Ad
Home Últimas Notícias Mais de 2 mil pessoas já foram vacinadas em Anápolis na Campanha...

A Campanha Nacional de Multivacinação para atualização da caderneta da criança e do adolescente, até o momento, teve um bom desempenho na cidade. Mais de 2 mil pessoas já compareceram às unidade de saúde e distritos para colocar a imunização em dia. Adultos também aproveitam o momento para se proteger contra a febre amarela.

Para aqueles que perderam o Dia D, todas as unidades básicas de saúde; unidades de Saúde da Família; e os Cais 24 Horas, continuam realizando a atualização dos cartões de vacina até a próxima sexta-feira, 30. Apesar da campanha não ter uma meta estabelecida pelo Ministério de Saúde, a expectativa é que as pessoas continuem buscando as unidades durante essa semana.

No mês de setembro, todos os profissionais de saúde que estão trabalhando nas salas de vacina participaram da capacitação sobre cada esquema vacinal e como identificar as vacinas que ainda não foram tomadas por cada indivíduo. No total, 14 vacinas estão sendo aplicadas durante a campanha: Bacillus Calmette Guérin, contra a tuberculose; Hepatites A e B; Pentavalente, contra tétano, difteria, coqueluche influenza tipo B e hepatites tipo B; VIP contra pólio, inativada; VOP, contra pólio via oral; VORH contra rotavírus; Pneumo10 contra os dez tipos de pneumonia; contra meningite C; Tríplice Viral contra caxumba, rubéola e sarampo; Tetra Viral contra caxumba, rubéola, sarampo e varicela; DTP contra difteria, tétano e coqueluche (segunda dose), HPV contra o câncer de colo de útero; e Febre Amarela.

Febre amarela
Goiás encontra-se na região endêmica brasileira, portanto, todas as pessoas que residem ou estão visitando o estado devem estar vacinados contra a doença. Para as pessoas que já tomaram duas doses da vacina, não é necessária uma terceira dose.

A febre amarela é uma doença transmitida por picada de mosquitos na zona urbana ou silvestre. Têm início súbito com sintomas gerais como: febre, calafrios, dor de cabeça, dor lombar, dores musculares, prostração, náuseas e vômitos. A forma grave caracteriza-se por insuficiência hepática e renal. Em muitos casos, pode levar à morte.

Deixe um comentário