Home Cidades Especial Bairros: Conjunto Raul Balduíno ajudou região a crescer

paca-dr-washington-valente-111116-4LUIZ EDUARDO ROSA

O Estádio Jonas Duarte estava com poucas residências vizinhas ao seu redor, um empreendimento de moradia social acabou adensando a região. O Conjunto foi fruto de verbas federais destinadas ao setor e participação do Município para a implantação do empreendimento. O nome do setor leva o nome do prefeito no período de implantação do Conjunto e que foi uma das lideranças do Movimento Democrático Brasileiro no período da Ditadura Militar (1964-1984). Documentos e o relato de um ex-prefeito apresentam as histórias do Conjunto e do homenageado.

A venda dos lotes do Estádio Manoel Demóstenes, no Centro, foram os recursos iniciais para o financiamento do Estádio Jonas Duarte, na região da Vila Miguel Jorge. A operação feita pelo então prefeito, Jonas Duarte, relocou o foco do futebol na cidade de uma área central e com uma estrutura que não oferecia condições para o nível profissional do esporte, para uma área mais distante, porém com estrutura de um estádio que ofereceu as condições necessárias. “Quando o Estádio Jonas Duarte foi inaugurado, eram poucas residências e edifícios que havia na região vizinha”, explica o ex-prefeito, Adhemar Santillo.

“O que impulsionou a ocupação na região vizinha ao Estádio Jonas Duarte foi o Conjunto Habitacional Raul Balduíno”, afirma Adhemar. A partir de verbas federais do Banco Nacional da Habitação (BNH) houve a autorização no Município para realizar o repasse do Fundo de Participação dos Municípios para a construção do Conjunto Habitacional. Os recursos foram passados do BNH para a Companhia de Habitação Popular de Goiás (Cohab-GO), sendo pagos pelo Município. Um financiamento que, segundo a Lei Municipal nº 108/68, foi de aproximadamente no valor de 137,7 mil cruzados novos (Ncr$). Os lotes seguiram a metragem estipulada pelo BNH de 200 m2.

Prefeito
A reeleição surge somente em 1997, com uma emenda a constituição de 1988 que mantinha proibia os candidatos do poder Executivo, nas três esferas. O prefeito Jonas Duarte terminou seu mandato em 1965 e, segundo artigo de Adhemar de 2011, não houve a preparação de outro candidato para manter a linha progressista no Município. Segundo Adhemar, o costume político era de levantar nomes às vésperas do prazo do registro das candidaturas. Para as eleições de 1966, além de não ser possível a reeleição, também se votava no Prefeito e no Vice-Prefeito. Em outubro de 1965, o Ato Institucional Nº 2 (AI-2) reduziu o pluripartidarismo ao sistema de dois partidos, sendo eles o Movimento Democrático Brasileiro (MDB) e a Aliança Renovadora Nacional (Arena).

Neste cenário, surge o nome do médico Raul Balduíno, que era do município goiano de Posse. A candidatura de Raul foi postulada pelo MDB, partido ao qual ingressou com o imperativo do bi partidarismo. Na ocasião, apoiadores do prefeito Jonas Duarte recorreram a um nome que não tivesse militância política, para poder concorrer às eleições, articulando apoio com grupos para além da situação. Do outro lado, concorria o vice-prefeito, agora a prefeito, Henrique Fanstone, que em seus comícios tinha grande presença de pessoas. Raul ganhou a disputa eleitoral.

É atribuído à gestão de Raul Balduíno a implantação do Pronto Socorro, que atualmente é o Hospital Municipal Jamel Cecílio. Em matérias anteriores, foi abordada a construção do Estádio dos Amadores Zeca Puglise, onde oportunizou o fortalecimento do futebol amador. As duas obras deram a configuração singular da cidade no Estado, de abrigar um estádio para o futebol profissional e outro dedicado ao amador. Além do financiamento BNH para o Conjunto Habitacional com seu nome, houve também unidades para o bairro Vila Formosa.

Deixe um comentário