Ad
Home Destaques Anápolis: Imunização com segunda dose ultrapassa 83% da população cadastrada

Município, que tirou obrigatoriedade do uso de máscara, mantém estratégias para continuar imunizando a população. Mais de 90% dos cadastrados já receberam a primeira dose da vacina e 83% a segunda

Publicado: 15.03.2022

Com grande maioria da população cadastrada tendo recebido a primeira dose e 83% a segunda, Anápolis vai se afastando cada dia mais da rotina que, nos últimos dois anos, modificou a vida da população. A estudante de medicina Yasmine Fernandes Marques, de 20 anos, relaciona a melhora do cenário ao avanço das etapas da vacinação. “Acho que é muito bom completar o ciclo vacinal porque é um caminho para a gente poder voltar a um novo normal”, disse enquanto recebia a terceira dose nesta segunda-feira, 14, em um dos oito pontos que oferecem o reforço no município. Ela se junta às quase 98 mil pessoas que, pela terceira vez consecutiva, recebem a proteção contra a Covid-19.

“Por ter uma imunização que já está avançando, acho que tudo bem abrir um pouco as medidas de prevenção, como essa da não obrigatoriedade do uso da máscara. Até porque, desde que estejamos vacinados, o risco é bem menor de nos contaminarmos”, avaliou a estudante para referir-se à dinâmica que o município adotou desde o início da pandemia, endurecendo regras quando estava alta a ocupação de leitos exclusivos para pacientes com a doença e, agora, se moldando a uma realidade que permite menos restrições.

A servidora pública Katianne Alves Barbosa, 33 anos, lembrou que “temos a ciência de que a vacina vai te proteger contra o vírus, pois, caso adquirido, se manifestará com sintomas mais leves e de forma mais branda, evitando internações e morte” e por isso mesmo defende que o movimento vacinal não seja interrompido e a população siga fazendo sua parte em manter a imunização em dia.

Campanha bem-sucedida

Logo no início da pandemia, a Prefeitura de Anápolis estruturou um fluxo organizado na rede municipal de saúde para prestar atendimento aos cidadãos que contraíram coronavírus. Unidades de saúde foram designadas para receber exclusivamente casos da doença. Além disso, a cidade criou leitos próprios para garantir suporte médico à população local, se diferenciando dos municípios que dependiam da regulação estadual ou da rede privada para oferta de vagas.

Sustentando a estratégia responsável por minimizar os impactos negativos da Covid entre os anapolinos, Anápolis liderou o processo de vacinação no Estado e desenvolveu caminhos para facilitar o acesso e manter o controle de imunizados. Com o cadastramento online, a coleta de informações ganhou agilidade, sistematizando rapidamente o grupo populacional apto a receber a vacina e estabelecendo prioridade entre faixas etárias e características de vulnerabilidade diante da doença, como as comorbidades.

A liberação para crianças foi o último passo para a abertura total a públicos passíveis à imunização, combinando o calendário de entrega das vacinas com a preparação antecipada do município, que sempre abriu o cadastramento antes da chegada das doses. Recentemente, outra medida foi tomada para ampliar o alcance da campanha. Equipes de vacinação têm ido a escolas da rede municipal, que funcionam como pontos temporários de imunização.

Emily Sofia, de 5 anos, se prepara para ingressar nos estudos e foi uma das crianças vacinadas na Escola Municipal Professora Francisca Miguel, nesta segunda-feira. “Faz bem para minha família e amigos não pegarem a doença”, disse a menina, entendendo que a vacina impede o agravamento dos casos. Para a mãe dela, Amanda Carolina Vieira de Paula, 23, a imunização é um modo preventivo. “Ela está tomando a primeira dose, que é a Pfizer Pediátrica, e trarei ela no tempo certo para tomar a segunda”, contou.

Deixe um comentário