Ad
Home Destaques Central de Flagrante da Polícia Civil será inaugurada em setembro

A Central de Flagrante e Pronto Atendimento ao Cidadão da Polícia Civil de Goiás, construída ao lado do complexo de delegacias especializadas, no Setor Cidade Jardim, em Goiânia, deve ser inaugurada na primeira quinzena de setembro, segundo previsão da Delegacia Geral da Polícia Civil. A obra, que centralizará o trabalho realizado hoje por quatro distritos e uma delegacia que funcionam 24 horas – 1º, 5º, 8º e 20º Distritos Policiais (DPs) e a Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam)- está avaliada em cerca de R$ 1,7 milhão, provenientes de convênio da Polícia Civil com o Ministério Público do Trabalho (MPT).

Os recursos são oriundos de multa aplicada a uma empresa por processo trabalhista. Esse já é o segundo prédio da instituição construído graças à parceria. O primeiro foi a Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA), localizada no Setor Jardim América, em Goiânia.

De acordo com o delegado-geral da Polícia Civil de Goiás, João Carlos Gorski, a proximidade do novo prédio com a sede do Instituto Médico Legal (IML) vai agilizar o trabalho de registro, uma vez que todos os procedimentos de flagrante precisam, necessariamente, passar pela Polícia Técnico-Científica. “A maior parte dos flagrantes, geralmente feita à noite e nos finais de semana, é atendida pela Polícia Militar e estávamos observando um acúmulo e um tempo muito grande de parada das viaturas da Polícia Militar num determinado DP e uma demora para retomar as atividades de policiamento preventivo. Isso porque muitos procedimentos têm que vir para o IML ou para o Instituto de Criminalística para realização dos exames de praxe como corpo de delito, constatação de drogas e armas. Só depois que eles retornam que é lavrado o procedimento na delegacia”, explica.

Na Central não haverá mais circunscrição. O IML fica do lado e essa proximidade vai agilizar o atendimento e os policiais serão liberados rapidamente”, explica.  Com a nova central, apenas os procedimentos de flagrante serão transferidos, sem prejuízo dos trabalhos diários das delegacias, como boletins de ocorrência (B.O.s), termos circunstanciados de ocorrência (T.C.O.s) e investigações. “Por consequência, o atendimento diário nas delegacias também será melhorado, já que haverá um desafogamento”, avalia.

Estrutura
A Central de Flagrantes terá área total superior a 4,7 mil metros quadrados. Serão cinco cartórios, além de refeitório, sanitários, sala de convivência e estacionamento. Uma guarita controlará o acesso ao prédio. Por meio de convênio com governo federal serão investidos mais de R$ 300 mil para equipar a unidade com 13 novas viaturas, 30 computadores, além de outros materiais.

Em cada turno vão trabalhar quatro delegados, dez escrivães e 25 agentes na escala de 24 por 72 horas. Os profissionais serão remanejados de unidades circunscritas à 1ª Delegacia Regional de Polícia ou das próprias centrais de flagrante. Conforme reforça o delegado-geral, o atendimento na Central de Flagrantes terá padrão Vapt Vupt de qualidade. Outro diferencial é que haverá uma recepção exclusiva para os presos, que serão conduzidos pelos fundos do prédio para evitar o contato com a população, o que acaba causando constrangimento em alguns casos. É uma forma de humanizar o atendimento, acrescenta Gorski, que diz que isso ainda ocorre em decorrência da frágil estrutura de algumas delegacias.

(Com Goiás Agora)

central

Deixe um comentário