Ad
Home Geral Guia orienta sobre os cuidados com a saúde mental na pandemia da...

Durante períodos de isolamento, o mal-estar psicológico fragiliza a capacidade de adaptação e reação ao confinamento

Em meio à pandemia da doença pelo coronavírus 2019 (Covid-19) e ao isolamento social para conter o avanço do vírus, surge outra preocupação com a população e os profissionais de saúde brasileiros: como cuidar da saúde mental durante a quarentena? Para orientar, o governo estadual, por meio da Secretaria da Saúde de Goiás (SES-GO), criou um material informativo para contribuir com o bem-estar da população.

Guia de Cuidado da Saúde Mental na Pandemia da Covid-19 e Isolamento Social traz orientações sobre como se cuidar psicologicamente em um momento de crise como o atual. O período de isolamento traz desafios, novas formas de se relacionar, habilidades para trabalho home office e mudança da rotina diária. Diante desse cenário, é necessário se atentar aos cuidados com a saúde física e emocional. Durante períodos de isolamento, o mal-estar psicológico fragiliza a capacidade de adaptação e reação ao confinamento.

A superintendente de Saúde Mental da SES-GO, Candice Rezende, explica que o isolamento social é adotado para evitar a disseminação em maior escala do coronavírus, visto que o momento é cheio de desafios. “Aqui no nosso País, temos a tradição de manter o contato físico para nos cumprimentarmos, de estarmos reunidos, a cultura da aproximação. Assim, o afastamento social tem sido um desafio e um momento para repensarmos nossas atitudes e hábitos”, diz a superintendente.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) alertou para o cenário de pandemia, que exige cuidados em saúde mental na situação vivenciada pela Covid-19. O isolamento social pode trazer diversos problemas nos níveis individual, familiar, comunitário e social. Para alguns, o isolamento ocasiona mal-estar, fragilizando a capacidade de adaptação e reação, produzindo respostas fisiológicas e emocionais que podem impactar nosso sistema imunológico e a condição de equilíbrio mental.

O material desenvolvido pela SES-GO está disponível para download e pode ser compartilhado entre todos os interessados. “Nosso objetivo é atingir o maior número de pessoas. O fortalecimento da saúde mental é importante, pois sabemos que há uma relação bem próxima entre saúde física e emocional em relação à imunidade. Cuidar da saúde mental nessa fase é muito necessário”, reforça Candice Rezende.

Confira sugestões para os cuidados com a saúde da mente:

Evite excesso de informações
Você tem condições de filtrar conteúdos e impor limites quanto à sua exposição a informações que alterem seu estado de humor. O excesso provoca ansiedade. Por isso, procure assistir noticiários apenas uma vez ao dia. A repetição constante das informações e o exagero ou falsas notícias podem deixar a pessoa em estado mental de constante alerta, prejudicando o relaxamento e a capacidade de discernimento.

Evite pensamentos negativos
O isolamento social não é punição e, sim, preservação e contribuição para o bem comum. Permanecer em casa por alguns dias é necessário, mas não é uma condição definitiva. Evite o pensamento negativo. Crie momentos de autocuidado, hidrate o cabelo, corte e faça as unhas, tente buscar novas receitas na cozinha, escute boa música, leia livros, faça curso on-line. O importante agora é voltar para o autocuidado mental e físico.

Evite solidão como percepção de abandono
Você tem condições de se fazer presente, ainda que fisicamente longe. Use toda tecnologia disponível para manter-se conectado com a vida e com as pessoas que você estima. Una-se aos seus familiares e amigos, promovendo boas conversas, por meio de videochamadas, telefonemas ou mensagens.

Evite não fazer nada
Para combater a ansiedade provocada pelo isolamento, faça exercícios físicos em casa, pinturas com as crianças, atividades manuais, busque novas receitas. Desafie-se. Busque aprender alguma atividade nova neste período de confinamento. Estabelecer uma rotina diária ajuda na realização de projetos.

Reoriente seu trabalho
A nova experiência do regime home office pode causar insegurança e angústia. Por isso, respeite as pausas e os intervalos, procure um lugar da casa silencioso, faça sua agenda de trabalho, organize seu tempo e apresente sua nova rotina para família.

Envolva a família em atividades domésticas
A organização da casa é responsabilidade de todos. Divida as atividades, refeições, higiene e limpeza, para não sobrecarregar e ocasionar estresse. Você tem condições de dividir espaços, aceitar rotinas e propor acordos visando a unidade familiar.

Ajude o próximo
O momento requer o olhar e cuidado com o próximo. Idosos, portadores de deficiências e grávidas precisam ter prioridade. Na fila do supermercado, conceda seu lugar. Faça doações, se possível, de mantimentos e materiais de higiene pessoal.

Para oferecer ajuda com responsabilidade, é preciso garantir a sua segurança e a do próximo. Evite que as suas ações coloquem as pessoas em maior risco. Assegure-se, o máximo possível, de que os idosos e as crianças que recebem a sua assistência estejam seguros de contaminação e exposição. Você é capaz de ajudar a si e ao próximo com apoio social, físico e emocional.

Baixe a Cartilha:
http://www.saude.go.gov.br/files/banner_coronavirus/manual_saudemental-coronavirus.pdf

 

Deixe um comentário