Home Política Roberto Naves é eleito o novo prefeito de Anápolis

roberto_navesEleito prefeito de Anápolis com 88.730 votos, Roberto Naves, do PTB, fala em sua primeira entrevista coletiva sobre o sentimento de vencer uma disputa acirrada e afirma que não fez compromissos e sua equipe partirá do zero

LUIZ EDUARDO ROSA

88.730 votos dos anapolinos deram ao candidato Roberto Naves (PTB) e seu vice, Márcio Cândido (PSD), a vitória nas urnas neste 2º turno. A diferença foi acirrada, com 4.255 votos contra a chapa João Gomes (PT) e Eli Rosa (PMDB). Neste cenário, Roberto reafirma os fatores que contribuíram ao sucesso de sua campanha e ressalta o que é o papel do prefeito de Anápolis. Dois pontos centrais foram a afirmação de que não há uma equipe que loteará a administração municipal e a articulação necessária no Estado e na União para cobrar o devido respeito da cidade a partir de seu potencial político. As perguntas que se seguem foram feitas por repórteres em entrevista coletiva dada por Roberto logo após a proclamação do resultado, no domingo (30).

O que sente neste momento de vitória nas urnas?
Uma sensação muito boa. Sabemos que foi uma eleição muito difícil, onde o candidato João Gomes valorizou muito essa disputa no segundo turno. Entendemos que a cidade de Anápolis conseguiu captar a mensagem de nossa campanha, valorizar nossas propostas que buscam soluções para nossa cidade, melhorando a qualidade de vida da população anapolina. Mesmo estando felizes, estamos também conscientes da responsabilidade. Neste sentido contamos com o apoio de toda a imprensa, da sociedade organizada, da Câmara Municipal, para que possamos governar nossa cidade pelos próximos quatro anos. O sentimento também é de dever cumprido, de fazer uma campanha limpa e barata, mostrando que realmente é possível de fazer uma nova política. Mostramos ao povo brasileiro que não precisa perder a esperança, que a gente precisa é acreditar que é possível fazer campanha sem carreata, sem gasolina, sem compra de voto e foi isso que mostramos. Para que essa campanha limpa aconteça, precisamos de ter como principal parceira a população.

Qual o impacto do último debate neste resultado?
Uma eleição acirrada, como essa, não é decidida por um detalhe, como o último debate. Na verdade é um conjunto de fatores. Com certeza tudo contribuiu para o resultado. Contribuiu no sentido que construímos uma história de 75 dias, então não posso dizer que o último debate por si só foi determinante. Já tínhamos consciência do que nós éramos, quem somos e a capacidade que nós temos para poder buscar as soluções com as pessoas.

Já tem uma equipe construída, está em formação?
A equipe está no zero. Não foi feito compromisso com nenhum partido político, não foi feito acordo com nenhuma pessoa, não foi loteada a Prefeitura. Com isso teremos a liberdade de pensar e escolher pessoas tecnicamente capazes de buscar a solução para nossa cidade. O caráter técnico é o perfil de nossa equipe, com toda a certeza.
Das propostas apresentadas durante a campanha, o que o povo anapolino pode esperar?
O povo anapolino pode esperar um prefeito que já recebia ligações de nosso governador Marconi Perillo, se colocando à disposição para concluir as obras, para buscar uma solução para a questão da água. Pode esperar por um gestor que trabalhará 24 horas por dia, para resolver os problemas da saúde, para resolver os problemas da segurança pública de nossa cidade.

Se você se imaginasse sentado na sua mesa, no primeiro dia à frente da prefeitura, qual seria o primeiro despacho de seu gabinete?
Eu não consegui pensar nisso ainda, fui um candidato que coloquei Deus na frente e fiz minha parte. Eu não sofri por ansiedade, não consegui visualizar isso ainda. O que consigo visualizar é o Roberto sentado com sua equipe de transição contando com a colaboração do atual prefeito, João Gomes. Contando também com a ajuda da sociedade civil organizada. Para que a gente possa organizar a cidade de Anápolis em sua situação real, para que possamos buscar a qualidade de vida para a população.

O atual prefeito e concorrente eleitoral, João Gomes, ligou para você. O que ele falou?
O João é uma pessoa que tenho um respeito muito grande, tenho um carinho muito grande. Nós sofremos ataques durante a campanha, mas tenho certeza que nenhum destes ataques partiu do João. Nós sabemos que ele pertence a um partido político e que nem sempre tem o controle de tudo aquilo que acontece. João ligou para mim parabenizando e eu já tinha dito a ele após o último debate. Reafirmei o carinho e o respeito que tinha com ele e continuarei tendo.

Qual será o papel do vice em seu governo?
O vice, na verdade, se chama vice-prefeito, ele terá um papel muito importante, como também de um prefeito. Márcio Cândido é uma pessoa que somou muito, ele sempre esteve nos momentos mais difíceis e terá um papel muito importante no nosso governo. Porque precisamos administrar a Prefeitura dentro do que precisa ser reorganizado e enxugado. O Vice inclusive pode ocupar mais de uma função.

O que marcou o tom nesta eleição foi a questão da falta de água. O que será feito inicialmente a este respeito?
Nem digo nos primeiros dias de nossa administração, nesta semana quero discutir isso com o governador Marconi Perillo. Nós vamos colocar na mesa, sabendo e mostrando para ele a importância que tem a cidade de Anápolis. Acho que a principal característica que um prefeito de Anápolis tem que ter é conhecer o peso político que essa cidade tem. O país tem que respeitar Anápolis, Goiás tem que respeitar nossa cidade.

Esta foi uma disputa acirrada em uma vitória com um pouco mais de 4 mil votos. Como avalia?
Se você vencer com um único voto à frente, é uma vitória. Nós sabíamos que seria uma eleição dura e difícil, enfrentamos a máquina pública e nos propomos a fazer uma nova maneira de fazer política, que é sem dinheiro. Sabíamos de todas as dificuldades, mas enxergamos que a Câmara Municipal teve 66% de renovação, enxergamos que temos uma maioria de vereadores nos apoiando. Esta é a força que teremos para buscar o que há de melhor à cidade.

Qual a característica do homem Roberto, que o anapolino perceberá em sua gestão?
As principais características são de ser uma pessoa destemida e que realmente trabalha. É de ser um grande gestor, uma pessoa que não economizará tempo e trabalho para buscar as soluções. Na minha vida inteira foi assim, sou muito intenso e assim serei nos próximos quatro anos em função da nossa população.

Como aproveitará o apoio dos deputados federais para Anápolis?
Não somente aproveitarei o deputado do nosso partido (PTB), mas com os deputados Alexandre Baldy, Fábio Souza e João Campos, como outros que estou esquecendo. Vamos cobrar dos deputados federais, dos ministros, os investimentos para a cidade de Anápolis. É para isso que nos candidatamos a prefeito da cidade e é isso que faremos junto ao Governo Federal. Temos também um grande parceiro em Brasília que é o Ministro da Fazenda, o anapolino Henrique Meirelles.

Tem a sensação que está pegando uma caixa-preta que é essa última gestão?
Não adianta a gente trabalhar com hipóteses. O que precisamos é organizar um governo de transição, de maneira democrática, para discutir a real situação da prefeitura. Eu sempre disse durante minha campanha, não irei administrar a cidade com “achologismo”, seria muita irresponsabilidade de minha parte dizer o que vou pegar. Precisamos realmente é levantar a situação e ver, com certeza, o que é a realidade e não jogando pedra no que nem se conhece.

Você acha que dentro do período de quatro anos é possível realizar suas propostas?
Nossas propostas são simples e poderemos cumprir até em um tempo menor. Não tivemos promessas, foram propostas simples que visam transformar a vida da população anapolina em um curto prazo de tempo. Então quatro anos será mais que suficiente para que possamos resolver esses problemas que apresentamos e que possa transformar a cidade para voltar a crescer de novo.

Deixe um comentário