo o Despacho nº 1581/2016, processo 06516/2016, o citado Tribunal de Contas informa que em 2015 a receita arrecadada atinge um total de R$ 16.921.794,49.

Apesar de ser a maior receita já arrecadada pelo Município, o gasto dentro do exercício foi maior que a arrecadação, ou seja, foram gastos além do arrecadado R$ 806.191,89, que foram inscritos em restos a pagar, sem qualquer disponibilidade de recursos para saldar essa dívida. Em outras palavras, a prefeitura gastou mais do que arrecadou, transferiu a dívida para o ano de 2016 e com isto, a administração iniciou o novo exercício já devendo quase um R$ 1 milhão.

Além de gastar mais do que arrecadou, a prefeitura não cumpriu a obrigação constitucional de transferir integralmente o valor referente ao duodécimo destinado ao Poder Legislativo, deixando de repassar R$ 62.180,04, conforme traz o Relatório Preliminar 00380/2016, Processo nº 02449/2016, emitido pelo TCM-GO. Trata-se uma irregularidade gravíssima em razão de que a Constituição Federal traz expressamente em seu artigo 29-A, § 2º, III, que constitui crime de responsabilidade do prefeito o repasse de valor inferior ao estabelecido.

PROMESSA
Uma curiosidade e que chama a atenção de quem visita Ouro Verde é uma placa existente na Praça do Rosário que diz, “Nesta praça será erguida a sede do Poder Executivo municipal”, trazendo como data 01/10/2013 e, após quase três anos não há qualquer sinal de que a obra tenha se iniciado.

Segundo um morador antigo da cidade, faltou dinheiro para colocar o primeiro e os demais tijolos, mas “se Deus quiser um dia a prefeitura será erguida, ali ou em outro lugar”. Por enquanto só existe a placa. Esta é a realidade do município de Ouro Verde de Goiás, belezas naturais, um povo acolhedor e uma série de problemas enfrentados pela sua população.

6 Respostas a este post
  1. Sensacional essa matéria sobre Ouro Verde de Goiás, infelizmente é a mais pura verdade, parabéns pela reportagem, Abraços.

  2. Bonitões que escreveram essa reportagem certamente não vivem em Ouro Verde. Tem 26 anos que eu moro na cidade e nunca vi nenhum sinal de melhoria. A cidade parecia um museu, pois não tinha uma obra ou se quer uma melhoria em qualquer área social e urbana. Em 3 anos vejo a cidade mudando pra melhor, a saúde é referência. A educação também. Tenho certeza que mais de 70% da população está satisfeita atualmente e não quer o retrocesso de administrações anteriores. Sabe o que é mais engraçado? É que a pessoa que pede para ser feita ou redige uma reportagem dessa, não use esse tempo para formular e criar projetos de leis e melhorias para a cidade. Ao invés de ficar colocando as mentiras que a população está cansada de ouvir naqueles carros de som nas ruas de Ouro Verde. A população, a democracia, não suporta mais essa política suja, do ataque, das mentiras que já foi feita na eleição presidencial e que querem repetir agora nas eleições municipais. Estamos cansados já. Por gentileza, quem escreveu essa reportagem, vá mais vezes em Ouro Verde! Porque, tirando a parte do lixo, que realmente ainda é um critério a ser melhorado, a cidade funciona muito bem, como nunca antes havia caminhado para o progresso.

  3. Vamos lá, um bom campo. Se era um campo que não tinha nem arquibancada não é um bom campo! Quem já se tornou um profissional através dele? Atualmente vejo várias pessoas que conseguiram curso superior, ou seja construir uma escola e deixar um campo destruído. Voto na construção da escola.
    Questão do lixo, nunca teve lixão aqui em Ouro Verde de Goiás por que em gestões passadas ele não foi feito, durante 08 anos não houve nenhum beneficio, pra onde foram várias verbas que chegavam pra cá?
    Saúde, pelo jeito esse jornal não sabe sobre a crise do País. Pois então, o atual prefeito economizou e todos os médicos estão atendendo novamente.
    Social, todos que participam do benefício nunca deixaram de receber. Mais uma mentira!
    Contas Públicas, o atual prefeito pegou a prefeitura com mais dividas que passavam de 1.000.000,000, e conseguiu parcelar tudo, e hoje o pagamento é feito sem nenhum atraso. Na gestão passada nem certidão para receber benefícios o município tinha, só ia para o bolso dos poderosos.
    Manda esse povinho que te pagou pra você publicar essas mentirinhas sem nexo, sair do escuro e falar o que eles fizeram para Ouro Verde. Já era de se esperar, politica suja é com vocês mesmo. Falem muito, inventem muito. O povo de Ouro Verde não é cego. 08 anos de gestão pra nada acontecer. Jornal fraco esse.

Deixe um comentário