Ad
Home Editoriais Cidades Estado vai gerar 1,4 mil empregos com crédito de R$ 20 milhões...

Ronaldo Caiado oficializa mais uma parceria entre o Executivo e a Caixa Econômica Federal para reerguer o Estado dos efeitos da pandemia da Covid-19 e reequilibrar o desenvolvimento regional

Em uma iniciativa que visa reequilibrar o desenvolvimento e a renda per capita da população, principalmente neste contexto de pandemia, o Governo de Goiás sacramentou com a Caixa Econômica Federal (CEF) mais um acordo de cooperação técnica. A assinatura entre os dois entes, concretizada nesta quinta-feira (23/07), fez parte da celebração dos 20 anos da GoiásFomento, empresa pública de sociedade mista com foco nos micro e pequenos empreendedores. A parceria, desta vez, batizada de Microcrédito Orientado, prevê o repasse de R$ 20 milhões, pelo banco federal, para que a instituição financeira goiana disponibilize os recursos para empreendimentos com faturamento anual de até R$ 360 mil por ano.

“Todo governo tem que saber lidar com peso e contrapeso, precisa saber equilibrar, calibrar, distribuir, para ter bons resultados. Não dá pra aceitar a liberação de R$ 8 bilhões por ano para o Fomentar/Produzir e não disponibilizar nem um milésimo desse valor para os micro e pequenos empreendedores”, discursou Caiado.

De acordo com o presidente da GoiásFomento, Rivael Aguiar, com os R$ 20 milhões do Microcrédito Orientado, a empresa já contabiliza a captação de R$ 60 milhões para oferecer aos pequenos negócios, em forma de empréstimo, sempre com juros mais baixos do que os praticados no mercado. “Nesta parceria [de hoje], vamos oferecer à Caixa, nossa rede de 214 credenciados, presente em quase todos os municípios goianos. A previsão com a liberação da verba é de geração de 1,4 mil empregos”, informou.

Rivael ainda apresentou outro dado importante durante o evento: de janeiro a 10 de julho de 2020, a GoiásFomento já liberou R$ 41,6 milhões em empréstimos para microempreendedores individuais, micro e pequenas empresas, o que representa quase 40% a mais do que o disponibilizado no mesmo período do ano passado. Ele também explicou por qual razão o nome do programa vem com a palavra ‘orientado’. “É porque o tomador vai poder contar com uma consultoria especializada para utilizar, da melhor maneira, o recurso”.

O secretário de Indústria, Comércio e Serviços, Adonídio Neto, destacou que o momento atual requer “repensar o papel do Estado, o papel de fomentar empregos e de ajudar pessoas”. Ressaltou também que, desde março, o governo estadual investe no lançamento de várias linhas de créditos para atender a população e as empresas que mais estão sofrendo no contexto dessa crise sanitária mundial. E, por fim, apontou os bons resultados alcançados pela gestão Caiado, mesmo na pandemia, em razão da atuação de vanguarda, que antecipa as soluções antes de os problemas surgirem.

“Enquanto o Brasil presenciou o fechamento de 600 mil empresas, em Goiás, tivemos o maior saldo de abertura de empresas no primeiro semestre nos últimos cinco anos. Nosso Estado também é a única unidade da federação que registrou crescimento da atividade industrial no mês de maio, de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE)”, exemplificou Adonídio, para logo depois completar: “Isso demonstra a força de atração de investimentos no Estado de Goiás e que o nosso governador não para”.

Citando Caiado – “A melhor política social é o emprego”–, o vice-governador Lincoln Tejota lembrou que, para além de ações como fomentar o desenvolvimento regional e a estadualização de hospitais, a dignidade do ser humano se dá por meio do emprego. “Estamos dando respostas definitivas para problemas históricos. Ninguém quer precisar de favor do Estado. Hoje, sob liderança do governador Ronaldo Caiado, e com a ajuda de todos vocês, estamos devolvendo o Estado à sua origem. Um Estado fomentador, gerador de empregos”, completou Tejota.

Já o superintendente regional da Caixa, Evandro Narciso, frisou a principal missão da instituição financeira que, inclusive, comunga com as diretrizes da gestão Caiado: promoção do desenvolvimento regional a partir da geração de empregos. E foi além, ao explicitar a sinergia entre Caixa e Governo de Goiás. “Esta é uma parceria que se consolida, se espraia por todos os órgãos. A carência de seis meses nos consignados dos servidores é um exemplo disso.”

Funcionamento
Com o microcrédito, o tomador poderá pagar taxa de juros a partir de 1,12% ao mês, se ele contratar o Fundo de Aval ou outro tipo de garantia. O valor do empréstimo é de até R$ 21 mil por tomador, com seis meses de carência e 36 meses para o pagamento.

A linha de crédito é destinada a despesas de capital de giro e investimentos, inclusive despesas fixas, como folha de pagamento de pessoal, um dos principais problemas das firmas, devido à crise econômica gerada pela pandemia e pela suspensão da maior parte das atividades produtivas.

Durante o lançamento do Microcrédito Orientado estiveram também presentes o secretário estadual de Comunicação, Tony Carlo; o presidente da GoiásTurismo, Fabrício Amaral; o deputado estadual Cairo Salim; a superintendente da Caixa Econômica Federal Thalita Rabelo, o assessor especial da Governadoria, Lívio Luciano; o subsecretário de Fomento e Competitividade da SIC, César Moura; o chefe de Gabinete da SIC, Cairo de Freitas, e os diretores da GoiásFomento José Alves e Fernando Freitas.

Foto: Júnior Guimarães

Secretaria de Comunicação – Governo de Goiás

Deixe um comentário