Home Política Maioria dos partidos de Anápolis ignora prazo para prestar contas

Apenas nove siglas vigentes na cidade estão em dias com a Justiça Eleitoral. Os inadimplentes serão notificados e terão prazo para regularizar a situação

FERNANDA MORAIS

Até a última quarta-feira (3), pelo menos 23 partidos políticos vigentes em Anápolis não tinham apresentado o relatório de prestação de contas anual para a Justiça Eleitoral. Fazem parte da lista de inadimplentes o DEM, PCB, PCdoB, PMDB, PMN, PROS, PP, PPL, PPS, PR, PRP, PRTB, PSC, PSD, PSDB, PSDC, PSL, PSOL, PEN, PSTU, PTC, PT do B e PMN. Desses, cinco lançaram candidato a prefeito ou vice em 2016: DEM (Pedro Canedo), PMDB (Eli Rosa), PSC (Valeriano Abreu), PSD (Márcio Cândido, eleito) e PSDB (Carlos Antonio).

O prazo para regularização das contas desses partidos terminou no dia 30 de abril, mas a Justiça Eleitoral prorrogou o tempo até o dia 2 de maio (última terça-feira) por conta do feriado do dia 1º (Dia do Trabalhador). Os partidos inadimplentes com a Justiça Eleitoral serão notificados e terão um prazo para regularizar a situação.

As informações foram repassadas pela chefe de Cartório da 3ª Zona Eleitoral do município, Alessiane Guimarães, ao repórter Lucivan Machado, da Rádio Manchester AM. Ela também informou que apenas nove partidos estão em dia com suas obrigações com a Justiça. São eles PHS, PDT, PRP, SD, PSB, PT, PTB, PV e o PMB.

Alessiane explicou que as legendas que não se adequarem as regras serão penalizadas. “Ficarão proibidas de lançarem seus candidatos para as próximas eleições que acontecem em 2018 e impossibilitadas de receberem recursos dos fundos partidários”, reforçou.

A chefe de Cartório disse ainda que mesmo os partidos que estão com seus diretórios ou comissões provisórias desarticuladas são obrigados a apresentar o relatório anual de prestação de contas para a Justiça Eleitoral. “Nesses casos, os relatórios devem ser repassados para a Justiça Eleitoral pelos diretórios regionais, que fazem a indicação dos nomes responsáveis pelas legendas nos municípios durante o período”, esclareceu.

Eleitores
A Justiça Eleitoral também divulgou que 8.371 eleitores anapolinos podem ter os títulos cancelados porque não votaram nos três últimos pleitos na cidade e nem justificaram a ausência. A princípio, a Justiça Eleitoral concedeu o prazo até o dia 2 de maio para que os inadimplentes justificassem a ausência nas urnas. Esses eleitores também devem procurar o Cartório Eleitoral, pagar a multa de R$ 3,50 por cada falta para iniciar um novo procedimento de regularização do documento.

“O eleitor deve comparecer no Cartório Eleitoral com os documentos pessoais, RG e CPF, além do título de eleitor, claro, e um comprovante de endereço. Não existe a obrigatoriedade do comprovante de residência estar no nome do eleitor”, disse Alessiane Guimarães.

SIGLAS E FILIADOS

Dados do TSE de fevereiro deste ano mostram que Anápolis tem 21.478 eleitores filiados a partidos políticos. O PSDB é o maior partido da cidade, com 3.052 membros. Em segundo lugar aparece o PT, com 2.734 filiados. Até pouco tempo a maior sigla da cidade, o PMDB agora aparece em terceiro lugar no ranking, com 1.938 filiados. Embora pouco expressivo na última disputa eleitoral, o PP é o quarto maior partido anapolino, com 1.798 membros. Também longe do protagonismo, o PR figura na quinta posição, com 1.520 filiados. Em sexto lugar está o DEM, com 1.444 membros. O PTB, partido do prefeito Roberto Naves, é a sétima maior sigla de Anápolis, com 1.266 membros. Dois partidos caçulas possuem número ínfimo de membros: PMB tem um filiado e o NOVO, apenas seis. O PCB, que há muito não lança candidato em Anápolis, tem apenas dois filiados registrados no TSE.

Deixe um comentário