Ad
Home Últimas Notícias Goiás não tem risco de surto de febre amarela, afirma médico infectologista

LUANA CAVALCANTE

Mesmo com o surto de febre amarela, que infelizmente atinge Minas Gerais, Goiás não está em alerta. O médico infectologista, Marcelo Daher, afirmou que não existe nenhum caso da doença em Goiás e o motivo que ele citou foram os surtos que tiveram em 2008 e também no ano passado.

Segundo os dados do Ministério da Saúde, foram três óbitos em Goiás só em 2016. Com isso, Goiás recebeu o reforço das imunizações e tem trabalhado para que as pessoas tenham acesso às vacinas. Segundo o médico infectologista Marcelo Daher, são chamados surtos porque não deviam aparecer nenhum caso, mas nada tem se comparado com a situação em Minas Gerais.

Goiás está em uma região endêmica, ou seja, uma área que a doença pode surgir a qualquer momento. Por isso, a atenção com a febre amarela sempre foi constante. Em Anápolis, Marcelo Daher ressaltou que não há casos de febre amarela há muitos anos então a população não precisa entrar em pânico.

Ele explicou que para estar protegido da doença, basta ter no calendário de vacina duas doses desta imunização, e não precisa de reforço. “Não há necessidade das pessoas procurarem a vacina se já está tudo em dia. A vacina é eficaz, não importa quanto tempo essa pessoa já foi imunizada, com duas doses não há riscos”, falou.

Reforço da imunização

Nesta quarta-feira (18/01), foram confirmadas oito mortes por febre amarela em Minas Gerais. O Ministério da Saúde confirmou que a doença foi contraída no meio rural. Em todo o estado, já são 206 casos suspeitos de febre amarela. Alguns casos suspeitos apareceram em Espírito Santo.

Para combater o surto, o Ministério da Saúde anunciou que os estados do Rio de Janeiro (nos municípios do noroeste) e Bahia (nos municípios do oeste) passarão a reforçar a vacinação da população que mora próxima à divisa do leste de Minas Gerais com casos suspeitos. O oeste do Espírito Santo já está intensificando a vacinação em 26 municípios do estado.

Mesmo com o alto número de óbito por febre amarela, e a quantidade de casos suspeitos, o Ministério da Saúde avaliou a situação como controlada.

Para auxiliar na intensificação da imunização nos estados, o Ministério da Saúde já enviou 1,6 milhão de doses extras de vacina para Minas Gerais, 500 mil para o Espírito Santo, 350 mil para o Rio de Janeiro e 400 mil para a Bahia.

Além disso, o Ministério da Saúde distribuiu, no mês de janeiro, 650 mil doses da vacina de febre amarela para todo o país, como parte da rotina de abastecimento do Calendário Nacional de Vacinação.

Sintomas

A febre amarela é uma doença infecciosa grave, causada por vírus e transmitida por vetores. Geralmente, quem contrai este vírus não chega a apresentar sintomas ou os mesmos são muito fracos. As primeiras manifestações da doença são repentinas: febre alta, calafrios, cansaço, dor de cabeça, dor muscular, náuseas e vômitos por cerca de três dias. A forma mais grave da doença é rara e costuma aparecer após um breve período de bem-estar (até dois dias), quando podem ocorrer insuficiências hepática e renal, icterícia (olhos e pele amarelados), manifestações hemorrágicas e cansaço intenso.

Orientações para a vacinação contra febre amarela para residentes em área com recomendação da vacina ou viajantes para essa área.

tabela_ok

1 resposta a este post
  1. preciso com uma certa urgência vacina meu filho e a mim pois iremos fazer uma viagem para o Espírito Santo e na região do Goiás especificadamente anapolis não tem em lugar algum..

Deixe um comentário