Home Cidades Uber começa a funcionar em Anápolis e provoca debates

FERNANDA MORAIS

O Uber, aplicativo de celular que conecta o passageiro a um “motorista particular” está funcionando em Anápolis. Desde a última terça-feira (14), é possível utilizar o serviço que oferece tarifas mais baixas que as cobradas pelos táxis. O assunto repercutiu na Câmara Municipal.

Luiz Lacerda (PT) foi o primeiro vereador a falar sobre o assunto no Legislativo. Em discurso na tribuna do plenário durante sessão ordinária, o petista afirmou ser preciso acompanhar a tecnologia, principalmente se for para gerar emprego e renda para a cidade. Por outro lado, ele criticou o fato de que a empresa que opera o aplicativo não procurou o poder público para debater essa proposta de transporte de pessoas.

“Não sabemos quem são esses motoristas. Se pagam seguro e se tem condições de oferecer suporte aos passageiros em caso de acidente. Não ficamos sabendo do processo de seleção desses profissionais. Nada foi feito em parceria com a Prefeitura e o assunto não passou pela Câmara Municipal”, argumentou.

O vereador fez questão de afirmar que não estava defendendo nenhuma categoria que trabalha com transporte de pessoas em Anápolis. “Não falei com ninguém do transporte coletivo, nem taxistas nem mototaxistas, categorias que, com certeza, são contrárias ao aplicativo. Só defendo aqui critérios para a prestação desse serviço, um debate no Legislativo sobre o assunto”, continuou.

Outra afirmação de Lacerda é que a empresa que opera o aplicativo não é cadastrada na Companhia Municipal de Trânsito e Transportes (CMTT), portanto, diferente do que é acordado com os taxistas e mototaxistas, os motoristas do Uber estão isentos de pagarem impostos.

“A lei que regulamenta o mototáxi, por exemplo, demorou a ser aprovada, pois foi preciso garantir que o serviço atendesse aos anseios da comunidade. Agora, do dia para a noite o Uber chega e começa uma atividade lucrativa sem qualquer critério para operação. Fica o meu alerta”, concluiu.

CMTT
No dia 19 de janeiro, em entrevista ao Jornal Estado de Goiás,o diretor da CMTT, Carlos Cesar Toledo, disse que também não tinha sido procurado pelos gestores do aplicativo. Segundo ele, sua preocupação era que a chegada do Uber trouxesse desordem para a cidade como aconteceu em outros municípios. Nesta data, inclusive, a empresa já havia feito reuniões na cidade com objetivo de recrutar motoristas para operar o aplicativo.

Mesmo assim Carlos César Toledo informou que já tinha acionado a Procuradoria [Geral do Município] para fazer um parecer jurídico a respeito da legalidade do Uber. “Se preciso for, encaminharemos um projeto para a Câmara Municipal no sentido de regulamentar o aplicativo em Anápolis. Vamos levantar os dados necessários e junto com o prefeito Roberto Naves definir qual melhor caminho seguir. O importante é não prejudicar os usuários e nem gerar desordem ou conflitos de interesses com outras categorias que fazem o serviço de transporte de passageiros”, comentou Carlos César Toledo na entrevista.

Usuários
A chegada do Uber também ganhou destaque entre os usuários que conhecem o serviço. Pelas redes sociais foram encontrados diversos comentários avaliando a qualidade dos préstimos do Uber em Anápolis. A maioria deles elogiando o aplicativo principalmente no que diz respeito à tarifa cobrada. A afirmação é que a viagem sai mais em conta que o oferecido pelos taxistas.

Aplicativo
Para quem ainda não conhece, o Uber é um aplicativo de celular que conecta o passageiro a um motorista “particular”. A pessoa pede um carro do mesmo jeito que solicita um táxi, mas por meio de um aplicativo. As viagens são pagas com cartão de crédito. O Uber é uma empresa multinacional, norte-americana e chegou ao Brasil em meados de 2014. A cidade mais próxima de Anápolis onde tem o serviço é Goiânia, onde a plataforma foi disponibilizada em janeiro do ano passado.

Em Anápolis, pelo menos neste início de trabalho, as corridas terão um custo fixo de R$ 0,75 e um preço básico de R$ 2,50. A esse valor serão somados R$ 1,19 por quilômetro rodado e R$ 0,13 por cada minuto de viagem. O preço mínimo e a taxa de cancelamento do chamado é R$6. Novos usuários que utilizarem o código “Anápolis” ganharão R$ 20 de desconto na primeira viagem. O código será válido até o dia 3 de abril.

Deixe um comentário