Home Política Roberto diz que boa relação com João é a ‘nova política’

robertoMARCOS VIEIRA

Na primeira aparição juntos em um evento oficial após o resultado das urnas, o prefeito João Gomes (PT) e o prefeito eleito Roberto Naves (PTB) trocaram elogios, afirmaram que são amigos apesar da disputa eleitoral e deram indícios de uma transição de governo tranquila. O petista e o petebista participaram da abertura do Seminário de Orientações de Práticas Legislativas, organizado na sexta-feira (18) pela Câmara Municipal de Anápolis, com a presença de vereadores eleitos e reeleitos para a legislatura 2017-2020.

João e Roberto já tinham se encontrado um dia antes, no gabinete do prefeito, em reunião que durou cerca de cinco horas. No evento da Câmara, o prefeito eleito começou seu discurso dizendo que faria um “elogio aberto” a João Gomes. “Nossa amizade aumentou [após a eleição]. Quero agradecer e parabenizá-lo por todo amor que tem pela cidade de Anápolis”, afirmou.

Ao dirigir a palavra aos vereadores, Roberto disse que todos eles precisam entender as dificuldades que serão enfrentadas quando assumirem seus mandatos. “O mau humor da população no que diz respeito à política não vai mudar da noite para o dia. A sociedade espera uma resposta rápida”. Segundo ele, o relacionamento com o prefeito João Gomes trata-se da “nova política”, um termo utilizado por diversas vezes por Roberto durante a campanha.

O prefeito eleito também falou para os vereadores que pretende ser parceiro do Legislativo, não em uma relação de troca de favores, mas permitindo que os vereadores participem ativamente da gestão municipal. “Porque sozinho não vou governar uma cidade como Anápolis”, justificou.

Em um discurso mais longo, o prefeito João Gomes agradeceu os vereadores da atual legislatura pela parceria ao longo dos oito anos de governo petista e frisou que Roberto Naves pode contar com ele a partir do próximo ano. Em um misto de prestação de contas e desabafo, com pitadas de orientações aos políticos eleitos, João disse que se preocupou em administrar a cidade, sem falar mal de antecessores. “Falar é fácil, agora quero ver sentar naquela cadeira”, comentou.

O petista lembrou aos eleitos que um cargo público começa com ônus, para só depois vir os bônus. “E tem que fazer gestão, não é só fazer política”. Já falando de 2018, João criticou aqueles que trazem candidatos a deputado estadual de outras cidades para buscar votos em Anápolis. Segundo ele, nos últimos anos a prefeitura não teve “nenhum centavo” vindo de estaduais. “Somente de deputados federais”, completou, citando partidos de diferentes partidos.

Para o prefeito, os vereadores têm uma parcela muito grande de responsabilidade nesse processo, já que podem evitar que esses votos da cidade beneficiem políticos de fora. O caminho, no caso, seria não apoiar candidatos de fora, como vem ocorrendo nos últimos anos. Por fim, João desejou um bom trabalho a todos os eleitos. “Que exerçam seus mandatos de cabeça erguida, se dedicando à cidade nos próximos quatro anos”.

Seminário
O Seminário de Orientação sobre Práticas Legislativas, organizado pela Câmara Municipal de Anápolis, tem o objetivo de contribuir com a formação técnica e política dos vereadores da 18ª legislatura, que assumem mandato em 1º de janeiro de 2017.

O seminário teve uma abertura solene, com pronunciamento do presidente Lisieux José Borges (PT), do prefeito João Gomes (PT) e do prefeito eleito Roberto Naves (PTB). Em seguida, os novos vereadores, que assumem mandato a partir de 2017, tiveram dois minutos cada para se apresentarem.

No período da tarde, o procurador-geral da Câmara Municipal, Carlos Alberto Lima, e o diretor Legislativo da Casa, Arunan Pinheiro Lima, apresentaram detalhes das práticas legislativas, como organização dos gabinetes, Lei Orgânica do Município, Regimento Interno, informações sobre projeto de lei, requerimentos e outras proposituras.

O presidente Lisieux Borges frisou a importância do treinamento dado pela Escola do Legislativo, organizadora do seminário, para os vereadores novos. Ele também disse que a interação é outra característica importante do evento.

“Há quatro anos a Casa foi renovada como agora e passamos por um treinamento semelhante. Todos nós achamos importante”, comentou Lisieux. Segundo ele, uma dica aos novos parlamentares é ter uma assessoria forte, mantendo com sua equipe uma convivência harmoniosa.

Lisieux Borges nominou os diretores da Câmara Municipal, ressaltou a importância de cada departamento e destacou a importância do Regimento Interno e da Lei Orgânica do Município (Loma) para o vereador. “São verdadeiras bíblias para o parlamentar”.

O presidente também falou sobre o Portal da Transparência e o Centro de Documentação (Cedoc), duas ferramentas para os vereadores, modernizadas pela atual administração da Mesa Diretora.

Preparação
Coordenadora da Escola do Legislativo, a vereadora Professora Geli Sanches (PT) comentou que o Seminário de Orientação sobre Práticas Legislativas, faz parte de uma preparação importante para aqueles que estão chegando à Câmara Municipal de Anápolis a partir de 2017 e também de reciclagem para os que já exercem mandato e foram reeleitos.

“A Escola do Legislativo foi criada para formar técnica e politicamente vereadores e assessores e também para promover cursos externos para embates sociais”, explicou Geli Sanches.

A vereadora disse que o seminário foi solicitado ao presidente Lisieux José Borges (PT), que prontamente atendeu ao pedido da Escola do Legislativo, sobretudo por entender que a interação é importante entre os vereadores atuais e os que vão assumir mandato. “São 15 novos vereadores, embora tenhamos alguns que já passaram pela Casa. Mas é importante tratar das mudanças regimentais e do processo legislativo, a alma da Câmara”.

Segundo Geli, cerca de 90 pessoas estiverem presentes no seminário, entre vereadores, assessores e funcionários técnico-administrativos da Câmara Municipal de Anápolis.

SAIBA MAIS
Transição é lei

A transição de governo está regulamentada na Lei Orgânica do Município de Anápolis (Loma), no artigo 72. Ele diz que o prefeito deve, 30 dias antes de deixar o mandato, constituir Comissão de Transição para fornecer ao prefeito eleito as informações necessárias à complementação do seu programa de trabalho. Parágrafo único diz ainda que essa comissão deverá também ser integrada por representantes indicados pelo prefeito eleito.

O prefeito João Gomes nomeou três auxiliares de sua gestão para a Comissão de Transição: Ceser Donisete Pereira, Wilmar Jardim e José Roberto Mazon. Já o prefeito eleito Roberto Naves indicou os seguintes nomes: Alex Martins, Luzia Cordeiro, Geraldo Lino, Daniel Fortes e Hyulley Machado.

Deixe um comentário