Ad
Home Últimas Notícias Carro que casou acidente ‘corria muito’, diz testemunha

go-acidente

O agente de crédito Júlio César Beltran, que testemunhou o acidente grave na GO-462, em Goiânia, no domingo (13), conta que o motorista do VW Polo estava em alta velocidade e perdeu o controle em uma curva. O carro colidiu de frente contra um Fiat Palio, deixando seis mortos, entre eles duas crianças. Outros dois menores sobreviveram e seguem internados.

Segundo Beltran, que estava em um veículo atrás do Palio, o Polo, que seguia no sentido de Santo Antônio a Goiânia, saiu da pista. “Não teve ultrapassagem. Só estávamos eu e um carro na minha frente [Palio], aí o outro [Polo], que estava no sentido contrário, já veio assim de lado, meio que varrendo a pista. Ele corria muito. Se tivesse outro carro eu teria chocado contra ele, pois eu acabei jogando na pista contrária para sair do acidente”, afirmou.

A colisão aconteceu na manhã de domingo. Os dois ocupantes do Polo, de 29 e 28 anos, e quatro ocupantes do Palio, que eram todos da mesma família, não resistiram aos ferimentos e morreram no local. Já as duas crianças que estavam no Palio e sobreviveram, sendo uma menina de 10 anos e um menino, de 7, foram socorridas e encaminhadas ao Hospital de Urgências Governador Otávio Lage de Siqueira (Hugol).

De acordo com boletim médico divulgado pela unidade no início da tarde desta segunda-feira (14), as duas vítimas seguem internadas na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). A menina, que passou por uma cirurgia, tem quadro considerado gravíssimo. Já o menino está em estado grave.
Imprudências

A Polícia Rodoviária Federal (PRE) explicou que o Polo saiu da pista e, ao voltar, invadiu a pista contrária e colidiu frontalmente contra o Fiat. A corporação também diz que o motorista corria muito no momento que provocou a batida.

“O Polo estava em alta velocidade. Posso afirmar isso porque o velocímetro travou em 130 km/h. Porém, teve uma frenagem de mais de 15 metros, por isso, a gente supõe que estava bem acima de 130 km/h”, disse o tenente Edinailtion de Souza.

Além da alta velocidade do Polo, a Polícia Civil também diz que o condutor do Palio também foi imprudente, pois levava quatro crianças no banco traseiro sem cadeirinha e cinto de segurança.
“A vida dessas duas crianças que morreram poderia ter sido preservada se elas estivessem sido transportadas na cadeirinha e usando o cinto de segurança. Cabe aí um alerta aos pais”, disse a delegada Nilda Andrade, titular da Delegacia Especializada em Investigação de Crimes de Trânsito de Goiânia (Dict).

Deixe um comentário