Home Política Prefeito eleito Roberto Naves busca exemplos de bons projetos em Aparecida de...

Prefeito eleito de Anápolis, Roberto Naves (PTB), visita peemedebista Maguito Vilela e sinaliza para criação em Anápolis de setor para captar recursos públicos em Brasília

ORISVALDO PIRES E LUCIVAN MACHADO

A modernização da máquina pública a partir do investimento em tecnologia; o funcionamento de uma secretaria específica para elaborar e encaminhar projetos em busca de recursos no âmbito federal; e os benefícios provenientes da execução de ações por meio de Parcerias Público-Privadas (PPP). Estas são algumas das experiências que o prefeito eleito Roberto Naves (PTB) foi conhecer na Prefeitura de Aparecida de Goiânia, diretamente com o prefeito Maguito Vilela (PMDB). O encontro aconteceu na sexta-feira (2), na sala de reuniões do Centro Administrativo de Aparecida.

No encontro Roberto Naves se fez acompanhar de alguns de seus principais assessores, entre eles Luzia Cordeiro, Altamiro Alcântara, Gérson Santana, Alex Martins, advogado Lúcio Flávio, além do presidente do PROS, Alessandro Lopes. Do outro lado, Maguito Vilela estava acompanhado do prefeito eleito, Gustavo Mendanha Melo (PMDB), e de vários secretários e diretores da prefeitura. “A reunião foi essencialmente técnica, de trabalho. Foi proveitosa. Anápolis precisa voltar a crescer e, para isso, precisamos ver o que deu certo nas cidades que mais se desenvolveram nos últimos tempos. Aparecida de Goiânia teve grau de desenvolvimento industrial e econômico consideravelmente alto”, disse Roberto Naves.

Para o prefeito Maguito Vilela o encontro com o prefeito eleito de Anápolis foi movido pela troca de ideias, de experiência de vida e administrativa. “O Roberto tem essa experiência de vida, sabe que Anápolis é uma das cidades mais importantes deste país e que precisa ser bem administrada”, disse Vilela. Segundo ele, ambos têm muito a aprender um com o outro, sobre as experiências exitosas realizadas na prefeitura de Aparecida de Goiânia e também para deixar de aplicar aquelas ideias que não deram certo. Falou ainda da importância do intercâmbio entre os prefeitos, e deles com os governos estadual e federal.

Na prática, Roberto Naves buscou detalhes sobre os projetos que Maguito Vilela implantou na prefeitura para modernizar, otimizar e desburocratizar a máquina pública. Pôde avaliar que está no caminho certo ao buscar a composição de um secretariado técnico. O prefeito eleito de Anápolis ouviu, por exemplo, sobre a experiência de consolidar a abertura de uma empresa em apenas dois dias e de se emitir alvarás em tempo recorde de 24 horas. “O prefeito Maguito Vilela conseguiu isso porque modernizou a máquina, investiu em tecnologia. Concluímos que precisamos de uma administração que tenha a mente aberta para modernizar e desburocratizar o serviço público” comentou Naves.

Maguito Vilela chamou atenção para o fato de Anápolis, Goiânia e Aparecida de Goiânia formarem um eixo, com extensão aproximada de 200 quilômetros, onde vivem mais de 7 milhões de pessoas. Segundo ele é essencial que Anápolis produza muito por meio de suas empresas, seja na indústria, comércio ou prestação de serviços, pois isso significa o fortalecimento deste eixo e de todo o Centro-Oeste brasileiro. Vilela ressaltou que a capital, Goiânia, não tem vocação industrial, “este papel cabe a outras regiões, como Aparecida e Anápolis”.

Brasília
O entendimento da necessidade de buscar recursos federais para executar grandes obras, disse Roberto Naves, é o fato de já ter feito várias viagens à Brasília, para abrir espaços em ministérios e no Congresso Nacional. “Estamos mostrando o que a cidade tem a oferecer. Anápolis precisa mostrar que é atrativa e que tem condições de receber grandes investimentos”, disse.

O prefeito eleito de Anápolis assegurou que, nos primeiros dias de seu governo, vai criar um setor semelhante à secretaria que Maguito Vilela estruturou em sua administração, com objetivo específico de elaborar projetos e encaminhá-los à Brasília para buscar recursos.

Vilela explicou que a secretaria é “cem por cento técnica”, formada por arquitetos, engenheiros, projetistas, agrimensores, entre outros. “Quem faz os projetos para a saúde, educação, obras, não é o secretário. São os técnicos. O prefeito e os secretários, num segundo momento, vão a campo para cobrar a liberação dos recursos”, disse o prefeito de Aparecida de Goiânia.

Roberto Naves disse que vai criar este setor em sua administração, mas que não deve ser uma secretaria, “nossa situação é diferente de Aparecida de Goiânia, eles não precisam fazer choque de gestão, mas nós teremos que enxugar a máquina pública”. Segundo ele, o novo setor vai elaborar não apenas projetos arquitetônicos e estruturais, mas também de viabilidade financeira, “com todo rito bancário, burocrático, por isso precisamos de uma equipe capacitada tecnicamente para elaborar e apresentar os projetos”.

Maguito Vilela orientou Roberto Naves a manter canal aberto de conversação com entidades empresariais, associações comerciais, federações da indústria e comércio, além do Banco do Brasil, para buscar recursos do FCO. Por fim, Naves confirmou que até dia 15 deste mês anuncia seu secretariado. “Ainda não falei com ninguém. Vou falar com todos em um único dia e, no dia seguinte, anunciar à imprensa. Até para evitar especulações e desgastes. Temos de nos preocupar em trabalhar de forma interna, respeitar o prefeito João Gomes, deixar que ele trabalhe com tranquilidade para resolver os problemas até 31 de dezembro, para saber então quais problemas vão sobrar, para que a gente passe a buscar solução a partir de 1º de janeiro”, concluiu.

Deixe um comentário