Ad
Home Destaques Câmara homenageia APAE em Sessão Solene pelos seus 50 anos de fundação

Fonte: Câmara Municipal de Anápolis, por Julio de Paula

Foto: Ismael Vieira

A Câmara Municipal de Anápolis promoveu Sessão Solene para celebrar os 50 anos de fundação da Associação de Pais e Alunos dos Excepcionais (Apae) de Anápolis, na noite desta segunda-feira (30.out), no Auditório do Senac. A iniciativa foi do vereador Lisieux José Borges (PT), com o apoio dos demais vereadores. A missão da APAE é promover, com a participação da família, a prevenção e a manutenção da saúde, habilitação, reabilitação, formação, inclusão e defesa de direitos da pessoa com deficiência.

A Sessão Solene contou com a participação de oradores, coral de crianças da APAE, leitura do histórico institucional por parte de estudantes e homenagens a colaboradores. O Poder Legislativo anapolino entregou Certificado de Honra ao Mérito a voluntários, alunos mais antigos, funcionários, ex-funcionários e ex-diretoras da Escola Maria Montessori, coordenadores e ex-presidentes da atual diretoria. Receberam honraria ainda conselheiros de administração e fiscal, alunos auto-defensores, diretoria executiva, presidente e superintendente.

De acordo com Lisieux José Borges, a APAE é uma instituição que merece todo crédito e respeito da sociedade. Para ele, são 50 anos de luta, desenvolvimento e aprimoramento para fazer diferença na vida da comunidade anapolina, principalmente daqueles que mais necessitam. “Ela é reconhecida como patrimônio municipal da inclusão social. Realiza um trabalho de excelência com pessoas com deficiência intelectual, oferecendo dignidade às pessoas que a procuram. É por isso que estamos aqui”, ponderou Lisieux José Borges.

Ex-funcionário por 24 anos e um dos homenageados, o vereador Lélio Alvarenga (PSC) informou que se sente parte da instituição que faz tão bem à sociedade. Para ele, é uma alegria sentir parte do desenvolvimento e da criação do Teste de Pezinho. “A gente deixa uma contribuição grande, alguns anos como técnico e, nos últimos seis anos, como biomédico daquela instituição. Me sinto hoje com o coração transbordante de alegria. Estou realizado. Quando começamos, a APAE vivia com dificuldades, pedindo ajuda para sobreviver. O laboratório da instituição veio trazer essa sustentabilidade. Hoje temos uma das melhores Apaes do Brasil, em tamanho, prestação de serviço e organização. Em dois anos consecutivos, recebemos o prêmio de melhor ONG e instituição filantrópica do Brasil. Por isso quero cumprimentar todos os funcionários, desde a diretoria até o mais simples servidor”, analisou o vereador.

Para Jean Carlos (PTB), a APAE é uma instituição que promove inclusão social a pessoas especais, com o apoio dos pais e amigos, merecedores de total respeito. Por meio dela, as pessoas têm condições de se desenvolver e de mostrar suas capacidades, por isso o reconhecimento da população anapolina. A Professora Geli (PT) falou que não pode falar da história de Anápolis sem que a APAE seja mencionada. Na ótica dela, a instituição tem somado à Cidade, respeitando as diferenças e mostrado que é possível servir à sociedade de uma forma tão extraordinária. Pastor Elias Ferreira (PSC) disse que a associação tem se destacado não só em Anápolis, mas fora do estado e no País. Segundo ele, é um privilégio estar na Cidade, cuja instituição contribui com crianças, que fazem exames e são bem acolhidas.

APAE

O presidente Hélio José Lopes recebeu a homenagem com muita alegria. Para ele, é raro uma instituição completar o jubileu de ouro nas três áreas de atuação dela: saúde, educação e assistência social.  Na saúde, esclareceu ele, a associação não presta só serviço para Anápolis, mas para 246 municípios do Estado quanto à uma triagem neonatal. “Em nome da diretoria, quero agradecer o vereador que fez propositura e a todos os demais vereadores por terem aceito a instituição, que é simples, mas com muito trabalho e humildade, vem prestando serviço à sociedade”, emendou.

Quem recebeu homenagem e também é considerado importante na história da APAE é o doutor Arnaldo Teixeira. Em 1994, ele era presidente da Associação Médica de Anápolis e, com o apoio de um grupo de profissionais, reivindicou unidade oncológica, pronto socorro para Santa Casa e o laboratório da instituição. Com o apoio do então ministro da Saúde, Henrique Santillo, conseguiu-se o aparelho para começar o Teste do Pezinho. “De lá para cá, a APAE se transformou. São 25 anos de uma revolução, com a APAE se tornando uma das principais do Brasil”, comemorou.

 

Deixe um comentário