Ad
Home Destaques Artigo: Em Céu de Brigadeiro – gestão, cultura e história!

“À época, a marchinha da campanha entoava “Salve, Salve… o Brigadeiro!” (2).

“Militar com vocação democrática e forte senso de justiça social.” (1)

Publicado: 24.05.2021

As tradições… os valores históricos, não podem ser esquecidos!

Nossa história, a história da Força Aérea Brasileira (FAB) e do Brasil, encontra o Brigadeiro Eduardo Gomes – “Militar com vocação democrática e forte senso de justiça social.” (1)

Muito preocupado com o nosso País, o Brigadeiro Eduardo Gomes participou de inúmeros momentos marcantes da vida brasileira. “Entre as ações heroicas do brigadeiro – participou da Revolução de 1924, em São Paulo, e lutou contra a Intentona Comunista, em 1935 –, está a sua ação na Revolta dos 18 do Forte de Copacabana em 1922. Empunhando uma espingarda e um pedaço da bandeira nacional, ele e alguns poucos militares marcharam pela orla carioca em direção aos três mil soldados do governo de Epitácio Pessoa, que se opunha ao ideal democrático pretendido por setores de baixa patente das Forças Armadas. Alvejado por um tiro de fuzil, Gomes foi internado, preso e excluído da carreira militar (que seria retomada anos depois). Após o seu retorno, o revolucionário exercitou a sua porção democrática até o fim. Ele foi duas vezes ministro da Aeronáutica, implantou o Correio Aéreo Nacional, um dos fatores da integração do Brasil, e se tornou o patrono da Força Aérea Brasileira.” (1).

E labutou, ainda, pela democracia, como Candidato à Presidência da República pela União Democrática Nacional (UDN).

À época, a marchinha da campanha entoava “Salve, Salve… o Brigadeiro!” (2)

E, por seu carisma e valores, “Não fosse o seu ingresso na política, a guloseima-símbolo de toda boa festa de aniversário, o brigadeiro, não existiria. […]. Em sua primeira campanha presidencial, um grupo de cariocas criou um doce feito de chocolate e leite condensado e passou a vendê-los nos comícios para levantar fundos. A iguaria recebeu o nome de sua patente: brigadeiro.” (1)

Ah! E o Céu de Brigadeiro? Bem, é uma expressão dos anos 50, que significa que as coisas estão bem, está tudo calmo, sem perigos! (3). Ainda, refere-se ao clima, onde só seria possível ver o horizonte e as estrelas em céu limpo e claro. E, considerando-se que as estrelas figuram na insígnia da patente de Brigadeiro, está feita a associação.

Só para esclarecer, nas nossas Forças Armadas, Brigadeiro é a patente do oficial-general da FAB,  Almirante é a patente do oficial-general da Marinha do Brasil (MB) e General é a patente do oficial-general do Exército Brasileiro (EB).

Então, com esse exemplo, acreditando em voos mais altos e em Céu de Brigadeiro; em voos que levem as nossas cidades goianas a cuidarem, sempre, do bem-estar do cidadão, a serem mais inclusivas e mais prósperas…

Fica o desafio!

Pois podemos fazer mais, podemos prosperar mais!

Brigadeiro Bragança

Comandante da Base Aérea de Anápolis em 2008-2009

 

Deixe um comentário