Home Política Anápolis caminha outra vez para excesso de candidatos a deputado

Atualmente 34 nomes surgem como possíveis postulantes a uma vaga na Assembleia Legislativa: pulverização de votos é quase certa, o que prejudica aumento de representatividade 

FERNANDA MORAIS

Desde o final do ano passado que os partidos políticos e seus integrantes estão se movimentando para traçar estratégias, definir alianças e lançar seus candidatos ao pleito de 2018. Agora, faltando nove meses para as eleições de outubro, as legendas já começaram a divulgar os seus pré-candidatos para uma vaga na Assembleia Legislativa. Hoje já se fala em pelo menos 34 nomes para disputa. Essa lista “inchada” pode acabar prejudicando a cidade nas eleições.

A lista mostra que a maioria dos pré-candidatos é de nomes bem conhecidos do eleitorado: vereadores, presidentes de partidos e políticos derrotados nas últimas eleições municipais. Essa quantidade de candidaturas que podem vir a ser lançada colabora para a pulverização de votos. Essa conta é fácil e pode ser comprovada de acordo com o que aconteceu nos últimos pleitos (2010 e 2014).

A retrospectiva eleitoral mostra que em 2010, por exemplo, dos 16 candidatos que comprovaram domicílio eleitoral em Anápolis, apenas dois tiveram êxito nas urnas: Carlos Antonio, hoje no PSDB, à época PSC, e José de Lima, hoje no PV, mas que em 2010 foi eleito pelo PDT. Em 2014 a situação foi ainda pior. O município lançou 27 nomes, e apenas um, o atual deputado Carlos Antonio foi reeleito, dessa vez pelo Solidariedade.

Na Câmara Municipal não faltam vereadores interessados em participar das eleições. O PT, que tem a maior bancada da Casa com quatro vereadores, tem três pré-candidatos a deputado estadual: Antônio Gomide, Professora Geli Sanches e Lisieux José Borges.

A vereadora de primeiro mandato, Thaís Souza (PSL), atual vice-presidente da mesa diretora da Câmara Municipal, é cotada para ser a candidata pelo seu partido. Thaís ainda não falou sobre o assunto, mas é considerada pelo PSL regional com um bom nome para a disputa. Já o PSC, que tinha planos de lançar apenas o vereador Lélio Alvarenga, agora tem outra possibilidade, trata-se de Cícero Gonzaga.

Jean Carlos, do PTB, afirma que se o seu partido se unir em torno de seu nome, ele tem interesse e está disponível para pleitear uma cadeira na Assembleia Legislativa. Já seu colega de bancada na Câmara, vereador Leandro Ribeiro, atualmente está cotado para assumir a Secretaria Estadual de Desenvolvimento Econômico (SED), mas há quem aposte que ele pode optar por disputar as eleições desse ano como candidato a deputado estadual.

O vereador Teles Júnior ainda não confirmou, mas já deu sinais de que está disponível, caso seja solicitado pelo seu partido. Já o presidente da Câmara Municipal, vereador Amilton Filho, confirma que é pré-candidato pelo Solidariedade por uma vaga no Legislativo estadual.

Mas a lista não para por aí. Os militantes do Democratas estão entusiasmados com o bom desempenho do senador Ronaldo Caiado nas pesquisas de intenção de votos. O partido tem uma lista de filiados dispostos a encarar a campanha de deputado estadual composta pelo médico Pedro Paulo Canedo e os empresários José Odilon, Victor Emanuel e Josmar Moura.

Miguel Marrula também está filiado ao DEM, mas por conta de interesses políticos, o ex-vereador pode se filiar ao PSDC, partido da base de Ronaldo Caiado para disputar as eleições. O mesmo pode acontecer com o radialista Serleyser Araújo. Atualmente o comunicador pertence aos quadros do Democratas, mas para garantir sua candidatura, ele pode buscar outra legenda. Especula-se que Serleyser possa se filiar ao PSL.

Existem rumores da possível saída do deputado Carlos Antonio do PSDB, mas por enquanto nada foi confirmado por ele. Caso continue no partido, o tucano tem os colegas Ridoval Chiareloto e Frederico Bispo de olho em uma vaga na Assembleia Legislativa.

O MDB vem com as candidaturas dos ex-vereadores Sírio Miguel e Eli Rosa. O PDT deve lançar o ex-vereador Paulo de Lima, que hoje preside a legenda na cidade. O PSB do vereador Jakson Charles tem dois nomes para o pleito, o médico Samuel Gemus e o ex-vereador e ex-deputado Valdair de Jesus.

O PSD também tem duas opções, o vice-prefeito Márcio Cândido e o presidente da sigla, Thiago Souza, para o pleito. O PRP pode lançar o odontólogo Ruiter Silva. Já o ex-deputado José de Lima pretende entrar no pleito pelo PV. O PP deve ser representado nas eleições de outubro desse ano pelo ex-prefeito de Anápolis, João Gomes. Essa semana João Gomes se desligou da Secretaria Extraordinária para Assuntos de Habitação com objetivo de se dedicar a sua campanha.

O PHS optou pelo professor Luciano. Já o PODE deve lançar o novato na política Jader Melo. O presidente do PR, Hélio Araújo, é a indicação do partido para concorrer uma vaga ao Legislativo estadual. Por fim, o PSOL deve participar do pleito com a candidatura de Elber Sampaio; o PROS pretende lançar Gilmar Cavalcanti e existe ainda a expectativa que o coronel Adailton Florentino, se filie a algum partido para disputar as eleições também como candidato a deputado estadual.

Deixe um comentário