Ad
Home Últimas Notícias Cartilha sobre LGBTfobia visa educar para combater violência

A ideia é poder auxiliar pessoas LGBTQIA+ em todo o Estado de Goiás quanto às violações de direitos humanos por causa de suas diferentes identidades de gênero e sexualidades. A cartilha traz orientações sobre o que é LGBTfobia, como acontece e quais os canais de denúncia e as principais redes de acolhimento em Goiás

Publicado: 11.11.2021

O Comitê Estadual de Enfrentamento à LGBTfobia no Estado de Goiás (Comellg) editou e publicou cartilha sobre o assunto, com o objetivo de combater a violência no Estado. A ideia da Cartilha é poder auxiliar pessoas LGBTQIA+ em todo o Estado de Goiás quanto às violações de direitos humanos por causa de suas diferentes identidades de gênero e sexualidades.

Acesse a cartilha clicando aqui.

A Cartilha, intitulada “Será que fui vítima de LGBTfobia?”, traz orientações sobre o que é LGBTfobia, como ela acontece e quais são os canais de denúncia e as principais redes de acolhimento em Goiás. Por meio dela, as pessoas que estão sofrendo alguma violência de LGBTfobia poderão recorrer aos locais de denúncia ou fazê-la por telefone e e-mail. Há ainda a informação sobre como procurar ajuda em casos que necessitem de acompanhamento e acolhimento socioassistencial.

O Comitê é composto por membros de vários órgãos do Governo de Goiás. A professora Flávia Valéria Melo é representante da UEG, juntamente com a professora Cristhyan Martins Castro Milazzo. “Produzimos a cartilha com o intuito de facilitar o acesso de pessoas às informações sobre o enfrentamento às violências e violações dos direitos humanos de pessoas LGBTQIA+, além da disponibilização de contato com os órgãos de denúncia para os crimes de LGBTfobia no Estado de Goiás”, comenta a professora Flávia.
A ideia de escrever a cartilha surgiu como uma demanda trazida pelos membros do Comitê. “Desde fevereiro de 2021, nós, representantes do Comellg  passamos a nos reunir constantemente, de forma on-line, para discutirmos sobre as pautas mais urgentes do Comitê e passamos a elaborar juntos algumas ações de trabalho. A partir daí, nós nos dividimos em diferentes comissões para potencializar o nosso trabalho”, diz Flávia. A cartilha é fruto do grupo de trabalho desta comissão.

Pesquisa de dados
Atualmente, o Comitê se dedica também à realização de uma pesquisa e levantamento de dados sobre a população LGBTQIA+ do Estado de Goiás. A proposta é fazer um mapeamento sociodemográfico sobre a população LGBTQIA+ goiana, com o intuito de subsidiar a formulação de políticas públicas voltadas para essa população e também contribuir com pesquisas relacionadas a essa temática.

O questionário da pesquisa pode ser respondido de forma on-line. Para participar, basta clicar aqui.

Vale lembrar que o questionário deve ser respondido somente por pessoas LGBTQIA+ que vivem em Goiás. Ele leva aproximadamente 8 minutos para ser respondido e todas informações pessoais serão mantidas anônimas.

Sobre o Comitê

O Comellg foi criado pelo Decreto nº 9.755, de 30 de novembro de 2020, com o objetivo de apoiar, articular, deliberar, propor, fomentar, monitorar e avaliar, numa conjunção de esforços com a sociedade civil, as ações governamentais e a política pública estadual de enfrentamento às várias formas de preconceito e de violência contra pessoas LGBTQIA+.

Fonte: Universidade Estadual de Goiás (UEG)

Deixe um comentário