Ad
Home Últimas Notícias DGAP retorna visitas de familiares aos presídios em Goiás

Espaço de convivência familiar utilizado nos presídios do Ceará: modelo semelhante será construído em Goiás (Secretaria da Administração Penitenciária– CE)

O retorno das visitas foi programado há mais de seis meses pela DGAP, desde que a pandemia iniciou uma curva de queda no país. Serão quatro modalidades de visitação: presencial em parlatórios, em espaços lúdicos e em convívio familiar, além do virtual

Publicado: 28.04.2022

A Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP) retornará com as visitas de familiares aos presos do sistema penitenciário goiano de forma gradual. Serão quatro modalidades de visitação: presencial em parlatórios, em espaços lúdicos e em convívio familiar, além do virtual. Nos próximos 30 dias, a DGAP cadastrará (ou recadastrará) os familiares que quiserem ter acesso às visitas.

O retorno das visitas foi programado há mais de seis meses pela DGAP, desde que a pandemia iniciou uma curva de queda no país. “Fizemos um plano de retomada das visitas. É extremamente importante o contato social do apenado com seu familiar, para que ele não perca os vínculos familiares, extremamente importantes no processo de ressocialização”, afirma o diretor-geral de Administração Penitenciária, Josimar Pires.

O plano de retomada das visitas, inclusive, foi apresentado nesta quarta-feira (27) aos integrantes do Grupo de Monitoramento e Fiscalização do Sistema Penitenciário de Goiás (GMF), durante reunião no Fórum Criminal, no Jardim Goiás. A portaria, já publicada no site da DGAP, recebeu contribuições do GMF, que é composto por promotores de Justiça, juízes, desembargadores, defensores públicos e conselheiros da comunidade, dentre outros.

 

“As contribuições foram acolhidas e estão em nossa portaria. Foi um encontro bastante produtivo”, destaca o diretor-geral Josimar Pires, que participou da reunião acompanhado do secretário da Segurança Pública, Renato Brum dos Santos.

Modalidades

As visitas serão permitidas em três modelos presenciais (parlatórios, espaços lúdicos e convívio familiar) e um virtual (videoconferência). Aos presos serão oportunizados o direito a até três visitas por mês de familiares, divididas nas quatro modalidades.

As modalidades parlatório e virtual já foram implementadas em boa parte das unidades prisionais do Estado. No parlatório, o tempo de interação máxima com o detento é de 30 minutos; no virtual, até 20 minutos.

Quanto aos espaços lúdicos, sem carceragem, as unidades de São Luís de Montes Belos e Luziânia já contam com o local. Outros presídios também já estão com obras de adaptação. Podem ter acesso às visitas crianças e descendentes (menores de 18 anos) filhos dos privados, com duração máxima de 45 minutos.

Espaço lúdico construído Unidade Prisional Regional de São Luís de Montes Belos: outras unidades prisionais goianas estão adotando o modelo

 

Sobre os espaços de convívio familiar, eles serão construídos e/ou adaptados pela DGAP de forma gradual nas unidades prisionais que comportarem essas obras. As visitas terão duração máxima de 30 minutos.

“É inédito, em Goiás, a regulação dessas modalidades de visitação. Lembrando que, cada modalidade, será empregada nas unidades de acordo com seu nível de segurança. Nós temos, hoje, Presídios de Segurança Máxima, Unidades Prisionais Estaduais e Unidades Prisionais Estaduais”, finaliza o diretor-geral.

Fonte: Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP)

Deixe um comentário