Ad
Home Destaques Opinião: Nossos profissionais de TI a serviço de outros países!

“E, chegando ao ‘ X ‘ da questão, conforme matéria do Valor Econômico (4), na área de tecnologia sobram vagas e, atualmente, o país vive uma “Evasão Silenciosa de Talentos”. Bem! E é por isso que precisamos fazer mais… para prosperarmos mais!”

Publicado: 19.04.2021

Meses de trabalho remoto, lidando com os desafios da Covid-19, e uma estratégia parece ter funcionado na Tecnologia da Informação (TI): o trabalho distribuído, que impulsiona o engajamento produtivo. E, como já afirmei em artigo sobre As Estratégias e as Estruturas administrativas (1), sai a gestão do tempo e entra a gestão de resultados… é o Teletrabalho! E, neste momento, se sobressai a Covid-19 como impulsionadora de uma tendência que já se alinhava em ser vitoriosa.

E são realistas as palavras de Doug Schmitt, Presidente da Dell Technologies Services, afirmando que a TI remota veio para ficar. “O trabalho é um resultado, não um local físico”, afirma. “Habilitar um programa de local de trabalho remoto pode ser um componente estratégico da cultura e das operações de uma empresa”. (2). E foca-se no trabalho em casa, impactando na conquista e retenção de talentos!

E é por isso que podemos fazer mais, podemos prosperar mais! Pois é preciso reter os nossos talentos! E é um trabalho para os gestores de nossas cidades. Para os gestores que entendem o novo normal! É um trabalho para gestores talentosos e aptos a enfrentar os desafios da inovação!

Ainda, conforme matéria do Jornal Gazeta do Povo (3), sobre os profissionais da TI “A demanda deve crescer para 420 mil profissionais ao ano nos próximos três anos, que idealmente deveriam falar inglês, trabalhar com metodologias ágeis e ter bom relacionamento interpessoal para atuar em equipes.”.

E, chegando ao ‘ X ‘ da questão, conforme matéria do Valor Econômico (4), na área de tecnologia sobram vagas e, atualmente, o país vive uma “Evasão Silenciosa de Talentos”. Bem! E é por isso que precisamos fazer mais… para prosperarmos mais!

O setor precisaria avançar em diferentes segmentos de nossa economia, mas nossas empresas enfrentam a crescente concorrência de empresas estrangeiras; o que pode atrapalhar a recuperação do país. Com o dólar alto, contratar em reais é barato. E, com o trabalho remoto, nem é preciso se preocupar com vistos e mudanças. “As tecnologias de comunicação aplainaram o acesso ao capital humano. Não existem mais barreiras geográficas. Empresas de fora estão contratando profissionais que já são escassos aqui” e “Estamos vivendo uma evasão silenciosa.” Mas ainda há uma esperança; pois, por enquanto, estão aqui, gastando o que ganham aqui. Será?

E o portal INSIDER (5) revela dezessete destinos no mundo que aceitam trabalhadores remotos, oferecendo vantagens de visto de permanência e de isenção de impostos, para que os trabalhadores remotos gastem seus rendimentos nesses destinos. Já imaginaram? Nossos trabalhadores a serviço de outros países e gastando o que ganham fora do Brasil!

E é por isso que podemos fazer mais, podemos prosperar mais!

Em agosto de 2020, o Jornal Contexto (6) registrou, em Anápolis, a inauguração do Centro de Empreendedorismo, Inovação e Tecnologia de Anápolis (CEItec), “com a promessa de lançar as bases para um novo ciclo de desenvolvimento da Cidade e abrir um ‘guarda-chuvas’ de oportunidades aos jovens que estão no ensino superior, com muita ideia na cabeça e vontade de empreender […]”.

Mas, salvo melhor juízo, o que parecia ser uma grande transformação tecnológica, só teve como primeiro passo a inauguração do prédio. Anápolis permanece com o mesmo gestor e já se passaram oito meses da inauguração do prédio. E o prédio continua sendo apenas o prédio, obviamente, depreciado pelo tempo.

É isso! E sua cidade, e a nossa cidade… tem alguma iniciativa para reter os profissionais de TI, os nossos talentos?  Pense nisso! Cobre dos seus gestores; pois, se queremos uma sociedade tecnológica, apoiada no conceito de bem-estar do cidadão, com pilares de cidade inteligente, precisamos fazer mais, precisamos prosperar mais!

E, mais uma vez, sobre uma cidade goiana ser o OÁSIS TECNOLÓGICO DO CENTRO-OESTE, quem sabe em outro momento!

Mas fica o desafio!

Pois é por isso que podemos fazer mais, podemos prosperar mais!

 

Brigadeiro Bragança

Comandante da Base Aérea de Anápolis em 2008-2009

 

Fontes:

https://portalcontexto.com/centro-de-tecnologia-e-inovacao-pode-abrir-novo-ciclo-da-economia-de-anapolis/

Deixe um comentário