Ad
Home Cultura Projeto Estudantes de Atitude é lançado em Goiás

Alunos e professores lotaram as galerias

A Controladoria-Geral do Estado (CGE) e a Secretaria de Educação (Seduc) fizeram nesta terça-feira, dia 3, a abertura do Projeto Estudantes de Atitude, no Teatro Goiânia. O evento foi aberto com uma apresentação de balé com alunos do Centro Cultural Gustav Ritter.

Responsável pela coordenação geral do Estudantes de Atitude, o subcontrolador de Transparência, Controle Social e Ouvidoria, Diego Ramalho Freitas, comandou o evento, ao lado da gerente de Controle Social, Lucélia Rocha da Silva, ambos da CGE, apresentando o projeto ao público, descrevendo suas fases e principais etapas.

Idealizado e executado com sucesso nas escolas do Distrito Federal, o projeto, segundo Diego, alcançou resultados surpreendentes junto à comunidade escolar, mobilizando e engajando os alunos a melhorar a realidade de suas escolas. Agora, melhorado e focado na realidade de Goiás, o Estudantes de Atitude contará com a participação de cerca de 150 escolas este ano. Para 2020, o objetivo é estender a participação a todo o Estado.

De acordo com Diego Ramalho, “após uma pesquisa feita pela The Economist, vimos que o Brasil ocupava a 50ª posição no ranking de democracia. Embora tenhamos muitos avanços, a participação social é um dos principais gargalos. Esse projeto nasceu da perspectiva de se construir um espaço de participação social, de proatividade com resultados mensuráveis e concretos, a partir da escola”.

Presentes à solenidade, a diretora do Centro de Ensino Fundamental Cerâmica Reunidas Dom Bosco, Alence Cristina Braga, e a coordenadora pedagógica Lourdes Cosmo, falaram da experiência da escola, ganhadora do prêmio no Distrito Federal, no segundo ano de vigência do projeto. “É uma experiência emocionante. O projeto dá uma sacudida na escola toda, mexe com os alunos, os professores e toda a comunidade escolar, gerando grandes transformações a partir de possibilidades mínimas”, disse Alence Braga.

“Nosso projeto e desafio foi recuperar uma mata que havia no fundo da unidade, situada na zona rural de Planaltina (DF). Denominado ‘um olhar por trás da escola’, nós retiramos oito caminhões de lixo da mata, que hoje é um espaço pedagógico. Hoje eu ensino meus alunos a ler e escrever lá na nossa mata”, emendou, com satisfação, Lourdes Cosmo.

Cidadania

Também coordenadora do projeto, a secretária de Educação, Fátima Gavioli, incentivou professores e alunos da rede a se integrarem ao projeto, em sua fala durante no evento de lançamento. “Vamos aproveitar que estamos no mês da pátria, particularmente na semana da pátria, e fazer com que o sentimento de cidadania cresça, motivado por esse projeto que é inspirador e que vai envolver toda a nossa comunidade escolar”, discursou.

“O Ziller [controlador-geral do Estado, Henrique Ziller], que já teve a experiência com o projeto no Distrito Federal, me procurou e disse, ‘Fátima, vamos fazer o projeto aqui em Goiás?’ Eu aceitei na hora. Precisamos trabalhar com os alunos o amor pela escola, o tratamento correto dos resíduos, a mediação de conflitos, o respeito e a valorização dos professores. Os meninos em Brasília, de uma escola de periferia, montaram uma biblioteca do Google. Parecia que não era possível, mas eles foram lá e fizeram. Isso revolucionou a escola, não só no ambiente físico, mas também no ambiente acadêmico”, expôs com entusiasmo a secretária.

Adriana Caiado, diretora da Organização das Voluntárias de Goiás (OVG), também revelou satisfação em participar do projeto, por meio de 450 alunos bolsistas da OVG que vão auxiliar os estudantes a concluir suas tarefas e desafios.

Participação

Embora não tenha podido estar presente, o Controlador-Geral Henrique Ziller, gravou um vídeo de boas-vindas aos alunos, afirmando que o projeto criará “memórias inesquecíveis” para eles, além de boas histórias para se contar no futuro melhor “que eles ajudaram e ajudarão a construir”.

Foi apresentado ainda o depoimento do professor do Insper, Humberto Dantas, que afirmou que os alunos devem aproveitar a oportunidade de intervir no ambiente e fazer escolhas, gerando responsabilidade e pertencimento. “Mergulhem e valorizem a atitude de decidir, de participar e de intervir”, narrou.

Programado originalmente para contemplar 100 escolas em seu primeiro ano, o projeto Estudantes de Atitude teve 200 escolas inscritas, das quais 150 participarão. Em suas várias etapas, estão incluídas a Auditoria Cívica (um diagnóstico amplo da situação a ser modificada , com suas causas e estratégias de solução), a tarefa especial e a missão especial.

“A tarefa especial está relacionada ao programa ‘De Olho no Óleo’, da Saneago, que também é parceria do Estudantes de Atitude, inclusive no custeio total da premiação das escolas. Quanto mais óleo conseguirem coletar, quando chegar o momento, mais pontos a escola ganha”, esclareceu Lucélia Rocha. “Já a missão especial está relacionada ao ‘Game da Cidadania’, fruto de parceria no projeto entre a CGE e a Controladoria-Geral da União (CGU)”, complementou a gerente.

A solenidade foi encerrada pelo Subcontrolador-Geral, Marcos Tadeu, que destacou a importância do projeto na formação do caráter dos estudantes goianos. “Acreditamos muito que esse sentimento de pertencimento, aliado à vivência da cidadania, atuará positivamente no caráter de nossos jovens, que são o futuro do nosso país”, finalizou.

O Estudantes de Atitude é uma realização do Governo de Goiás, sob a coordenação da Controladoria-Geral do Estado (CGE) e da Secretaria de Estado da Educação (Seduc). O projeto conta ainda com a parceria da OVG, Saneago, Centro Cultural Gustav Ritter, Tribunal de Contas do Estado (TCE/GO), CGU e Sindicato dos Gestores Governamentais (Sindgestor).

Comunicação Setorial Controladoria-Geral do Estado de Goiás

Mais informações:(62) 3201-5372

 

Deixe um comentário