Home Opinião Temos medo desses bandidos? | por Iron Junqueira

Os governos brasileiros, municipais, estaduais e federais, mesmo os que mudaram de partido, parecem continuar indiferentes às leis do respeito e da ordem adotadas pelo país e, de maneira espontânea, pelo povo. O esquerdismo que, de fato, tomou conta do país, tendo em vista as atitudes que certos órgãos tomam que constrangem pessoas honestas e bem intencionadas, demonstrando, com isso, desacreditarem, totalmente, do indivíduo, generalizando suas atitudes em defesa dos interesses dos que administram a coisa pública. É de conhecimento geral que onde há gente trabalhando, agradando, vencendo sem depender da política atual, fiscais ou funcionários desses governos chegam e constrangem, jamais colaborando, mas, incomodados sei lá porque, perturbando empresas ou pessoas.

Houve tempo em que mulheres humildes e autônomas trabalhavam como panfletárias nos semáforos da cidade; independentes, elas próprias podiam negociar com seus clientes facilitando as coisas para os dois lados, o delas e o dos interessados em seu trabalho. Eram livres e felizes; as pessoas não se viam prejudicadas, recebiam o valor que pediam; e quem pagava, também o fazia com alegria. Mas apareceram outras mulheres, dizendo-se politizadas,porémà maneira do atual regime, e as orientavam a se integrarem a sindicatos (tanto é verdade, que deve ter aumentado o número desses órgãos “classistas”) atrapalhando os interessados no trabalho dessas autônomas; que eram felizes pelo fato de serem livres e honestas, trabalhavamproporcionalmente ao que precisavam e não estavam subordinadas a chefes políticos mais interessados em enriquecer o governo do que apoiarem com justiça ao povo cujos direitos à liberdade estavam sendo conspurcados.

Nem documentos emitidos pelas próprias administrações, os fiscais respeitavam. Estranhas autoridades surgem do nada empunhando risíveis poderes e fazem valer até o que é revelia à lei estabelecida. Não mencionamos fato nenhum porque não estamos criticando nem defendendo empresas, órgãos ou indivíduos. É o que está se vendo no dia a dia. Muito casuísmo. Atitudes estranhas. Vai se verificar, aquela ação arbitrária nada contraria, está tudo legalizado. Estranho, portanto. De repente aparece um “de menor” no Ministério da Saúde assinando ordem de pagamento de valores que eu nem sei escrever. Achei o máximo do absurdo e o zero em respeito ao povo, que é quem eu achava que mandava… No poder Judiciário.

Sem mudança de governos, os brasileiros parecem viver noutro país, mas bem mais atrasado do que antes era. Em todos os itens. A corrupção que era bem conhecida não só pelos nacionais como também pelos estrangeiros, agora ficou personalizada até nos órgãos de onde se esperava maior lisura e ética. Empresários que tentavam se estabelecer no Brasil retornavam ao país de origem reclamando de tudo. Disseram alguns que nas coisas mínimas estavam sendo explorados. Até numa simples assinatura do representante de algum serviço público cobram, sem explicação razoável ou educada, por que o autoritarismo tornou-se uma regra normal em tudo que vem dos governos que estão ficando cada vez mais pesados para a população. Esta, não suporta mais um ano sob a chibata de tanta cobrança sobre taxas que não existiam e que passam a ser cobradas.

Políticos ladrões, endêmicos, se candidatam mesmo sem nome e sem moral. Parece não ter notação do que seja honra ou caráter. Sequer, demonstram vergonha de seus atos perante filhos, familiares e eleitores. Julgam que somos todos iguais a eles. E o líder desses infelizes pensa, até, em prêmio Nobel. Se épossível ser normal com cabeças assim.

Ávida e gananciosa, a manada de corruptos é comprovadamente desfavorecida do mínimo raciocínio e de puder. Não ruboresce nem quando é apupada em restaurantes, aeroportos ou pelas ruas. Nomes antigos na polícia sequer adotam um vernáculo educado para tratar nosso povo. Até o considerado o Tiradentes (de foro racha) fala obscenidade e metralha, abusivamente, dos ministros da Justiça. E esta, sei não, a tudo suporta até chegar certo dia. Se chegar. O líder deles vive graduado, é cara chato e farofeiro. Com seus “cumpanhêros” inverteram as ordens de tudo: prendem gente simples do povo e dão liberdade a bandidos, assassinos e ladrões de bilhões; todo dia tiram quatrilhões dos cofres e falam que irão inaugurar 14 obras ao dia; saem dessas assinaturas de construção de obras com sorrisos de orelha a orelha; não acreditam em consequência nenhum; não creem na justiça de Moro que agora veem, irão acreditar na Justiça que não veem? Do tudo “responderás quadrante por quadrante de tudo o que fizeste”?Escolas paradas por conta de balas perdidas matando crianças, hospitais com doentes morrendo às portas, sem atendimento, p0obres comprando dois reais de carne para completar só o almoço. TEMOS MEDO DESSES BANDIDOS? É Isto.

Deixe um comentário