Ad
Home Destaques Após 9 anos de luta, restauração da Estação Ferroviária será entregue na...

Na próxima quarta-feira (21/12), ás 19h30 acontece o evento de entrega da restauração da Estação Ferroviária José Fernandes Valente, na Praça Americano do Brasil.

Restaurar um prédio histórico é um trabalho difícil e meticuloso. Além de recompor toda a estrutura física, também foi necessário fazer um trabalho artístico refazendo todos os detalhes de pinturas e arquitetura originais da época.

A expectativa é que no espaço funcione o Centro Cultural de Preservação da Memória Maestro Sisenando Gonzaga Jaime, que vai abrigar o Museu da Imagem e do Som e o Centro de Memória do Transporte, relembrando a história dos ferroviários. O local também poderá receber exposições e intervenções artísticas.

Depois da aprovação de projeto apresentado pela Secretaria Municipal de Cultura ao Ministério da Justiça, foi possívelobter os recursos necessários para restauração, no valor de R$ 400 mil, quase no valor do o orçamento total que foi de R$ 538.878,49.

Luta pela preservação do prédio

A intervenção, que começou em novembro de 2015, só foi possível graças a uma luta trava no Ministério Público em 2007, pelo historiador Jairo Alves Leite, que na época era diretor do Museu Histórico de Anápolis e presidente do Conselho Municipal do PatrimônioHistórico e Cultural. Na época, foi preciso regularizar o tombamento com um inventário, um livro de tombo e uma averbação em cartório.

Jairo alegou que o espaço, que é tombado como patrimônio histórico do município, estava abandonado e precisava ser preservado. “É importante esse resgate da memória anapolinaatravés de um prédio de valor histórico. Ele é fundamental não só Anápolis, como também para Goiás” reforçou o historiador.

Hoje Jairo é o presidente do Instituto de Patrimônio Histórico e Cultural Professor Jan Magalinski. Ele acredita que a estação também tem potencial para sediar Museu dos Imigrantes e Ferroviários do Estado de Goiás.

Atualmente o local representa desenvolvimento econômico que chegou a Anápolis pelos trilhos da Estrada de Ferro, na década de 1930.

Deixe um comentário