Home Destaques A GREVE CONTINUA! Em assembleia, Educação vota pela manutenção

Fonte: Sintego

A categoria da Educação votou na tarde desta segunda-feira (8), pela manutenção da greve. Durante a Assembleia, a presidenta do SINTEGO, Bia de Lima, expôs a nova proposta do governo que consiste no escalonamento do restante do salário de dezembro/2018, em quatro vezes, dessa vez, incluindo os/as aposentados/as. No entanto, a proposta foi categoricamente rejeitada.

“Essa proposta não difere em nada das anteriores, terminar de pagar a Educação em julho? A categoria não aguenta mais. O governo tem que entender de uma vez por todas que é preciso pagar o que deve à Educação”, disse o presidente da regional do SINTEGO, em Planaltina, Gilmar Barrense.

Até o momento, 58% dos/as trabalhadores/as da Educação já receberam o mês de dezembro/2018. Ou seja, 42% da categoria ainda não recebeu o salário atrasado. Grande parte das pessoas que ainda não recebeu faz parte do grupo de trabalhadores/as que recebe o 13° no mês de dezembro, o que acrescentou o valor do salário, deixando esses/as profissionais duplamente prejudicados.

O SINTEGO buscou negociações com o governo, durante toda a semana passada, com ajuda do Ministério Público do Estado de Goiás, da Assembleia Legislativa do Estado de Goiás, porém, apesar dos esforços, as novas propostas não atendem aos anseios da categoria, que quer apenas o cumprimento do direito de receber o salário que está atrasado há mais de três meses.

Dessa forma, os/as trabalhadores/as da Educação não concordaram com a proposta e votaram pela manutenção da greve. Uma nova Assembleia já foi convocada para a próxima sexta-feira (12), às 15h, em frente ao Palácio Pedro Ludovico, em Goiânia.

O SINTEGO continuará buscando negociações com o Governo com o objetivo de melhorar a proposta para a categoria e convoca filiados/as para intensificarem a luta, dialogando com a comunidade e com colegas de trabalho sobre a importância de fortalecer o movimento. Atos em defesa da Educação e dos/as trabalhadores/as da categoria serão realizados em todas as regionais. Juntos somos fortes!

Reivindicações

Ainda durante a Assembleia, a presidenta do SINTEGO, Bia de Lima, afirmou que intensificará a cobrança do piso do magistério para os/as professores/as, que já deveria ter sido reajustado em janeiro, e a data-base dos/as administrativos/as, que terá novo índice em maio. No caso dos/as administrativos/as, o índice de reajuste de 2018, também não foi cumprido. “O piso e a data-base são pautas fundamentais para a Educação, independente do salário, nós não abriremos mão disso, assim como o auxílio-alimentação, são direitos que precisam ser garantidos”, declarou Bia.

Deixe um comentário