Home Opinião Notícia se vende. Opinião, não | por Orisvaldo Pires

Os preceitos éticos a que deve se submeter o jornalista provocam a sociedade a uma análise de consciência sobre a prática de conduta do profissional de imprensa. São inúmeros os conflitos que historicamente cercam este ofício, desde seu surgimento no Brasil no início do Século XIX, até os dias atuais.

A venda de opinião, por exemplo, é uma realidade que afeta parcela significativa de empresas e profissionais de imprensa. Um contraste com o que pensa a outra parte – felizmente maior – formada por aqueles que prezam a valorização do ‘produto’ notícia. E tudo com reflexos e conseqüências diretas no comportamento social.

É importante diferenciar a ‘venda de opinião’ com o ‘valor da notícia’. O processo de produção de uma notícia tem custo: logístico, intelectual, de tempo. E, neste contexto, é fundamental que o jornalista valorize sua criação, em todos os aspectos. Mesmo diante da moderna cultura tecnológica que encurta o acesso das pessoas à informação e disponibiliza à mão uma infinidade de sítios noticiosos.

A prática do bom jornalismo precisa ser evidenciada e valorizada. Esta deve ser a colaboração do jornalista para aguçar o sentido seletivo do leitor, para que aprenda a no mínimo questionar a notícia de origem duvidosa, sem procedência segura. E para identificar o que há realmente por trás da informação. Ser mais crítico.

O ato de pagar pela notícia, profissionalmente produzida, tecnicamente elaborada e voltada ao interesse público, é justo e natural. É reconhecer o valor da boa notícia e do profissional de imprensa. Em um mundo cercado de todos os lados por banalidades ‘culturais’ e notícias sem veracidade, valorizar o jornalismo ético é questão de sobrevivência democrática. De avanço social.

O jornalista deve agir sem utilizar-se de sua condição profissional para obter vantagens pessoais, sem almejar dividendos econômicos escusos e sempre voltado ao interesse coletivo. Tem o compromisso não apenas de informar, mas formar o leitor para que saiba identificar uma notícia confiável. É essencial que a sociedade reveja seus conceitos e descubra que apenas por meio do bom jornalismo é possível enxergar o mundo como ele realmente é.

1 resposta a este post

Deixe um comentário