Ad
Home Últimas Notícias Decreto do prefeito Roberto sobre municipalização da água divide opiniões na AL

Deputados falam sobre comissão criada pelo prefeito Roberto Naves para estudo da viabilidade de a prefeitura assumir água e esgoto

DA REDAÇÃO

O decreto do prefeito Roberto Naves (PTB) publicado no Diário Oficial do dia 6 de outubro, que instituiu uma comissão para elaboração de estudo de viabilidade técnica da municipalização dos serviços de fornecimento de água e tratamento de esgoto de Anápolis, acabou repercutindo na Assembleia Legislativa.

Na terça-feira (10.out.17), o deputado estadual José Nelto, líder do PMDB na Casa, fez uma leitura mais política do gesto de Roberto, aproveitando para alfinetar o governo estadual, principal adversário dos peemedebistas em 2018. Para Nelto, o decreto “mostra o início da rebelião da base aliada”.

O deputado falou também da Operação Decantação, que investigou desvios de dinheiro na Saneago. Ele criticou as obras do governo estadual. “O nosso governador aprova obras faraônicas e desnecessárias como, por exemplo, o centro de convenções de Anápolis que está estimado em R$ 250 milhões. Não seria melhor investir esta verba do saneamento do município?”, questionou.

O deputado Mané de Oliveira (PSDB) cuidou de defender o governo no qual faz parte ao comentar o decreto que estudará a viabilidade de municipalização da água em Anápolis. “É bom que Anápolis saiba que dos 20 municípios goianos que adotaram essa iniciativa, a maioria está sofrendo com a qualidade da água, entre outros problemas”, alertou.

Mané de Oliveira adiantou que a Saneago está com R$ 103 milhões para investimento na distribuição de água de qualidade no município de Anápolis. “Acredito que o prefeito de Anápolis está fazendo o seu papel político, objetivando agilizar a concretização desse investimento, porque ele sabe muito bem que a municipalização da água não deu certo. Apenas Mineiros consegue oferecer água de qualidade”, frisou.

O tucano lembrou ainda que o seu ex-colega de Parlamento Adib Elias (PMDB) sofre hoje, em Catalão, pelo fato de ter municipalizado a água, assim como os outros 18 municípios que também tomaram essa iniciativa. “Felizmente, a Saneago está preparada para resolver esse problema da água em todos os municípios, deixando as prefeituras à vontade para aplicar o seu dinheiro em outras obras municipais”, colocou.

Deixe um comentário