Ad
Home Destaques Dengue: casos caem mais da metade em uma semana em Anápolis

Estratégia de participação popular e sociedade organizada adotada pela Prefeitura de Anápolis, mais uma vez, apresenta resultados positivos

Publicado: 26.05.2022

Foto: Bruno Velasco

O jargão “a união faz a força” não é clichê quando o assunto é o combate à dengue. As ações rotineiras e arrastões com entidades parceiras, junto à comunidade, começam a mostrar resultados positivos. Prova disso é o boletim epidemiológico que trouxe uma redução de 1.604 para 797 notificações em uma semana. Para o prefeito Roberto Naves, este avanço se deve ao trabalho conjunto da Prefeitura e a sociedade organizada. “Nosso trabalho não para e vamos intensificar, mas o combate à dengue e outras doenças causadas pelo mosquito transmissor é uma via de mão dupla. É fundamental o apoio e conscientização da população e das entidades públicas e privadas”, ressalta o prefeito.

Além do trabalho diário da Prefeitura de Anápolis, nesta sexta-feira, 27, o batalhão composto por mais 400 pessoas entre agentes de endemias e comunitários de saúde, membros do Corpo de Bombeiros, Base Aérea e Secretaria de Obras vão novamente às ruas para conscientização e eliminação de focos do Aedes Aegypti. Desta vez, será na região do Jardim Alexandrina. Segundo a gerente de Endemias, Patrícia Godói, mesmo com a melhora no quadro, a situação continua crítica. “Somente com a colaboração de toda comunidade é possível eliminar o mosquito”, ressalta ela.

O aumento dos casos de dengue neste ano é uma realidade em todo o País, devido ao período chuvoso, à sazonalidade e ciclo no mosquito que aumenta a sua incidência a cada dois anos.

Em Anápolis, para melhorar o atendimento público de saúde devido ao período endêmico da Dengue, a Prefeitura criou duas unidades exclusivas para pacientes com sintomas (São José e Bairro de Lourdes), além do Parque Iracema, e a primeira unidade básica de saúde pediátrica do Brasil, no posto do Arco-Íris. Tudo para desafogar as principais portas de entrada para todas as doenças que são as UPAS da Vila Esperança e Pediátrica.

Deixe um comentário