Home Cidades Alta velocidade contribui para aumento de acidentes fatais nas rodovias

Os maiores índices de excesso de velocidade acontecem em rodovias que estão preservadas e duplicadas

ANA CLARA ITAGIBA

Durante o feriado prolongado da semana passada, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) flagrou 3.171 carros em alta velocidade nas BRs de Goiás. Só entre Anápolis e Alexânia, foram 1.962 infrações desse tipo, com 312 veículos apreendidos e 26 pessoas detidas, por estarem acima da velocidade permitida na via.

De acordo com dados da PRF, a velocidade mais alta registrada nas rodovias goianas em 2017 foi a de um Ecosport, no dia 4 de outubro, a 211 km/h. No mesmo dia foi registrado o segundo lugar, um Strada a 196 km/h. Antes do feriado da Independência do Brasil, no dia 6 de setembro, um Fusion foi flagrado a 182 km/h. No dia 15 de setembro uma moto marcou 176 km/h no radar da PRF. O quinto lugar no ranking de excesso de velocidade em rodovias que cortam o Estado foi para um Audi Q3, que estava a 173 km/h no dia 18 de junho de 2017.

Segundo o chefe do Núcleo de Policiamento da Delegacia de Anápolis da PRF, inspetor Luciano Clemente, os maiores índices de excesso de velocidade acontecem em rodovias que estão preservadas e duplicadas, como é o caso da BR-060. “Nesses lugares nós percebemos que na maioria dos acidentes onde os carros saem da pista, foi porque tinha ultrapassado o limite permitido na via em questão”, contou.

O risco de acontecer um acidente fatal quando o veículo excede a velocidade é muito alto. Recentemente um casal de irmãos, de 29 anos e 24 anos, morreu e a mãe ficou gravemente ferida após o capotamento de um Voyage na BR-060, no trecho que liga Anápolis a Abadiânia. Os três seguiam de Brasília para Goiânia onde a mãe de 47 anos faria tratamento de quimioterapia, quando o jovem, que conduzia o veículo, perdeu a direção e colidiu na defensa metálica, próximo ao Rio das Antas. Antes de capotar, o carro ainda bateu em duas árvores. Com o impacto a jovem foi lançada para fora do veículo. A mãe foi socorrida pela ambulância da concessionária Triunfo Concebra, que administra a rodovia, e levada para o Hospital de Urgências de Anápolis Dr. Henrique Santillo (Huana).

“Durante a perícia constatou-se que um dos fatores que motivou o acidente foi o excesso de velocidade, pois a defensa metálica serviu como uma rampa ao veículo, que colidiu em um ponto alto das duas árvores antes de parar com as rodas para cima”, disse o inspetor Luciano. O acidente aconteceu por volta das 6h30, horário em que é comum ter neblina no local, o que pode ter contribuído para que o condutor perdesse o controle da direção.

Radar
De acordo com o chefe da Delegacia da PRF, a principal ação que é feita para coibir esse tipo de infração é a fiscalização por meio do radar. “Só pelo fato do policial estar ali, fazendo a fiscalização, já gera no condutor a sensação de que ele precisa reduzir a velocidade. Às vezes o cara está passando na velocidade certa, mas ele vê o policial fazendo a fiscalização e pensa que não deve exceder a velocidade porque pode ser que lá na frente ele pode ser parado. A mesma coisa acontece quando a pessoa já foi autuada. Eles têm a sensação de que serão pegos um pouco mais na frente”, relatou o policial.

Multa
A multa por excesso de velocidade é a infração que mais cresce no Brasil, e dados do Departamento Nacional do Trânsito (Denatran) comprovam isso. No primeiro semestre de 2017, o crescimento foi de 150% em relação ao mesmo período do ano anterior e esse crescimento significativo se deve em função da instalação de novos radares fotográficos nas ruas de todo o país.

As multas por excesso de velocidade possuem três valores diferentes, que varia de acordo com o limite de velocidade excedido. Quando o motorista transita com velocidade até 20% superior à permitida na via, é considerada infração média no valor de R$ 130,16, com perda de três pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH). Aqueles que trafegam com velocidade superior a 20% da máxima permitida, a multa considerada grave tem como penalidade a perda de cinco pontos na carteira e multa de R$ 195,23. Quando o condutor ultrapassa 50% da velocidade máxima permitida na via, a infração é considerada gravíssima e a multa equivale a R$ 880,40. Além disso, ele pode perder sete pontos e corre o risco de ter a CNH suspensa.

Feriado
Durante o feriado prolongado de 12 de outubro, aconteceram 42 acidentes nas BRs goianas, com 45 feridos e três mortes. A PRF registrou 294 ultrapassagens indevidas, 111 pessoas sem cinto de segurança, 32 flagrantes de crianças sem cadeirinha e 46 por uso de celular ao volante. Foram 1.410 testes do bafômetro e 45 autuações por esse motivo em todo Estado de Goiás.

Deixe um comentário