Home Opinião Delação, a voz do desespero | por Cícero Maia

A bem-sucedida operação da Polícia Federal conhecida como Lava Jato pode não estar fazendo um estrago completo no mundo do crime organizado, mas com certeza, desarrumou em muito os propósitos de trabalho deles.

Um dos fatores que proporcionou um grande impulso no sucesso das operações foi, sem dúvida, as famosas delações premiadas, já em uso em muitos países, onde os corruptos se acham no direito de aproveitar, não de falhas do sistema administrativo, mas nos modos operandi de trabalhar, e se interferirem nele para auferirem recursos financeiros em abundância sem se preocuparem com as consequências que, por ventura, possam vir a aparecer.

Como não poderia deixar de ser, tudo o que começa errado, só pode terminar errado! A conta para eles chegou e para muita gente que não acreditava que isso pudesse vir a acontecer. A solução, então, é contar o que sabe para reduzir o tamanho do prejuízo que causaram às populações do Estado e, mais ainda, a eles próprios.

Delatar, não é propriamente dizer o que vem à cabeça, sem a responsabilidade objetiva de apontar o caminho dos transtornos causados! Mas, sobretudo, mostrar como as trajetórias foram trilhadas até chegar a volumes monumentais de dinheiro como se fosse possível dispor daquela massa toda sem ter que prestar contas a ninguém. Não é assim!

Relativamente ao Presidente da República, todos dizem que entregaram somas vultosas de dinheiro aos amigos do Presidente, ninguém diz: “Entreguei pessoalmente ao Presidente, no dia tal, no local X, a quantia de tanto”. Por que será que essa atitude se repete com veemência?

Na desesperadora ânsia de se livrarem dos calabouços e masmorras para onde estão sendo enviados, uma das mentiras que falam é a da alteração de licitações, como se isso fosse fácil de ser feito!

Os departamentos onde as Licitações são construídas são compostos por muitos profissionais, altamente qualificados, que dispõem de uma visão holística do tudo o que está sendo proposto de ser adquirido ou construído. Qualquer alteração deve ter a concordância ou não de muita gente! Portanto a dizer que as arruaças passam pelas Licitações são coisas de desesperados que nem sonham o que estão tentando dizer!

O fim da corrupção pode não estar perto, mas a caminhada já foi suficientemente longe para desestimular qualquer motivação indecorosa com os programas governamentais, para reduzir as dores sociais.

Deixe um comentário