Ad
Home Últimas Notícias Centro Universitário de Anápolis agora é UniEvangélica

Após 74 anos, maior instituição de ensino superior de Anápolis passa a ser considerada universidade com todas as prerrogativas legais. Governo de Goiás atende 600 estudantes matriculados na instituição com o ProBem, que já investiu R$ 23 mi, em 2021

Publicado: 01.06.2021

O governador Ronaldo Caiado e o ministro da Educação, Milton Ribeiro, participaram da solenidade que transformou o Centro Universitário de Anápolis em Universidade Evangélica de Goiás (UniEvangélica), na noite desta segunda-feira (31/05), em Anápolis. O ato foi marcado pela assinatura de portaria ministerial para consolidação da mudança, efetivada após 74 anos de fundação da instituição. “Uma universidade tem dever com seu Estado, com a sociedade, para atuar em sintonia com pessoas de bem que queiram trazer pesquisa e trabalhar cada vez mais no apoio às famílias vulneráveis”, defendeu Caiado.

O governador defendeu o retorno das bolsas de pesquisa e especialização em benefícios para os estudantes. Ele enalteceu a qualidade do trabalho realizado pela UniEvangélica e os desafios que o título de universidade traz. “A conquista não credencia mais direitos, pelo contrário, impõe mais deveres”, destacou, durante discurso.

O ministro da Educação, Milton Ribeiro, fez questão de proceder à assinatura do ato impresso que promove o status da instituição, juntamente com o governador e outras autoridades. “Deus preparou esse tempo para que um pastor e ministro assinasse o credenciamento”, declarou.

O ministro reforçou as características que marcam a conduta do gestor goiano. “Eu, que ordeno por dia R$ 480 milhões, tenho muita alegria quando participo de um evento com homens públicos de verdade, que não querem roubar, mas sim doar”, enalteceu.

ProBem

Em janeiro deste ano, o governador Ronaldo Caiado criou o Programa Universitário do Bem (ProBem) que oferece bolsas para estudantes que se encontram em situação de vulnerabilidade social. Somente na Universidade Evangélica são 594 contemplados com o programa estadual.

Em 2021, o ProBem recebeu R$ 23 milhões em recursos estaduais. O montante foi destinado ao pagamento de parte da dívida com Instituições de Ensino Superior deixada por governos anteriores. O débito herdado soma oito meses de pendências financeiras com 82 faculdades credenciadas no então Programa Bolsa Universitária.

O reitor da UniEvangélica, Carlos Hassel Mendes, classificou o momento como memorável e agradeceu à comunidade acadêmica em geral pelo salto de qualidade do trabalho científico e de extensão. Ao lembrar a “saga histórica” da Associação Educativa Evangélica, reconheceu a importância da “luta” realizada pelos fundadores da instituição. “Aqueles que estão aqui há 40, 30, 20 anos podem testemunhar o quanto foi importante esta semeadura, como foi plantado com lágrimas, suor, dedicação e empenho”, lembrou.

O senador Vanderlan Cardoso destacou a atuação parlamentar para consolidar a autonomia administrativa e financeira de universidades em Goiás e outros estados – como Mato Grosso, Tocantins e Pernambuco – um grupo de instituições classificado como “supernovas”. “Hoje estamos aqui colhendo esses frutos. Está aí de fato e de direito a nossa Universidade Evangélica de Goiás”, celebrou. “A educação é o futuro de Goiás e do Brasil”, defendeu o senador Luiz do Carmo, também presente no evento.

UniEvangélica

Detentora do maior conceito do Ministério da Educação (MEC) em Anápolis, a instituição de ensino superior está entre as melhores do Estado, conforme o Índice Geral de Cursos (IGC) de 2019. Na avaliação, a UniEvangélica tem conceito quatro e figura entre as quatro melhores de Goiás. São mais de 35 cursos de graduação, quatro mestrados e dois doutorados ofertados pela universidade, autorizados pelo MEC e pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).

A Associação Educativa Evangélica (AEE), mantenedora da universidade, foi criada em 31 de março de 1947 por grupo de missionários e autoridades evangélicas, sob a liderança do reverendo Arthur Wesley Archibald. A primeira instituição mantida pela associação foi o Colégio Couto Magalhães, criado em 1932, em Anápolis. Desde a fundação, a UniEvangélica já foi Faculdades Integradas, Centro Universitário e, agora, atingiu o grau de Universidade Evangélica de Goiás.

O presidente da associação e chanceler da UniEvangélica, Augusto César Rocha Ventura, relembrou os primórdios da fundação da instituição ao destacar que os “fundadores pensaram longe” e reforçou que a responsabilidade aumenta muito mais com a mudança de nível da instituição. “Faço um compromisso com a sociedade: vamos investir sempre na excelência da educação, queremos ver o Brasil transformado. Uma universidade é fundamental para isso, não existe desenvolvimento sem conhecimento”, assinalou.

Para o vice-prefeito de Anápolis, Márcio Cândido, que representou o prefeito Roberto Naves, o dia é histórico para a educação superior no município. Ele enalteceu os frutos da atuação conjunta entre Prefeitura e instituição. “Fico feliz com as parcerias com a UniEvangélica. Todas elas fazem com que a cidade de Anápolis esteja mais preparada para os desafios que vêm pela frente”, defendeu ao citar ações na área da saúde e cultura.

Deixe um comentário