Home Economia Acia expõe demandas de Anápolis para o ministro do Desenvolvimento

Empresários de Anápolis pedem reestruturação das estradas federais e incentivos para modernização das indústrias da cidade

LUANA CAVALCANTE

O ministro de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Marcos Antônio Pereira, cumpriu agenda na terça-feira (19), em Anápolis. A visita animou os empresários locais que visam mais investimentos para a cidade e, assim, impulsionar o crescimento deste setor.

A Associação Comercial e Industrial de Anápolis (Acia) tem buscado recursos e incentivos do governo federal para garantir que os projetos saiam do papel e ajudem os empresários. O presidente da entidade, Anastacios Apostolos Dagios, ressaltou que um dos pedidos é que a cidade integre o programa Brasil Mais Produtivo.

As ações deste projeto visam melhorar o setor produtivo das empresas, com a realização de consultorias tecnológicas para elaboração de diagnósticos de processos para ganhos de produtividade e redução de custos. Para cada empresa beneficiada, serão destinados R$ 18 mil, sendo R$ 15 mil aportados pelos realizadores do programa.

O presidente da Acia comentou que já foi anunciada a implantação do Brasil Mais Produtivo em mais de 170 municípios, e Anápolis quer ser contemplada. As reivindicações fazem parte da elaboração de Políticas Públicas de Desenvolvimento na área industrial. “Estamos vendendo as nossas potencialidades”, lembra Anastacios Dagios.

Além da reunião, o ministro levou uma carta da Acia com 13 principais pontos que podem ajudar Anápolis na caminhada para o desenvolvimento industrial. Dentre elas, operação plena da Ferrovia Norte-Sul; implantação do metrô de superfície ligando o Eixo Brasília-Anápolis-Goiânia (Trem Pequi); incrementar o Modal Logístico de Anápolis; duplicação e iluminação da rodovia BR-414, no trecho que liga Anápolis a Pirenópolis; recuperação e manutenção do trecho que liga Anápolis a Interlândia, entre outros.

As reivindicações vão ao encontro do discurso feito pelo ministro durante a reunião na Acia junto aos empresários. Ele defendeu a modernização da industrialização para que o Brasil não fique atrás dos outros países e assim possa atrair novas empresas.

“Anápolis é a terceira maior cidade do Estado e tem uma importância muito grande. Tenho descentralizado as ações do Ministério e aqui tem um polo pujante que precisava da nossa visita”, comentou Marcos Antônio Pereira.

A agenda em Anápolis contou com uma visita in loco ao Distrito Agroindustrial de Anápolis (Daia), e também um encontro com o prefeito Roberto Naves (PTB) e sua equipe. A comitiva também contou com o deputado federal João Campos (PRB) e o secretário estadual de Desenvolvimento, Francisco Pontes.

O ministro não afirmou se algum dos pedidos da Acia poderá ser atendido de imediato, mas prometeu um diálogo com a classe empresarial para buscar atender as demandas. “Trabalhamos como articulador e facilitador na Esplanada. Esses investimentos devem ser discutidos com outros ministérios”, ressaltou o ministro.

O secretário Estadual de Desenvolvimento Econômico, Francisco Pontes, concordou que a visita mostra um trabalho em conjunto para trazer bons resultados para as indústrias brasileiras, especificamente as instaladas em Anápolis. “Estamos buscando a consolidação do Daia 2, via plataforma multimodal. Defendemos o Estado, mas esta cidade está parada e precisa se desenvolver nesse setor”, defendeu.

PACTO POR ANÁPOLIS
Pedidos feitos ao governo federal

1. Incrementar o desenvolvimento socioeconômico e da infraestrutura do Eixo Brasília-Anápolis-Goiânia.

2. Articular e coordenar a integração do Governo Federal e do Governo de Goiás para que a UFG, IFG e UEG priorizem a implantação de cursos de graduação e de pós-graduação (especialização, mestrado e doutorado) nas áreas de exatas e tecnológicas, especialmente engenharias.

3. Promover as medidas administrativas e políticas necessárias para a conclusão e plena operação da Ferrovia Norte-Sul.

4. Implantação do Metrô de Superfície ligando Eixo Brasília-Anápolis-Goiânia.

5. Incrementar o modal logístico em Anápolis.

6. Auxilio para Goiás ampliar a oferta de energia elétrica, especialmente para as empresas já instaladas em Anápolis.

7. Auxiliar o Município de Anápolis nos esforços que vêm sendo realizados para atrair Polo da Indústria de Defesa.

8. Facilitar a criação em Anápolis de Polos Tecnológicos, Distritos Industriais e Logísticos.

9. Duplicação e iluminação da rodovia BR-414, no trecho que liga Anápolis a Pirenópolis.

10. Auxiliar o Município de Anápolis e o Estado de Goiás no esforço de implantar o Rápido Empresarial.

11. Promover o intercâmbio de instituições públicas e privadas locais com outros Estados da Federação e países da América do Sul, Europa, África, Ásia e da América do Norte.

12. Auxiliar o Município de Anápolis a exigir da empresa Queiroz Galvão, concessionária da BR-153, a execução imediata de serviços de recuperação e manutenção do trecho que liga Anápolis a Interlândia.

13. Promover em Anápolis o Programa Brasil Mais Produtivo (B+P).

Deixe um comentário