Home Destaques Policiamento é reforçado na Rodoviária, mas comerciantes ainda têm medo de assaltantes

Reforço de policiamento no Terminal Rodoviário completa três meses, mas comerciantes ainda estão retraídos

ANA CLARA ITAGIBA
(Foto: Ismael Vieira)

rodoviariaNão é de hoje que as pessoas que frequentam o Terminal Rodoviário de Anápolis se queixam da falta de segurança no local. Usuários de drogas e andarilhos se aproveitam do ambiente amplo e aberto para cometer furtos e roubos a quem está ali de passagem. Buscando sanar este problema, há cerca de três meses, a Atlânticas Construções, empresa que administra a rodoviária, firmou uma parceria com a Prefeitura de Anápolis, para disponibilizar dois policiais militares para fazer rondas no local entre 7h e 17h. No período noturno, a empresa conta com um vigilante para garantir a segurança interna.

A reportagem do JE conversou com os alguns comerciantes que trabalham no local para saber o que eles têm achado da presença mais ativa de policiamento na região. “Colocaram policiamento há alguns meses. Melhorou um pouco, mas acho que só dois policiais e um vigilante é muito pouco para cuidar dessa estrutura toda”, disse um dos donos de um estabelecimento comercial que não quis se identificar.
Outro comerciante que também preferiu não ter o nome divulgado disse que a iluminação é um dos fatores que mais o preocupa. “Para a gente ficar tranquilo, tem que ficar amigo do usuário [de drogas]. O problema é que aqui eles entram e saem quando querem”, afirmou.

O coordenador administrativo do Terminal Rodoviário, Glayson Divino Coelho, revelou que a viatura da polícia não pode ficar fixa porque eles recebem através do banco de horas do município. “Houve bastante melhora, tanto dentro do terminal, quanto fora. Eram muitos usuários de drogas que ficavam andando por aqui”, disse.
“Os comerciantes têm o número de telefone dos vigilantes, quando eles ficam suspeitos de alguma coisa, eles o chamam automaticamente e também nos avisam”, comentou. A coordenação orienta as pessoas que frequentam o local diariamente para que não deem dinheiro para os usuários de drogas e os pedintes, para tentar diminuir o índice de furtos e roubos.

Sobre a questão da iluminação, Glayson afirmou que dentro do terminal não há problema. Segundo ele, o que pode ocorrer é que de fora as lâmpadas queimam, mas como é responsabilidade do município, eles ligam no fone 156 e “imediatamente” é feita a troca. “Dentro do terminal não tem nenhum local que seja escuro, os locais que ficam sem energia são as escadas, porém todas elas são trancadas às 22h e o acesso se dá pelas rampas principais”, explicou.

Juizado
Um posto do Juizado da Infância e da Juventude também faz falta no local. Para que menores de idade possam viajar sozinhos, é necessária uma autorização assinada pelos responsáveis. “Sem autorização, não sai da rodoviária. O que temos instruído também, é que se algum menor, por força maior queira viajar mesmo sem o documento, para que nos comuniquem que a gente aciona o Juizado”, explica.
Glayson disse que um posto com pelo menos um conselheiro tutelar na rodoviária seria o ideal. “Eu acho que seria muito bom se um conselheiro ficasse aqui. Nós poderíamos conversar com os nossos superiores sobre isso para disponibilizar uma sala específica para eles trabalharem”.

Deixe um comentário