Home Política Câmara Municipal passa a ter novo local para o plenário Teotônio Vilela

FERNANDA MORAIS

A partir da próxima segunda-feira, dia 6 de novembro, as sessões ordinárias da Câmara Municipal serão realizadas em um novo imóvel, localizado na Rua Capitão Silvério, número 196, esquina com a Rua Barão do Rio Branco. O novo endereço fica ao lado da entrada principal da Câmara e foi alugado para servir como plenário da Casa enquanto as obras da nova sede não forem retomadas e, enfim, concluídas.

Para acomodar o plenário, o prédio passou por uma reforma total em sua estrutura. Recebeu novo piso, pintura, iluminação, instalações elétricas e hidráulicas além da troca completa do telhado. Todo mobiliário que será utilizado é novo. Ao longo da última semana, o espaço começou a ser montado para a primeira sessão ordinária do mês de novembro.

O presidente da Câmara Municipal, Amilton Filho (SD), disse que além das sessões ordinárias, outras atividades de plenário dos vereadores, como as sessões solenes e audiências públicas serão bem acomodadas no novo espaço. O presidente também convidou o prefeito Roberto Naves (PTB), o bispo da Diocese de Anápolis, Dom João Wilk, e o pastor Victor Hugo de Queiroz para participar da sessão ordinária da próxima segunda-feira.

O novo plenário oferece ainda conforto para os jornalistas que fazem a cobertura das sessões e também disponibiliza espaço para receber o público que acompanha o trabalho dos vereadores. O diretor administrativo da Câmara, Antônio Pedro Ghirardi, informou que o espaço tem capacidade para receber 70 pessoas sentadas, tem rampa de acessibilidade, saída de emergência, sala de equipamentos e banheiros masculino e feminino.

O antigo plenário, onde até então eram realizadas as sessões ordinárias, não será desativado. A partir de agora funcionará no local a sala das comissões e de licitações da Câmara Municipal.

Nova sede
Existe a expectativa de que as obras da Câmara Municipal sejam retomadas em um futuro breve através de uma parceria financeira que destinaria pelo menos mais R$ 10 milhões para conclusão do projeto. O montante seria dividido em R$ 4 milhões por parte da Prefeitura de Anápolis, R$ 4 milhões da própria Câmara e R$ 2 milhões do Estado.

Através do Programa do Crescimento de Anápolis (Proana), a Prefeitura de Anápolis realizou um estudo técnico para conhecer a realidade da obra e verificar o que já foi feito, o que está errado e o que precisa ser corrigido para a conclusão dos trabalhos. O prefeito Roberto Naves não divulgou o resultado do levantamento que será decisivo para dar continuidade no projeto.

O que já foi divulgado pelo chefe do Executivo é que existe o interesse em retomar as obras dentro de um novo projeto, orçamento e licitação com a disponibilidade de recursos suficientes para conclusão e entrega do prédio. Em entrevista coletiva concedida no início do mês de setembro, o prefeito afirmou que seria irresponsável retomar os serviços sem recursos para garantir a continuidade. “Acredito que em breve isso será possível. Nossa preocupação é responsável, retomar as obras sem correr riscos de paralisá-las novamente”.

Deixe um comentário