Home Cultura Semana dos Ferroviários une história e arte em Anápolis

Semana dos Ferroviários tem programação artística e cultural gratuita em Anápolis

ANA CLARA ITAGIBA

No dia 30 de abril de 1854, foi inaugurada a primeira estação ferroviária do Brasil e desde então, se comemora o Dia Nacional do Ferroviário nesta data. Neste ano, acontece em Anápolis do dia 25 a 30 de abril a Semana do Ferroviário, na Estação Ferroviária Prefeito José Fernandes Valente, em frente à Praça Americano do Brasil. O evento que é aberto ao público e gratuito contará com mesas redondas, apresentações musicais, exposições de arte e fotografias históricas.

A abertura acontece às 19h da terça-feira, dia 25 de abril, com apresentações de cantores anapolinos, na qual as músicas serão relacionadas ao tema. O evento contará com a participação de Carlinhos Trivelli, Ricardo Teles, Richardson Bastos, Muth Lopes e a estudante Sarah Guilhermo Galvão, de 16 anos, que escreveu uma música exclusiva para o evento.

A exposição artística é composta por obras de seis artistas plásticos, também anapolinos, que fazem releitura de uma foto do dia 7 de setembro de 1935, na Estação Ferroviária Prefeito José Fernandes Valente, dia em que ela foi inaugurada. As obras são de Napef Nazareno, Isac Alarcão, Silvio Moraes, Jaísa Parreira, Nena de Pina e Rondinele Linhares. Além destes, há a possibilidade de um desenho que remonta o mapa da Estrada de Ferro Goiás na década de 30, do designer Gedson Chrisostono.

Os estilos são completamente diferentes, sendo eles óleo sobre tela, colagem, grafite, acrílico e acrílico sobre tela. Os quadros são a representação do mesmo evento, só que a forma como cada um se expressa é completamente diferente. “O objetivo foi valorizar os artistas plásticos anapolinos e o nosso acervo. As obras ficaram incríveis”, afirma o coordenador do Museu Histórico e das Estações Ferroviárias de Anápolis, historiador Jairo Alves Leite.

A exposição fotográfica é acervo doado, em grande parte, por ex-ferroviários e familiares de pessoas que trabalharam na estação quando ela ainda estava ativada. A outra parte é fruto de pesquisas do historiador.

No dia 26 de abril, às 8h, acontece uma mesa redonda com o arquiteto Gustavo Neiva Coelho; a coordenadora do curso de História da UEG, a doutora Julia Bueno de Morais Silva; a coordenadora do Cedoc da UEG, mestre Sandra Rodart e o historiador, que também é presidente do Conselho Municipal de Patrimônio de Anápolis (Comphica) e do Instituto Jan Magalinski, Jairo Alves Leite. Na oportunidade, os especialistas falarão sobre a preservação da Estrada de Ferro Goiás. Nos dias seguintes, o espaço continuará aberto para que visitantes possam prestigiar as exposições.

A Semana dos Ferroviários será promovida pela Prefeitura de Anápolis, por meio da Secretaria Municipal de Cultura, em parceria com o Instituto Jan Magalinski e o Conselho Municipal de Patrimônio de Anápolis (Comphica). “Trata-se de um projeto com amplo apoio do nosso secretário de Cultura, Erivelson Borges, que valoriza essa relação entre a manifestação artística e o registro histórico”, ressalta Jairo Leite.

Desenvolvimento
A estação anapolina foi inaugurada com desfile e baile no dia 7 de abril de 1935. O término da obra estava previsto para um ano antes, mas na época, por falta de recursos do Governo Federal, empresários anapolinos fizeram uma espécie de “vaquinha” para concluir a obra e inaugurá-la. “A nossa estação é uma das mais bonitas de Goiás. Dentro dela foram feitas pinturas em arabesco e ela não segue o padrão de cor das estações da Estrada de Ferro Goiás. Foi diferenciado”, afirma Jairo.

Toda mercadoria que era transportada para Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo precisava ser enviada daqui. “Cereais, produtos agrícolas e outras mercadorias saiam de Anápolis para grandes metrópoles do país e isso foi fundamental para o desenvolvimento econômico do município, pois atraia comerciantes, donos de armazéns e imigrantes de todos os tipos”, explica o historiador.

Ferrovia
A proposta inicial da Estrada de Ferro Goiás foi criada no final do século 19, passando pela Vila Santana das Antas, hoje Anápolis. A ideia era criar uma linha que ligasse a cidade de Araguari (MG) até a antiga capital, a Cidade de Goiás (GO), estendendo até o Rio Araguaia. Este projeto não se concretizou. Só em 1911, começaram a construir a ferrovia no estado, mesmo assim foi um processo bastante lento, chegando a Anápolis só duas décadas depois.

A Estrada de Ferro Goiás foi uma ferrovia do Governo Federal que ligava a cidade de Araguari (MG) à Goiânia (GO). Esta linha possuía 480 km de extensão e 30 estações, uma delas a Estação Ferroviária de Anápolis.

Por muito tempo, a linha ligava Araguari até Anápolis, porque os recursos eram poucos para ligar até a Cidade de Goiás e só concluíram essa obra na década de 1950, depois da fundação de Goiânia.

2 Respostas a este post

Deixe um comentário