Ad
Home Últimas Notícias Luta contra mosquito continua em Anápolis

Agentes de endemias vão percorrer toda a cidade para eliminar os focos do Aedes aegypti

Fonte: Prefeitura de Anápolis

Não é brincadeira: dengue mata. E para combater o Aedes aegypti que também transmite doenças como a Chikungunya e o Zika Vírus, a Prefeitura de Anápolis realiza um trabalho contínuo que é intensificado agora no período chuvoso e altas temperaturas. Mas é necessária a colaboração de toda a comunidade.

A conta é simples. Se o trabalho dos agentes não for multiplicado pela população o mosquito se prolifera. Limpeza de lotes, calhas e outras medidas de combate aos focos devem ser rotineiras. E o resultado é óbvio: os casos de dengue aumentam. “Existem locais em que fazemos o mutirão de limpeza numa semana e na seguinte já temos reclamações. A população precisa fazer a sua parte”, ressalta a gerente de Endemias, Patrícia Godói.

Ela explica que em 2019 a proliferação dos focos foi atípica – devido a sazonalidade e ciclo a cada três anos – apresentando maior incidência em todo o País e que a situação de estende no início deste ano. “É preciso conscientizar a comunidade sobre a necessidade dessa parceria com o poder público”, frisa Patrícia.

Ministério da Saúde

Levantamento do Ministério da Saúde revela que todos os Estados do Nordeste, além dos Estados do Espírito Santo (ES) e Rio de Janeiro (RJ) já estão sendo monitorados, já que há probabilidade de ocorrer surto a partir de março de 2020. O Estado de Goiás também deve ficar atento já que a recente circulação do sorotipo 2, em 2019, aconteceu somente em algumas partes do Sudeste e Centro-Oeste, o que ajuda a entender porque 77% de todos os registros de dengue no País, assim como 67% das mortes, ocorreram em apenas três Estados: São Paulo (SP), Minas Gerais (MG) e Goiás (GO).

Portanto, 250 agentes de endemias continuam percorrendo toda a cidade. Na segunda-feira, 20, será retomado o mutirão de limpeza em locais que apresentam maior incidência de focos como Filostro Machado, Morada Nova e Jardim Primavera. Na quarta, 22, a equipe segue para as vilas União e Mariana.

Só que para combater o mosquito é necessário o engajamento de toda a população. Desde os cuidados básicos como não deixar água parada até o apoio ao trabalho dos agentes. “Sem o envolvimento da população é impossível obtermos um resultado positivo e determinante contra o Aedes”, reforça a gerente de Endemias.

 

Medidas de combate ao Aedes Aegypti:

Não deixar água parada em pneus

Não deixar água acumulada sobre a laje

Não deixar a água parada nas calhas

Deixar as vasilhas com plantas sempre secas ou cobri-las com areia

Caixas de água devem ser limpas constantemente e mantidas sempre fechadas e bem vedadas

As piscinas devem ter tratamento de água com cloro. As que não são utilizadas devem permanecer sempre secas

Garrafas devem ser armazenadas em locais cobertos e sempre de cabeça para baixo

Não descartar lixo em terrenos baldios e manter a lata de lixo sempre bem fechada

 

Deixe um comentário