Ad

eleicoes-2016-finalFernanda Morais

Os juízes eleitorais de Anápolis se reuniram, nesta terça-feira (27/9), no Cartório Eleitoral, com representantes das polícias Militar, Civil e Federal, para traçar estratégias de segurança para o dia da votação, marcado para domingo, 2 de outubro.

“Conversamos sobre as regras que devem ser fiscalizadas e obedecidas não só no próximo domingo, mas também nos dias que antecedem a votação”, destacou o juiz Algomiro Carvalho Neto, da 141ª Zona Eleitoral, acrescentando que na reta final da campanha os ânimos ficam acirrados com os candidatos intensificando suas ações na tentativa de conquistar o voto do eleitor.

Sobre a Lei Seca que normalmente era decretada no dia da votação, Algomiro Carvalho informou que não existe nenhuma portaria proibindo a venda de bebidas alcoólicas no domingo, porém ele avisa que o eleitor deve ter bom senso e evitar comparecer na seção eleitoral embriagado. “O chefe de seção pode impedir que essa pessoa vá até a urna caso comprove a sua incapacidade de votar. Além de tudo é preciso evitar tumultos já que são milhares de pessoas aguardando para exercer o seu direito de cidadão”, acrescentou.

Algomiro destacou que é importante divulgar o que pode e o que não pode ser feito para diminuir a prática dos crimes eleitorais. O juiz disse que ficou satisfeito com a interação e a parceria que os presentes na reunião demonstraram ter com a Justiça Eleitoral. “Todos estão preparados e com planejamento para que a votação transcorra de maneira pacífica na cidade”, falou.

O juiz informou que a partir desta terça-feira, cinco dias antes do primeiro turno das eleições, nenhum eleitor pode ser preso ou detido, a não ser em flagrante para cumprimento de sentença criminal. Segundo o calendário eleitoral, essa garantia é válida até 48 horas após o pleito, ou seja, até a terça-feira, dia 4 de outubro. Foi lembrado também que a propaganda no rádio e na TV termina na próxima quinta-feira (29).

Quem cometer crime eleitoral no dia da votação será conduzido até a Delegacia da Polícia Federal para instauração do procedimento cabível. De acordo com o juiz, se houver algum impedimento, o detido é encaminhado para o auditório da UEG, que fica próxima à PF para aguardar a disponibilidade do atendimento na polícia. Quem cometer crime eleitoral nas cidades de Campo Limpo e Ouro Verde será trazido para Anápolis. “Os crimes mais comuns é a compra de voto, distribuição de brindes e boca de urna. Estaremos atentos para combater essa prática”, disse.

O que diz a PM
O subcomandante do 3º CRPM, tenente-coronel Paulo Roberto, destacou que todo o efetivo da corporação estará disponível para colaborar com a Justiça Eleitoral. Segundo ele, já existe um planejamento para garantir cobertura policial em toda a cidade. “O domingo será de trabalho, considerando que são mais de 100 locais de votação em Anápolis com a utilização média de 600 urnas”, comentou.

O oficial acrescentou que alguns policiais serão destacados para fazer a segurança pessoal dos juízes e promotores eleitorais. Os locais de apuração dos votos também terão atenção especial da PM. Além disso, a força tarefa de segurança acontecerá nos quatro distritos de Anápolis (Joanápolis, Goialândia, Interlândia e Souzânia). “A PM vai colaborar para que seja um dia de votação tranquilo na cidade”, finalizou.

Deixe um comentário