Ad
Home Últimas Notícias Goiás registrará queda na umidade do ar nos próximos dias

Umidade relativa do ar baixa exige cuidados com a saúde e prevenção de incêndios (Foto: Semad)

Conforme estudos meteorológicos elaborados por técnicos da Semad, indicam permanência de tempo seco, amplitude térmica alta e baixa umidade relativa do ar em todas as regiões goianas. O índice de umidade do ar pode atingir a mínima de 20%, número abaixo do considerado seguro para saúde humana pela Organização Mundial da Saúde

Publicado: 07.07.2022

A Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) alerta para os riscos à natureza e à saúde humana devido às condições climáticas de prognóstico apresentado para os próximos dias. Estudos realizados pelo Centro de Informações Meteorológicas e Hidrológicas do Estado de Goiás (Cimehgo) indicam permanência de tempo seco, amplitude térmica alta e baixa umidade relativa do ar em todas as regiões goianas.

A previsão para esta semana, em Goiânia, é de céu claro, com temperaturas baixas no início da manhã, mas que podem ultrapassar os 30ºC no período da tarde. Outro dado considerado preocupante é a umidade, que na capital pode atingir mínima de 20%. Já a máxima pode chegar a 80%. Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) indicam que o ideal para a saúde humana é uma variação entre 50% e 80%.

Dados do Cimehgo mostram que a região Sudoeste do Estado deve apresentar umidade relativa do ar ainda mais baixa, com previsão de chuva apenas para o final do mês de setembro. Os números são atualizados constantemente e apresentam grande margem de segurança. Os boletins informativos produzidos diariamente pelo Cimehgo estão disponíveis no endereço eletrônico www.meioambiente.go.gov.br/cimehgo.

Monitoramento

Na sala de Situação de Monitoramento de Riscos e Desastres Naturais do Cimehgo, técnicos da Semad monitoram o clima, a qualidade da água e do ar, os riscos de queimadas, a segurança hídrica em bacias críticas, entre outros serviços. O trabalho permite elaborar previsões meteorológicas com até 15 dias de antecedência e climáticas de até seis meses.

A partir dessas informações, o Cimehgo confecciona relatórios com os dados necessários para que usuários, agricultores, órgãos como a Semad e a Defesa Civil possam preparar ações de campo a fim melhorar a qualidade de vida da população, proteger o meio ambiente e promover o desenvolvimento sustentável em Goiás.

Risco de queimadas

Além dos impactos gerados pelas mudanças climáticas quanto à saúde humana, chama a atenção o risco de incêndios florestais. Nesta época do ano a vegetação do bioma Cerrado funciona como excelente combustível. Além disso, a previsão para 2022 é de menor incidência pluviométrica em Goiás devido ao fenômeno La Niña, que direciona maior quantidade de chuvas às regiões Norte e Nordeste do País.

A Semad alerta para os cuidados essenciais que podem prevenir incêndios florestais, uma vez que as consequências, além dos impactos na natureza, são a piora da qualidade do ar, elevação da temperatura e ocorrência de doenças respiratórias. A pasta ressalta que grande parte dos focos de incêndio são causados por ações humanas, como a queima de lixo doméstico, descarte de cigarros nas rodovias e falta de aceiros em propriedades rurais.

Fonte: Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad)

Deixe um comentário