Ad
Home Destaques Goiás tem saldo de 39.804 empregos com carteira assinada no 1º trimestre

Números colocam Goiás em primeira posição no Centro-Oeste durante primeiro trimestre do ano. Saldo de empregos no Estado no mês de março foi de 4.952 novas vagas.  Setor de serviços foi o que mais gerou oportunidades. Governador Ronaldo Caiado destaca programas para apoiar trabalhadores autônomos, micro e pequenos empreendedores

Publicado: 29.04.2021

Os números da geração de empregos em Goiás seguem em alta. Nesta quarta-feira (28/04) foram divulgados os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), órgão do Ministério da Economia, e mostram saldo positivo de 4.952 novos empregos com Carteira de Trabalho assinadas no mês de março.

Com esse resultado, Goiás chega ao saldo de 39.804 vagas de empregos criadas no primeiro trimestre de 2021 e supera o saldo registrado em todo ano de 2020, quando 26.258 carteiras de trabalho foram assinadas.

O resultado do primeiro trimestre coloca Goiás na liderança entre os estados da Região Centro-Oeste, à frente de Mato Grosso (29.142 vagas), Mato Grosso do Sul (15.850) e Distrito Federal (9.809).

Os números dos empregos do Caged ainda colocam Goiás na 7ª posição nacional na geração de empregos no primeiro trimestre, atrás de São Paulo (1º/253.460 vagas), Minas Gerais (2º/108.109), Santa Catarina (3º/87.127), Paraná (4º/78.484), Rio Grande do Sul (5º/74.448) e Bahia (6º/42.718).

O saldo nos três primeiros meses é registro de 171.452 admissões contra 131.648 desligamentos.

Quando é feita a avaliação apenas do mês de março, Goiás ocupa a segunda posição na Região Centro-Oeste e a nona posição nacional.

“Promovemos toda uma política com a Secretaria da Retomada para alicerçar os micro e pequenos empresários, empresários individuais, como também a área de turismo, do lazer, da cultura, para que fossem resgatados. Goiás responde como exemplo para o país”, afirma o governador Ronaldo Caiado.

Titular da Secretaria de Indústria, Comércio e Serviços (SIC), José Vitti avalia o resultado como amplamente positivo, considerando que o mês de março foi bastante complicado em razão da pandemia de Covid-19, com fechamento de atividades em municípios.

“O resultado em março nos surpreende e mostra que as ações do governador Ronaldo Caiado no sentido de ajudar especialmente os micro e pequenos empresários a não fecharem as portas estão surtindo efeitos positivos na economia”, afirma Vitti. “Hoje já não temos mais decretos determinando fechamento de atividades, o que nos deixa ainda mais animados para os próximos resultados”, diz o secretário.

O Programa Estadual de Apoio ao Empreendedor (Peame), coordenado pela Agência de Fomento de Goiás (GoiásFomento) disponibiliza um total de R$ 112 milhões para linhas de crédito especiais, com taxa de juros 100% subsidiada pelo Governo Estadual e carência estendida. O principal objetivo do programa é socorrer os micro e pequenos empresários, microempreendedores individuais (MEI) e trabalhadores autônomos do Estado, além de feirantes e motoristas de aplicativo, diante das dificuldades financeiras impostas pela pandemia da Covid-19.

Empregos por setor

Entre os setores por atividade econômica que mais gerou empregos está o de serviços com 2.426 vagas, seguido por agropecuária (1.675), indústria (1.350), comércio (403) e construção civil que ficou no vermelho com (-902).

O Caged também apontou os dados da geração de empregos no Brasil no mês de março, que apresentou saldo positivo de 184.140. Apesar do número positivo, o País registrou uma perda de 114% em relação a fevereiro.

Fonte: Secretaria de Indústria, Comércio e Serviços (SIC)

 

Deixe um comentário