Ad
Home Últimas Notícias Estado cria comitê para evitar aglomerações em cidades turísticas

Medidas punitivas rígidas devem ser avaliadas e podem ser implementadas nos próximos feriados prolongados

Publicado: 10.09.2020

Governador Ronaldo Caiado durante videoconferência com prefeitos de municípios turísticos: ação conjunta para enfrentamento da pandemia de Covid-19 com ênfase em ações concretas para se evitar aglomerações

O governador Ronaldo Caiado decidiu, em acordo com prefeitos e representante do Ministério Público, criar um comitê permanente para atuar no enfrentamento à Covid-19 nos municípios turísticos goianos nos próximos feriados prolongados. A definição foi durante videoconferência realizada no início da tarde desta quarta-feira (09/09).

Participaram da reunião virtual representantes de 16 municípios turísticos. Caiado ouviu dos gestores municipais propostas para que uma ação conjunta de enfrentamento à pandemia seja estabelecida para garantir o respeito aos protocolos de segurança, principalmente nos fins de semana e datas comemorativas.

A proposta de se criar um comitê envolvendo todos os municípios turísticos foi apresentada pelo prefeito de Caldas Novas, Evandro Magal, e teve a aprovação de Caiado e dos demais presentes. “Da minha parte, o comitê está montado”, afirmou o governador.

O representante do Executivo goiano indicou para integrar o novo comitê, o comandante geral da Polícia Militar, coronel Renato Brum e os secretários Fabrício Amaral (Turismo) e Tony Carlo (Comunicação). Também foi sugerida a participação de representantes do Ministério Público e da Secretaria de Estado da Saúde.

“A minha preocupação é no sentido de que possamos ser mais eficientes para que não se reproduza em todos finais de semana o que a gente viu acontecer na maioria dos municípios”, disse o governador, em relação às aglomerações registradas no feriado de 7 de Setembro. Caiado ressaltou que a situação requer, além de um reforço nas medidas de conscientização da população, a adoção de punições mais rígidas.

O procurador-geral de Justiça de Goiás, Aylton Vechi, pediu celeridade na instituição do comitê, com a indicação imediata dos membros representantes dos diversos setores e municípios. “Pelo Ministério Público, eu farei a indicação também, para que a gente possa dar o próximo passo no sentido de uma reunião já com o comitê formado, conforme ficou aqui deliberado”, destacou.

Ao comentar sobre as aglomerações registradas no último fim de semana, Aylton Vechi também alertou para a necessidade de se intensificar a fiscalização e disse que ações no âmbito criminal devem ser consideradas.

O sentimento foi compartilhado pela secretária de Saúde municipal, Fátima Mrué, que representou o prefeito de Goiânia, Iris Rezende, na videoconferência. Durante a reunião, ela anunciou que na capital as regras serão mais rígidas, já que foi constatado que 50% dos estabelecimentos fiscalizados estavam descumprindo os protocolos. Para ela, esse comportamento influencia negativamente a realidade de cidades vizinhas e turísticas.

“Fizemos uma portaria que torna essas regras mais rígidas, e os estabelecimentos que as descumprirem vão ser multados e fechados”, reforçou Fátima. Segundo a secretária, outra nova medida adotada pelo município é quanto à definição do que se considera aglomeração na capital, que vai constar em decreto previsto para ser publicado ainda nesta quarta-feira (09/09). “Até para facilitar o trabalho de fiscalização por parte dos policiais.”

Em sua fala, o titular da Secretaria de Estado da Saúde, Ismael Alexandrino, ressaltou que o último fim de semana foi uma lição negativa. “O sentimento foi de frustração. As pessoas têm dado as suas vidas no trabalho nos hospitais, o pessoal da segurança pública também e isso não é banal”, lembrou.

Para o presidente da Goiás Turismo, Fabrício Amaral, o segmento turístico seria muito prejudicado com um novo fechamento e grande parte dos empresários está cumprindo os protocolos, entretanto, em sua avaliação, o que aconteceu no último fim de semana foi algo totalmente atípico e infeliz. “O feriado pós-flexibilização foi um ponto fora da curva. Eu fiquei muito frustrado, estarrecido e acho importante uma campanha forte de conscientização”, reforçou.

Polos turísticos

O grande número de turistas que desembarcou em Aruanã no último feriado surpreendeu o prefeito Hermano de Carvalho. “Na sexta-feira à noite, me deparei com notícia do povo de São Paulo descendo para o litoral paulista, Rio de Janeiro. Mas nunca pensei que isso poderia acontecer aqui. Eu fiquei estarrecido quando, às 2 horas da manhã, Aruanã estava entupida” e conclui “não foi em Aruanã, em Caldas Novas ou apenas nas cidades de Goiás, aconteceu em todas as cidades turísticas do Brasil”.

A conscientização da população foi apresentada como um ponto essencial para os prefeitos, que pediram o apoio do Governo do Estado em ações com este foco. Segundo eles, apesar da importância do turismo para a economia, ficou claro que muitos visitantes não respeitaram os protocolos sanitários. “Eu acompanhei de perto, muitos turistas sem máscaras andando na cidade”, lamentou a prefeita da cidade de Goiás, Selma de Oliveira Bastos.

Para o prefeito de Pirenópolis, João Batista Cabral, a realidade seria outra se as restrições à entrada de turistas na cidade estivessem sendo mantidas, entretanto, destaca que uma decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) determinou a reabertura da cidade.

Em Rio Quente, o prefeito João Pena sugeriu que assim como foi proposto pelo município vizinho de Caldas Novas, nos próximos feriados prolongados apenas os turistas com reservas prévias sejam permitidos, respeitando o limite de pessoas previsto em cada localidade. E pediu: “precisamos das barreiras policiais e sanitárias”.

Também avalizaram a proposta os prefeitos Marinho Mendes (Alto Paraíso), José Elias Fernandes (Aragarças), Azaíde Donizetti (Luís Alves), Adivair Gonçalves (Lagoa Santa), Hugo Deleon (Três Ranchos), Marconni Pimenta (Britânia), André de Sousa Chaves (Buriti Alegre), Gustavo Marques (Formosa), Ailton José Barretos (Bandeirantes) e Francisco Alves de Souza Junior (Teresópolis). A videoconferência contou ainda com a participação do secretário de Comunicação, Tony Carlo e da superintendente da Vigilância em Saúde, Flúvia Amorim.

Foto: Hegon Corrêa

Secretaria de Comunicação – Governo de Goiás

 

Deixe um comentário